Pular para o conteúdo principal

Leishmaniose

atualizado em 13/11/2018 | 18:39

A leishmaniose visceral (LV) é uma doença vetorial grave que apresenta um ciclo biológico complexo e que se não tratada pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos. O Programa de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral (PVC-LV), do Ministério da Saúde, prevê a realização, de forma integrada, de medidas de controle que visam o diagnóstico precoce e tratamento adequado dos casos humanos, o controle do reservatório canino e do vetor, associadas a atividades de educação em saúde.
 

A Prefeitura de Belo Horizonte mantém, permanentemente, equipes específicas de controle da leishmaniose visceral. As ações são direcionadas de acordo com a realidade epidemiológica existente, com realização de coleta de sangue canino e controle químico do vetor, visando atingir principalmente as áreas de maior ocorrência de casos humanos e com maiores índices de positividade canina.
 

As ações sistemáticas de controle da LV ocorrem em Belo Horizonte desde 1994. Nos últimos anos, entre 2008 e 2014, vivenciamos uma redução drástica do número de casos humanos de LV (161 para 41) e de óbitos (18 para 5). No mesmo período houve expansão qualitativa e quantitativa das ações de controle no município, que realizou, no ano 2012, exame de leishmaniose visceral em 70,0% da população canina do município (202.896 coletas). Nos anos de 2016 e 2017 (dados parciais) foram registrados respectivamente 51 casos (7 óbitos) e 60 casos (11 óbitos) de leishmaniose visceral humana no município.
 

Além da complexidade do controle da LV nas áreas urbanas, a incidência da doença pode estar associada a condições climáticas favoráveis ao aumento da população do vetor, assim como a existência de ambientes propícios para formação de criadouros do mosquito palha. Nesse sentido, é indispensável a participação da população, que deve manter os ambientes limpos, com a retirada de folhas, troncos, fezes de animais, e outros tipos de matéria orgânica, além de fazer o acondicionamento correto do lixo.

 

DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2018
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2017
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2016
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2015
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2014
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2013
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2012
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2011
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2010
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2009
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2008
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2007
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2006
DADOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE EM 2005