Pular para o conteúdo principal

FUNDAÇÃO DE PARQUES MUNICIPAIS E ZOOBOTÂNICA
Por recomendação da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, o acesso aos Parques da Serra do Curral, Aggeo Pio Sobrinho e das Mangabeiras, além do Mirante do Mangabeiras e Jardim Zoológico, requer a apresentação de comprovante de imunização contra a febre amarela, com vacina aplicada no mínimo 10 dias antes da visita, e documento de identidade com foto. (Bebês menores de 9 meses, por não poderem ser vacinados, não devem adentrar os espaços. Confira demais casos em que a vacina não é recomendada no site www.pbh.gov.br/saude)
O estacionamento no Parque das Mangabeiras agora integra o sistema rotativo digital da BHTrans. Para sua comodidade, leve consigo o talão ou baixe o aplicativo “Rotativo Digital BH” (disponível para android e IOS).
 

 

Parques Municipais e Zoobotânica

 

Fundação assegura proteção para o meio ambiente

Com o intuito de manter a qualidade de vida de Belo Horizonte e a beleza de suas áreas verdes, no ano de 2005, a Prefeitura da capital criou a Fundação de Parques Municipais - FPM, que, em 2017 (com a reforma administrativa da Prefeitura de BH), fundiu-se à Fundação Zoobotânica, criada em 1991 e que herdou uma história de mais de 30 anos já traçada com a gestão do Zoológico da cidade. As duas Fundações, então,  transformaram-se no que hoje é a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB).

A instituição administra e mantém 75 parques da cidade, área correspondente a aproximadamente 10,5 milhões de m2, composta também pelos quatro cemitérios municipais, uma capela velório, cinco Centros de Vivência Agroecológica (Cevaes) e, ainda, o Zoológico de Bh, Aquário do Rio São Francisco e o Jardim Botânico. A Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica promove programas de educação e manejo ambiental, atividades de lazer, esporte, cultura e cidadania, contribuindo para a conservação da natureza por meio de ações que sensibilizem as pessoas para o respeito à vida e à natureza.

Parques: patrimônio ambiental da cidade

Os parques urbanos atendem a uma necessidade social surgida com o crescimento das grandes cidades, por protegerem recursos naturais e oferecerem à população opções de conforto e lazer. A preservação desses espaços integra o compromisso da Prefeitura com a qualidade de vida, com o equilíbrio ambiental e a diversidade da paisagem da capital.


Cevae: valorização da cidadania

Espaços público-comunitários, os Centros de Vivência Agroecológica (Cevaes) foram criados com o objetivo de difundir práticas ecologicamente adequadas de segurança alimentar, saúde, educação ambiental e agricultura urbana, entre a população carente de Belo Horizonte. Todas essas ações estão aliadas a programas de capacitação e geração alternativa de renda, possibilitando a melhoria da qualidade de vida na cidade.

 

Zoológico de BH

Mais do que um espaço de lazer, o Zoológico de BH é uma importante ferramenta de educação ambiental para a cidade e para o estado. O Zoo de BH é, ainda, classificado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) na "Categoria A" dos "jardins zoológicos públicos", pois mantém elevados  de qualidade técnica, de infraestrutura e de relevância de seus programas de pesquisa científica e conservação da fauna.

Notícias em Destaque