Pular para o conteúdo principal

HIV / Aids

criado em - atualizado em

O HIV é um retrovírus, classificado na subfamília dos Lentiviridae, sua sigla significa Vírus da Imunodeficiência Humana. O HIV ataca o sistema imunológico, ligando a membrana dos linfócitos T-CD4+ e penetrando no interior da célula que aos poucos perdem sua capacidade de defesa causando a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – Aids.

 

O HIV é transmitido por meio do contato sexual com sêmen, líquido pré-seminal, fluidos retais, fluidos vaginais; contato com sangue; leite materno; materiais perfurocortantes como agulhas.

 

Não há transmissão do HIV nas seguintes situações: Sexo desde que se use corretamente a camisinha; Masturbação a dois; Beijo no rosto ou na boca; Suor e lágrima; Picada de inseto; Aperto de mão ou abraço; Sabonete/toalha/lençóis; Talheres/copos; Assento de ônibus; Piscina; Banheiro; Doação de sangue; pelo ar.

 

Transmissão do HIV da mãe para o filho

Mulheres grávidas que vivem com HIV e estão sem tratamento podem transmitir o vírus para o bebê durante a gravidez, parto e amamentação. O uso de antirretrovirais – ARV e outras estratégias ajudam a diminuir a taxa de transmissão da mãe para o bebê para 1%.
Após o nascimento, os bebês nascidos de mulheres com HIV recebem remédios contra o HIV para reduzir o risco de transmissão e são acompanhados no CTR DIP Orestes Diniz.

 

JANELA IMUNOLÓGICA

Conhecer o quanto antes a sorologia positiva para o HIV aumenta muito a expectativa de vida de uma pessoa que vive com o vírus. Quem faz o teste com regularidade, busca tratamento no tempo certo e pode ganhar muito em qualidade de vida. Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, faça o teste para HIV.

 

DIAGNÓSTICO

Conhecer o quanto antes a sorologia positiva para o HIV aumenta muito a expectativa de vida de uma pessoa que vive com o vírus. Quem faz o teste com regularidade, busca tratamento no tempo certo e pode ganhar muito em qualidade de vida. Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, faça o teste para HIV.

 


PREVENÇÃO

A Prevenção Combinada é uma estratégia que faz uso simultâneo de diferentes abordagens de prevenção específicas para determinados segmentos populacionais e de determinadas formas de transmissão do HIV.

Na Mandala da Prevenção podemos destacar os métodos voltadas à redução do risco de exposição, mediante intervenção na interação entre o HIV e a pessoa passível de infecção pelo uso de antirretrovirais através do uso da PEP e PrEP, de acordo com as situações de exposição (acesse os links e saiba mais). 



TRATAMENTO

Ter o HIV não significa ter Aids, mas sem tratamento, a infecção pelo HIV avança em estágios, piorando com o tempo. O HIV destrói gradualmente o sistema imunológico, eventualmente causa a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS).

Não existe cura para o HIV, mas o tratamento com medicamentos, chamado Terapia Antirretroviral - TARV, pode retardar ou impedir que a infecção avance de um estágio para o outro. Os medicamentos para o HIV ajudam as pessoas portadoras do vírus a viver mais e com mais saúde. Um dos principais objetivos da TARV é reduzir a carga viral de uma pessoa para um nível indetectável. Uma carga viral indetectável significa que a quantidade de vírus no sangue é muito baixa para ser detectada por um teste de carga viral. As pessoas com HIV que mantêm uma carga viral indetectável não apresentam risco de transmitir o HIV ao seu parceiro HIV negativo através do sexo.

Ao realizar o teste e este der positivo para HIV, o próprio serviço agendará sua consulta em um dos serviços especializados do SUS BH. Se você realizou o teste em um laboratório particular, ou fez um autoteste, procure o Centro de Saúde próximo de sua casa para marcar sua consulta em um dos Serviços de Atenção Especializada (SAE) da rede SUS BH.

 

Os autotestes podem ser retirados gratuitamente em todos os Centros de Saúde, nos CTAs, no CTR/DIP Orestes Diniz e na URS Centro-Sul. 

 

Preservativos estão disponíveis em todos os Centros de Saúde gratuitamente. Veja AQUI os endereços.

