Pular para o conteúdo principal

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM - MIS

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM - MIS
Foto: Victor Louvisi
atualizado em 22/10/2018 | 13:55

Desde 1995, o Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte (MIS-BH), antigo Centro de Referência Audiovisual, desenvolve ampla política de apoio ao universo audiovisual na capital mineira. Como unidade museal, tem a missão primordial de garantir o acesso aos acervos audiovisuais representativos da produção local, trabalhando na perspectiva de sua preservação, pesquisa e divulgação. A instituição conjuga suas ações de conservação com projetos destinados ao acesso e difusão do acervo, como ações de educação patrimonial, pesquisas agendadas, mostras de filmes, exposições e oficinas de preservação fílmica. Além disso, o MIS concilia o trabalho voltado para a memória audiovisual da cidade, com um olhar voltado para o presente, desenvolvendo iniciativas de apoio às novas produções e de formação na área.
 

O MIS mantém mais de 90 mil itens em reservas climatizadas com monitoramento 24 horas. Possui equipe multidisciplinar formada por técnicos em conservação, história e cinema, que faz o tratamento de registros nos mais diferentes suportes: fílmicos, videográficos, fotográficos, fonográficos, tridimensionais e textuais.


A atuação do Museu da Imagem e do Som estende-se a outras etapas da cadeia do audiovisual, tais como o apoio a novas produções, exibição e formação. Por meio de suas ações educativas e de difusão, o MIS contribui para o aperfeiçoamento de profissionais da área de conservação, oferecendo oficinas de preservação de acervos fílmicos, e para a formação de público, com sessões comentadas de cinema, exibições ao ar livre, palestras e seminários. Essas iniciativas atendem às mais diferentes faixas etárias, do público infantil à terceira idade, passando por pessoas em situação de rua e usuários do sistema municipal de assistência social.

 

MIS Cine Santa Tereza

Reinaugurado em abril de 2016, o MIS Cine Santa Tereza é uma divisão do Museu da Imagem e do Som. Tombado pelo patrimônio histórico da cidade e totalmente revitalizado, o Cine Santa Tereza foi reaberto como um espaço dedicado à sétima arte e às demais manifestações artísticas em diálogo com o audiovisual. Proporcionando a experiência individual e coletiva do cinema em sua sala de exibição, que oferece cinema digital em alta resolução de imagens, o MIS Cine Santa Tereza tem como um de seus eixos a democratização do acesso ao cinema e ao audiovisual, e veio atender à demanda da cidade e do setor cultural por espaços de difusão, circulação e criação artística.

 

Sede

A atual sede do MIS foi inaugurada em 30 de abril de 2008. Trata-se de uma edificação histórica, localizada na região central de Belo Horizonte. O imóvel, constituinte do Patrimônio Cultural de BH, é exemplar da arquitetura residencial da década de 1920, de estilo eclético, influenciado pelo art-noveau. A casa foi projetada pelo arquiteto e pintor Luiz Signorelli, formado pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e que, em Belo Horizonte, além de ter projetado numerosas edificações, foi um dos fundadores e organizadores da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG.
 

Em sua sede, o MIS abriga reserva técnica climatizada com uma antecâmara e três depósitos com temperatura e umidade relativa controladas. Possui também uma área de tratamento de acervo com mesas de revisão e higienização, atelier de restauração, espaço expositivo, sala para atendimento a pesquisas e consulta de imagens e espaço para realização de suas ações educativas.

 

Acervo

O acervo do MIS é, antes de tudo, bastante diversificado, abrangendo filmes em película, magnéticos e digitais, fotografias, objetos tridimensionais, cartazes cinematográficos, material fonográfico e documentação correlata (anotações de diretores, roteiros, fichas de catalogação etc.)
 

Atualmente, o acervo da instituição é constituído por mais de 45 mil filmes em diversos suportes (película – 8mm, 16mm e 35mm, fitas VHS, Betacam, U-Matic, Mini-DV, S-VHS, Hi-8, DVDs e arquivos digitais), os quais trazem temas variados, em sua maioria relacionados com a cidade, como: futebol, artes, atos políticos, casos policiais, atualidades sociais; além de filmes de ficção.
 

Seu acervo fotográfico é constituído por aproximadamente 40 mil fotografias, entre revelações, slides e negativos. Por outro lado, do acervo iconográfico, destacam-se os cartazes cinematográficos, aproximadamente 1.700 itens, entre originais e duplicatas. Um material rico em detalhes, que evidencia a história de uma época, suas qualidades técnicas e visuais, além de registrarem detalhes importantíssimos dos filmes, servindo como referência de design e ilustração da história do cinema. Além disso, cerca de 300 objetos constituem o acervo tridimensional do MIS. Associados à história do cinema, mostram um universo pouco conhecido pela maior parte do público. São equipamentos usados em todo processo de produção cinematográfica, passando pela captura de imagens, edição fílmica e projeção.
 

