Pular para o conteúdo principal

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM - MIS

criado em 25/01/2018 - atualizado em 10/11/2021 | 12:03

 

Fachada do MIS

Foto: Ricardo Laf/PBH

 

Como unidade museal, o Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte - MIS BH - tem a missão primordial de garantir o acesso aos acervos audiovisuais representativos da produção local, trabalhando na perspectiva de sua preservação, englobando a catalogação, tratamento, guarda, pesquisa e divulgação. A instituição conjuga suas atividades de conservação com projetos destinados ao acesso e difusão do acervo, como ações de educação patrimonial, pesquisas agendadas, mostras de filmes, exposições e oficinas de preservação fílmica. Além disso, o MIS BH concilia o trabalho direcionado para a memória audiovisual da cidade com um olhar voltado para o presente, desenvolvendo iniciativas de apoio às novas produções e de formação na área.


O MIS BH mantém mais de 90 mil itens em reservas climatizadas com monitoramento 24 horas. Possui equipe multidisciplinar formada por técnicos em conservação, museologia, sociologia e cinema, que faz o tratamento de registros nas mais diferentes tipologias: cartazes, documentos, fotografias, filmes, gravações sonoras e objetos tridimensionais.


A atuação do Museu da Imagem e do Som estende-se a outras etapas da cadeia do audiovisual, tais como o apoio a novas produções, exibição e formação. O MIS BH contribui para o aperfeiçoamento de profissionais ligados ao tratamento de acervos audiovisuais, oferecendo oficinas de preservação de filmes. Visando a formação de público, oferece sessões comentadas de cinema, exibições ao ar livre, palestras e seminários. Essas iniciativas atendem às mais diferentes faixas etárias, do público infantil à terceira idade.



Horário de funcionamento:

Horário de visitação: quarta-feira a sábado, das 11h às 18h (a partir de 12 de novembro de 2021) | Agendamento no site: pbh.gov.br/reaberturamuseus  

Endereço: 

Av. Álvares Cabral, 560 – Lourdes – Belo Horizonte – MG – CEP: 30170-002

Como chegar

 

Contatos:

Telefones: (31) 3277-4131/ 3277-6330

E-mail: mis.fmc@pbh.gov.br

Facebook 

Canal MIS 

 

Programação:  

 

A programação do Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte consiste na apresentação regular de exposições no espaço do casarão que abriga o Museu. O MIS BH também realiza visitas mediadas à exposição e visitas técnicas às áreas de guarda e tratamento de acervo.


A instituição abriga em sua programação oficinas educativas e atividades lúdicas envolvendo temas relacionados à exposição em cartaz e à linguagem audiovisual. Além disso, realiza oficinas de introdução à preservação de acervos fílmicos, buscando atender a uma demanda constante de instituições e técnicos que trabalham com a conservação de acervos audiovisuais.

 

Exposição Cinejornais em Belo Horizonte

A mostra aborda diferentes aspectos dos cinejornais, desde o surgimento à decadência, do processo de produção à conservação das películas, o uso da linguagem cinematográfica, e também como essas produções foram utilizadas enquanto ferramentas de discursos por autoridades ao longo da história. A partir de três eixos temáticos - o carnaval, os rios urbanos, e as ausências -, a mostra pretende apresentar um panorama sobre as práticas discursivas ao redor desses temas, promovendo também um diálogo entre o passado e o presente. Para isso, são apresentados cinejornais sobre os temas citados, contrastados com imagens e manchetes de jornais atuais. 

 

TV Itacolomi – A Pioneira de Minas”

O Museu da Imagem e do Som (MIS BH) apresenta virtualmente a exposição “TV Itacolomi – A Pioneira de Minas”. Uma mostra sobre a trajetória da primeira emissora de televisão do Estado, reunindo fotografias, depoimentos, objetos e registros audiovisuais, em que são retratados o contexto histórico, artístico e de comunicação da TV. De forma interativa , a exposição apresenta em cada ambiente do casarão do MIS BH uma linha de produção da TV. Em termos tecnológicos, foi considerada à época uma das emissoras mais modernas da América Latina. Sua cobertura jornalística inovou na maneira de tratar diversos assuntos, da política à cultura, do esporte ao entretenimento, e ainda por criar formatos inovadores, a exemplo da revista eletrônica, realizada por meio do programa “A Noite na Guanabara”. Foi também responsável pelas primeiras transmissões ao vivo de jogos de futebol em Minas Gerais e por introduzir programação no horário da manhã, as demais transmissões no Brasil começavam a operar no período da tarde. 

 

Visite virtualmente