 

Endereços para testagem e tratamento:

 

CTA Hipercentro
Endereço: Shopping Caetés: Rua Caetés, 466 - Piso Caetés - Centro
Telefone: (31) 3246-7007

CTA SAE Sagrada Família
Endereço: Rua Joaquim Felício, 141 - Sagrada Família
Telefone: (31) 3277-5757

CTR DIP Orestes Diniz
Endereço: Rua Alameda Álvaro Celso, 241 - Santa Efigênia
Telefone: (31) 3277-4341 

URS Centro-Sul
Endereço: Rua Paraíba, 890 - Funcionários
Telefone: (31) 3277-5356 

Hospital Eduardo de Menezes 
Endereço: Rua Dr. Cristiano Rezende, 2.213 - Bonsucesso
Telefone: (31) 3328-5000

SAE UNIFENAS
R. Professor Hermínio Guerra, 97- Itapoã
(31) 2536-5655    


 

DEZEMBRO VERMELHO

A Organização Mundial de Saúde (OMS), em outubro de 1987, com o apoio das Organizações das Nações Unidas (ONU), instituiu a data de 1° de dezembro como Dia Mundial de Luta contra a Aids. O laço vermelho tornou-se o símbolo da campanha em todo mundo e foi escolhido devido à ligação ao sangue e a ideia de paixão, visto como uma forma de solidariedade, comprometimento e mobilização na luta contra o HIV.

 

Avanços tecnológicos em saúde como o uso de antirretrovirais, fornecimento de diversas formas de prevenção como a testagem rápida, dispensação de preservativos, uso de profilaxia pré e pós exposição para população, ofertas de serviços especializados, assistência através da redução de danos a população de rua e profissionais dos sexo, são nesses últimos anos estratégias para alcançar e praticar a equidade no combate ao HIV/Aids.


 

PREVENÇÃO E PROMOÇÃO EM SAÚDE 

Além da distribuição de insumos para prevenção às IST, a PBH conta com o programa BH de Mãos Dadas contra  AIDS.
Ele surgiu em Belo Horizonte no ano 2000 com o objetivo de trabalhar com diversos grupos da sociedade acerca da saúde sexual e suas formas de prevenção, da desmistificação de preconceitos e discriminações e sobre as formas de redução de danos. A equipe do programa atua em duas frentes de serviços: Formações (oficinas, palestras) e trabalho em campo (redução de danos). 

CLIQUE AQUI e conheça mais sobre o BH de Mãos Dadas contra a AIDS.

 

PERGUNTAS FREQUENTES

O que é prevenção combinada?

A prevenção combinada busca associar várias formas de proteção para reduzir as exposições ao HIV e a outras IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis). A vantagem dela é que cada pessoa pode escolher e combinar a estratégia que mais tem a ver com seu estilo de vida.


Quais são as estratégias que possibilitam uma prevenção combinada? 

  • usar preservativos, 
  • fazer testagem rápida frequentemente, 
  • uso de PrEP
  • uso da PEP
  • fazer tratamento com antirretroviral (TARV),
  • fazer a imunização (vacinar) para hepatite B e herpes
  • ter estratégias de redução de danos. 


Qual a diferença entre PEP e PrEP? 

A PrEP, a Profilaxia Pré-Exposição, consiste na tomada de comprimidos antes da relação sexual, que permitem ao organismo estar preparado para enfrentar um possível contato com o HIV. 


A PEP, Profilaxia Pós-exposição, é uma medida de prevenção de urgência para ser utilizada em situação de risco à infecção pelo HIV. Como profilaxia para o risco de infecção pelo HIV, a PEP tem por base o uso de medicamentos antirretrovirais sendo uma estratégia de urgência médica e deve ser iniciada o mais rápido possível - preferencialmente nas primeiras duas horas após a exposição de risco e no máximo em até 72 horas. 


Quando devo usar a PEP?

Após qualquer situação em que exista risco de contágio pelo HIV, tais como:

  • Violência sexual;
  • Relação sexual desprotegida (sem o uso de camisinha ou com seu rompimento);
  • Acidente ocupacional (com instrumentos perfurocortantes ou contato direto com material biológico).


Como a PEP deve ser utilizada? 

A profilaxia deve ser realizada por 28 dias e a pessoa tem que ser acompanhada pela equipe de saúde, inclusive após esse período realizando os exames necessários.


Para que serve o gel lubrificante?

O uso do gel durante o ato sexual diminui as chances de atrito e fissuras no corpo, diminuindo a chance de transmissão das IST.


Qual a diferença entre “situação de vulnerabilidade” e “situação de risco”?

Pessoas em situação de vulnerabilidade, se expõe mais às infecções sexualmente transmissíveis. 
Risco é a probabilidade de pessoas que estão em maior situação de vulnerabilidade se infectar pelas IST. 


O que significa tratamento como prevenção?

O tratamento é uma forma de prevenir a transmissão do HIV para outras pessoas. Os medicamentos antirretrovirais reduzem a quantidade de vírus no corpo da pessoa vivendo com HIV, fazendo com que ela alcance a chamada “carga viral indetectável”. 

Pessoas que vivem com HIV com carga viral indetectável têm uma possibilidade insignificante de transmitir o vírus para outra pessoa em relações sexuais desprotegidas.


Quando fazer o teste de HIV?

Todas as vezes que achar que teve uma exposição de risco, em uso de preservativos ou PrEP, acidentes com perfurocortantes, compartilhamento de seringas ou materiais sem esterilizar deve procurar os Centros de testagem e de Saúde e solicitar a testagem rápida. Lembrando que ao solicitar o teste rápido para HIV é importante aproveitar para fazer os testes para sífilis e hepatites B e C. 


