Pular para o conteúdo principal

Acervo

atualizado em 09/09/2019 | 15:58

 

Imagem de uma moviola

Visualização de filme em película na moviola do MIS BH
Foto: Ricardo Laf

 

O acervo do MIS BH é, antes de tudo, bastante diversificado, abrangendo filmes em película, magnéticos e digitais, fotografias, objetos tridimensionais, cartazes cinematográficos, material fonográfico e documentação correlata (anotações de diretores, roteiros, fichas de catalogação etc).


Atualmente, o acervo da instituição é constituído por mais de 45 mil filmes em diversos suportes (películas de 8mm, 16mm e 35mm, fitas VHS, Betacam, U-Matic, Mini-DV, S-VHS, Hi-8, DVDs e arquivos digitais), os quais trazem temas variados, em sua maioria relacionados à cidade, como atualidades sociais, atos políticos, produções artísticas, casos policiais, futebol, além de filmes de ficção.


Seu acervo fotográfico é constituído por aproximadamente 40 mil fotografias, entre ampliações, cópias contato, negativos e slides. Destacam-se também os cartazes cinematográficos, aproximadamente 1.700 itens, entre originais e duplicatas. Um material rico em detalhes, que evidencia a história de uma época, com suas qualidades técnicas e visuais, além de registrarem detalhes importantíssimos dos filmes, servindo como referência de design e ilustração. Além disso, cerca de 300 objetos constituem o acervo tridimensional do MIS BH. Associados à história do cinema, mostram um universo pouco conhecido pela maior parte do público. Há equipamentos usados em todo o processo de produção audiovisual, desde a captura de imagens e sons, passando pela edição fílmica e projeção, além de outros objetos ligados ao universo da produção visual e sonora.

 

Filme em película

Análise de filme em película na mesa enroladeira
Foto: Ricardo Laf

 

Dentre os filmes preservados, destacam-se preciosos registros históricos da capital mineira como o curta “Reminiscências” (de Aristides Junqueira) que contém algumas das mais antigas imagens preservadas da história cinematográfica mineira, feitas em Belo Horizonte no período de 1909 a 1924, e cópias em formatos película e digital do documentário “O Despertar de um Horizonte” (de Zoltan Gluek) com imagens da capital na primeira metade do século XX. Há também fotografias e entrevistas em vídeo que registram parte da história da extinta TV Itacolomi e cartazes de cinema que mostram o traço característico de alguns designers brasileiros, como Ziraldo e Benício, conhecido como o homem das pin-ups brasileiras.


A disponibilização de todo esse material cria, assim, a oportunidade de o público conhecer um pouco mais da história do audiovisual em Belo Horizonte.


Atendimento às consultas: atendimento às demandas de pesquisas acadêmicas e espontâneas utilizando o acervo do MIS BH, assim como apoio a produções cinematográficas e televisivas com imagens que remetem à história e memória de Belo Horizonte e seus habitantes. Além disso, o Museu estimula pesquisas sobre temas diversos que são desenvolvidos a partir do acervo da instituição.

 


Contato: (31) 3277-4131/ 3277-6330

As solicitações de consulta ao acervo devem ser feitas pelo e-mail mis.fmc@pbh.gov.br