Pular para o conteúdo principal

TRANSFORMANDO A CIDADE

atualizado em 08/08/2018 | 15:19

BRT MOVE em Belo Horizonte: transformando a cidade com a mobilidade

 

MOVE VANDER BRAS
Foto: Vander Bras

 

Em Belo Horizonte, o BRT ganhou um nome exclusivo “MOVE”. O BRT MOVE possibilitou uma mudança estrutural positiva na mobilidade urbana da cidade de Belo Horizonte, em um curto cenário de tempo. Uma das estratégias utilizadas na concepção do projeto foi o de agregar múltiplas facilidades para o usuário e usar o sistema de mobilidade como ferramenta para alavancar outras mudanças no tecido urbano.

 

Com impactos positivos econômicos, sociais e ambientais, o MOVE transformou o transporte coletivo na cidade de Belo Horizonte, que ficou mais rápido, confortável e seguro.

 

MOVE Transformando a cidade - Av. Paraná Antes e Depois

 

O BRT MOVE afeta diretamente a vida de cerca de 450.000 pessoas todos os dias, que representa cerca de um terço da demanda total transportada por ônibus por dia no município de Belo Horizonte. São 10.721.796 de passageiros transportados por mês. A demanda de passageiros observada 4 anos após sua inauguração é 13,5% maior do que a estimativa inicial do projeto. 

 

Destaques:


1- Planejamento integrado mobilidade urbana e uso do solo

O BRT MOVE é fruto do Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte – PlanMobBH, que foi desenvolvido em consonância com o Plano Diretor e a Lei de Uso e Ocupação do Solo.

 

2- A fiscalização eletrônica como ferramenta de promoção de prioridade de circulação e segurança

O BRT MOVE definiu a Visão Zero como conceito de segurança viária, com a premissa de que nenhuma vida perdida no trânsito é aceitável. Sua implantação contribuiu para o decréscimo da taxa de acidentados graves e mortos no trânsito entre 2013 e 2015. 


3- Acessibilidade universal nas estações com embarque em nível

Todas as estações de transferência, implantadas ao longo dos corredores, tem piso elevado, coincidindo com a altura dos pisos dos ônibus. Não há desnível entre os ônibus e a plataforma das estações, o que proporciona maior rapidez no embarque/desembarque, conforto e segurança ao usuário, inclusive aos usuários com deficiência. 


4- Mobilidade Urbana e Patrimônio: Requalificação do espaço urbano 

A implantação das estações de transferência possibilitou a alteração do padrão urbanístico da área central histórica e dos corredores.

 

5- Sistema Inteligente de Transporte: Informação ao usuário nas paradas e nos ônibus

O BRT MOVE contou com o projeto SitBus para avançar na comunicação e informação ao usuário. O SitBus é o Sistema Inteligente de Transporte do Município de Belo Horizonte. 


6- Informação ao usuário em tempo real via smartphone

Em 2015 foi lançado o aplicativo SIU Mobile BH. A ferramenta possibilita que os usuários visualizem as previsões de chegada dos ônibus nos pontos desejados, através de consultas em seus próprios smartphones. Outra importante e inédita funcionalidade do SIU Mobile BH é a acessibilidade para os deficientes visuais, por meio de um menu especial.
A funcionalidade para pessoas com deficiência do aplicativo SIU Mobile contou com a participação de representantes dos deficientes visuais.


7- Aumento da mobilidade e redução nos gastos com transporte 

O que se observou é que cerca de 6% dos usuários, o que representa aproximadamente 27 mil pessoas/dia, passaram a pagar menos ao utilizar o BRT MOVE para alcançar vários destinos na cidade,  através da realização de trocas nas estações de transferência e nas estações de integração. 

 

O ObsMob-BH

Reunião Obsmob

 

O BRT MOVE exigiu uma mudança da abordagem tradicional, orientada para a infraestrutura, para um planejamento sustentável e voltado para as pessoas. Belo Horizonte construiu um modelo de gestão participativa da mobilidade, através do Observatório da Mobilidade – ObsMob-BH. O ObsMob-BH foi criado pelo Decreto Nº 15.317, em 13/09/2013, com o objetivo de “realizar, com base em indicadores de desempenho estabelecidos em conformidade com este Decreto, o monitoramento da implementação do PlanMob-BH, no que toca à operacionalização das estratégias nele previstas e aos seus resultados em relação às metas de curto, médio e longo prazo”.
 

Atualmente, o ObsMob-BH conta com 63 instituições, entre representantes da sociedade civil, universidades e poderes públicos municipal, estadual e federal. Os observadores acompanham o desenvolvimento dos indicadores da mobilidade, definindo prioridades e ações necessárias para alcance dos resultados junto à gestão pública.

 

O Centro de Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH)

Foto: Amira Hissa
Foto: Amira Hissa 

 

Junto à implantação dos dois corredores de BRT MOVE, Belo Horizonte avançou na gestão do transporte, da segurança e do sistema viário com a implantação do Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH).


Inaugurado em junho de 2014, o COP-BH é um local estratégico de tomada de decisão. O COP-BH direciona seus esforços para fazer de Belo Horizonte uma cidade mais resiliente e busca proporcionar serviços públicos cada vez mais eficientes aos seus cidadãos. Funcionando 24 horas por dia, nos 7 dias da semana, o COP-BH atua no cotidiano da cidade, em grandes eventos e também nas situações adversas.


O COP-BH tem representação hoje de quatorze instituições:


1.    Batalhão de Trânsito da Polícia Militar de Minas Gerais (BPTRAN);
2.    Brazilian Traffic Network (BTN);
3.    Centro de Coordenação Operacional da Polícia Militar de Minas Gerais (CICOP);
4.    Companhia de Gás de Minas Gerais (GASMIG);
5.    Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA);
6.    Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG);
7.    Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG);
8.    Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S/A (BHTRANS);
9.    Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH);
10.  Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG);
11.  Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (SUPDC);
12.  Subsecretaria de Fiscalização (SUFIS);
13.  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU); e
14.  Superintendência de Limpeza Urbana (SLU).

 

O trabalho integrado dessas instituições possibilita uma tomada de decisão mais rápida, e acertada e permite gerenciar múltiplas situações complexas ao mesmo tempo, com uma significativa redução do tempo de resposta.

 

No COP-BH é realizado o controle e a fiscalização do sistema BRT MOVE, por meio de 97 câmeras de TV, informações sobre acidentes, veículos com problemas mecânicos, obstruções ou retenções na via e diversos outros problemas são detectados e transmitidos às empresas que operam o sistema de transporte coletivo por ônibus. 

 

O COP-BH centraliza ainda o controle de 80% das 950 interseções semaforizadas de Belo Horizonte. O COP-BH é um centro estratégico de tomadas de decisão que procura garantir que toda a cidade funcione bem, antecipando a percepção e diagnóstico de problemas e a adoção de soluções. O COP-BH criou condições para que a operação do transporte público e da mobilidade em Belo Horizonte seja efetiva ao longo dos próximos 20 anos, mesmo considerando o crescimento da motorização e da utilização do sistema de transporte público por ônibus.
 

Operações Urbanas Consorciadas (OUC) previstas ao longo dos corredores do BRT MOVE
 

Em Belo Horizonte, o planejamento urbano definiu Operações Urbanas Consorciadas (OUC) como uma forma de alavancar o Desenvolvimento Orientado ao Trânsito. Após discussão do tema em duas Conferências de Política Urbana, nesse momento o projeto está em fase de análise junto ao Poder Legislativo Municipal.