Pular para o conteúdo principal

Padre Eustáquio

atualizado em 28/01/2021 | 16:12

projetocentralidades_padre_eustaquio.jpg

Projeto Centralidades - Ruas Padre Eustáquio e Pará de Minas

Uma das das premissas do Planejamento Urbano de Belo Horizonte refere-se ao esforço para descentralizar as atividades urbanas de forma a incentivar a distribuição de comércios e serviços em todas as regiões cidade. A intenção é que em toda a cidade seja possível acessar bens e serviços perto de casa sem grandes deslocamentos. Esse foi um dos temas debatidos e aprovado na IV Conferência de Política Urbana em 2014.

 

Como base para a proposta forma definidas vias na cidade onde se pretende consolidar ou desenvolver novas centralidades com porte variável, considerando-se a demanda existentes ou esperada, bem como a capacidade do sistema viário, de infraestrutura e as condições topográficas de cada região. Foram definidas as áreas destinadas aos grandes equipamentos e a rede de centralidades, classificada da seguinte maneira:

 

  • Centralidades Locais - Desenvolvimento de atividades de demanda cotidiana em apoio às moradias – comércio, serviço, indústria, serviço de uso coletivo de abrangência local – e integradas ao uso residencial. Concentração de pessoas e baixa densidade econômica.

 

  • Centralidades Intermediárias - Desenvolvimento de atividades de demanda cotidiana ou esporádica em apoio às moradias – comércio, serviço, indústria, serviço de uso coletivo de abrangência intermediária – e integradas ao uso residencial.

 

  • Centralidades Regionais - Desenvolvimento de atividades de demanda cotidiana ou esporádica em apoio às moradias – comércio, serviço, indústria, serviço de uso coletivo de abrangência regional – e integradas ao uso residencial.

 

O modelo de cidade que está se buscando efetivar nas centralidades propõe o adensamento populacional de áreas com boas condições infraestruturais, liberando espaços para proteção ambiental. Esse adensamento deve ser realizado a partir da noção de unidade de vizinhança qualificada, que possibilita a todos os cidadãos o atendimento de suas demandas cotidianas a pé, de bicicleta ou pela conjugação destes deslocamentos com o sistema de transporte coletivo.

 

Assim, o adensamento populacional é acompanhado de qualidade urbanística e ambiental, fomentada através da requalificação dessas vias e da conformação de áreas de fruição pública, que conformam espaços junto ao logradouro público destinados à ampliação de áreas verdes e à formação de faixas, largos e praças para convívio coletivo.

 

Por fim, foi desenvolvida uma metodologia de avaliação e classificação das centralidades para o desenvolvimento de projetos prioritários de requalificação urbana e o primeiro que encontra-se em estudo é a Rua Padre Eustáquio.

 

Acesse aqui o material completo do Projeto Centralidades.