Dentre os filmes preservados, destacam-se preciosos registros históricos da capital mineira como o curta “Reminiscências” (de Aristides Junqueira) que contém algumas das mais antigas imagens preservadas da história cinematográfica mineira, feitas em Belo Horizonte no período de 1909 a 1924, e cópias digitais do documentário “O Despertar do Horizonte” (de Zoltan Gluek) com imagens da capital na primeira metade do século XX. Fotografias que pertenceram à extinta TV Itacolomi, cartazes de filmes nacionais e internacionais e antigos equipamentos de filmagem, edição e de projeção são exemplos de outros itens pertencentes ao acervo do MIS.
 

A disponibilização de todo esse material cria, assim, a oportunidade de o público conhecer um pouco mais da história do audiovisual em Belo Horizonte.

 

Atividades oferecidas

Dentre as ações desenvolvidas pela instituição com o objetivo de divulgar seu rico acervo, podemos citar:


-  “Visita orientada à exposição”: na elaboração das exposições, o setor educativo procura desenvolver, juntamente ao curador, projetos que visam atender ao público que visitará a exposição, inclusive pensando em formas acessíveis de visitação. Durante todo o período da exposição, é feita a mediação junto ao público espontâneo e agendado.


-  “Visita técnica”: as visitas técnicas ocorrem mediante agendamento, pois é necessário entender a demanda do usuário e preparar a visita de acordo com o interesse dele. A atividade está aberta ao público em geral e pode ocorrer em visitas individuais ou em grupos pequenos.


-   “Oficina de Conservação preventiva do Patrimônio Cultural Audiovisual”: atividade gratuita e voltada a estudantes acadêmicos e profissionais das áreas de arquivologia, biblioteconomia, cinema, história, conservação, museologia, colecionadores e a todos os interessados na preservação audiovisual. O objetivo da oficina é introduzir o participante no universo de preservação de filmes em película, mostrando-lhes, por meio de atividades práticas, as características desse suporte e também os materiais e técnicas necessárias ao seu tratamento físico e conservação.


-  “Palestras sobre Patrimônio Audiovisual”: atividade externa desenvolvida pela equipe do MIS, na qual escolas, faculdades e instituições afins são visitadas com o objetivo de ministrar palestras sobre o Patrimônio Audiovisual. São tratados assuntos relacionados à conservação e difusão de acervos audiovisuais em vários suportes.


-  “A escola vai ao MIS”: O MIS recebe visitas agendadas de grupos de alunos, sob coordenação de seus professores, para trabalhar temas relacionados à história de Belo Horizonte, à história do cinema, ao trabalho com acervos audiovisuais e também relacionados à memória.


-  “Processamento técnico do acervo”: este projeto é realizado por meio de atividades sobre os diversos tipos de acervo que compõem a instituição. No que se refere ao acervo fílmico e videográfico, essas ações correspondem à realização de pequenos reparos, análise do estado de conservação, limpeza, acondicionamento, incorporação, catalogação, telecinagem, digitação de fichas; no acervo fotográfico e de papel são realizadas ações de higienização, planificação, acondicionamento e pequenos reparos. Por fim, os objetos tridimensionais são tratados por meio de higienização, limpeza de fungos e oxidações.


-  “Atendimento às consultas”: atendimento às demandas de pesquisas acadêmicas e espontâneas utilizando o acervo do MIS, assim como apoio a produções cinematográficas e televisivas com imagens que remetem à história e memória de Belo Horizonte e seus habitantes. Além disso, o Museu estimula pesquisas de áreas diversas que são desenvolvidas a partir do acervo da instituição.


- MIS Noturno: Visando ampliar o atendimento ao público, o MIS estendeu seu horário de funcionamento todas as terças-feiras, quando permanece aberto até as 21h. No horário estendido, é possível que o público visite a exposição em cartaz, agende visitas mediadas e realize pesquisas no acervo do museu.


- MIS ao ar livre: O Museu da Imagem e do Som de BH disponibiliza a área externa do casarão para que cineclubes e realizadores realizem sessões de cinema ao ar livre às terças, das 18h às 21h.


-  “Canal MIS (http://www.youtube.com/user/CanalMIS) ”: Criado em 2013, o Canal MIS disponibiliza trechos do acervo do MIS para internautas interessados em audiovisual e memória de Belo Horizonte.

 

Localização:

Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte – MIS-BH

Av. Álvares Cabral, 560 – Lourdes – Belo Horizonte – MG – CEP: 30170-002

Telefones: (31) 3277-4131/ 3277-6330

E-mail: mis.fmc@pbh.gov.br

 

MIS Cine Santa Tereza

Rua Estrela do Sul, 89 , Santa Tereza – Centro – Belo Horizonte – MG

Telefone: (31) 3277-4699 / 3277-8651 / 3277-4714

E-mail: cst.fmc@pbh.gov.br