Em caso de diagnóstico para HIV por que devo tratar? 

O tratamento traz vários benefícios: diminui as complicações relacionadas às infecções pelo HIV, reduz a transmissão do vírus, melhora a qualidade de vida da pessoa e diminui a mortalidade.  tratamento também tem a finalidade de prevenir a transmissão do HIV. Isso porque os medicamentos antirretrovirais reduzem a quantidade de vírus circulante no corpo da pessoa vivendo com HIV, fazendo com que está alcance a chamada “carga viral indetectável”.

Pessoas que vivem com HIV com carga viral indetectável têm uma possibilidade insignificante de transmitir o vírus para outra pessoa em relações sexuais desprotegidas.


O que é “janela imunológica”?

Todos os testes possuem um período denominado “janela imunológica”, que corresponde ao tempo entre o contato com o vírus e a detecção do marcador da infecção (antígeno ou anticorpo). Isso quer dizer que, mesmo se a pessoa estiver infectada, o resultado do teste pode dar negativo se ela estiver no período de janela. Dessa forma, nos casos de resultados negativos, sempre que persistir a suspeita de infecção, o teste deve ser repetido após, pelo menos, 30 dias.


Fiz o autoteste para HIV e o resultado parece ter sido reagente, qual serviço devo procurar? 

Em caso de teste reagente procure qualquer unidade de saúde que faça o teste rápido para HIV. Os centros de testagem rápida e de saúde estarão fazendo novos testes e em caso confirmatório irão fazer o encaminhamento para iniciar o tratamento.


Estou grávida, preciso fazer exames para HIV? 

As gestantes e suas parcerias sexuais devem realizar o teste de HIV, e também de sífilis e hepatite B durante o pré-natal. Todas essas doenças podem ser transmitidas da gestante para o bebê e por isso é importante a realização dos testes para que possam ser feitos os procedimentos de prevenção da transmissão vertical.


O que é Transmissão Vertical?

A transmissão vertical acontece durante a gestação, onde a pessoa gestante, podem transmitir algumas IST para o bebê. A sífilis, as hepatites virais e o HIV, são infecções que podem ser transmitidas verticalmente quando não tratadas pela pessoa gestante. 


Como a redução de danos pode ajudar na prevenção ao HIV e outras IST?

As ações de redução de danos estão voltadas, principalmente, às pessoas que usam álcool e outras drogas, silicone líquido industrial e hormônios e têm por objetivo evitar a transmissão do HIV e outras IST, promover a melhoria da qualidade de vida e garantir o acesso à saúde.

 

 

Faça o download do material educativo e saiba mais como prevenir e tratar as IST. 

 

MATERIAL EDUCATIVO

Cartaz: Nome Social Respeite Minha Identidade - 2024

Folder - IST : Infecções Sexualmente Transmissíveis - Previna-se. Trate-se. Faça o teste - 2024

Folder HPV + Câncer do Colo do Útero - 2024

Folder: Bloco da Prevenção - Carnaval 2024

Folder: Dezembro Vermelho - 2023

Folder: Dezembro Vermelho - Lideranças - 2023

Cartaz: Dezembro Vermelho - 2023

Cartaz: Combate à Sífilis Congênita - 2023

Folder: Combate à Sífilis Congênita - 2023

Folder: Julho Amarelo - Combate às Hepatites Virais - 2023

Cartaz: Autoteste HIV - 2023

Cartaz: PEP - 2023

Cartaz: PrEP - 2024

Folder: Bloco da Prevenção - Carnaval 2023

Guia técnico: Profilaxia da infecção pelo HIV e das Infecções Sexualmente Transmissíveis na violência sexual contra criança e adolescente - 2023

Cartilha: BH de Mãos Dadas contra a AIDS - Saúde Sexual Integral - 2022

Folder: Infecções Sexualmente Transmissíveis - 2022

Flyer: Monkeypox - 2022

Folder: Sífilis Congênita - 2022

Folder: Teste Rápido IST - 2022

Folder: Dezembro Vermelho 2022

Folder: Julho Amarelo - Combate às Hepatites Virais - 2021

Folder: Sífilis - Você pode ter e não saber- 2021

Cartaz: Teste Rápido IST - usuário - 2021

Cartaz: Teste Rápido IST - profissionais da saúde - 2021

Boletim Dezembro Vermelho - 2020

Flyer: Dezembro Vermelho - HIV: você sabia? - 2020

Cartaz: Orientações para Autoteste - 2019

Flyer: Orientações para Autoteste - 2019

Folder Prevenção Combinada - 2019

 

 

Mais informações sobre hepatites, sífilis e IST de maneira geral, acesse os links abaixo: 

Hepatites Virais

Sífilis

HPV

IST