Pular para o conteúdo principal

Desenvolvimento Orientado ao Transporte Coletivo

atualizado em 24/02/2021 | 21:13

Belo Horizonte, por meio do seu novo Plano Diretor, propõe a estruturação do território através da lógica do Desenvolvimento Orientado pelo Transporte - DOT. Trata-se de uma abordagem cada vez mais bem-sucedida para os municípios revigorarem o ambiente de modo sustentável com foco na integração equilibrada de desenvolvimento (D), espaço aberto (O) e mobilidade (T).

 

Por esse motivo, Belo Horizonte foi selecionada para o desenvolvimento de um programa abrangente voltado para o avanço do DOT no Brasil, com olhar para o design e na estrutura desse sistema para outras cidades brasileiras. O programa é promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento e realizado em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte.

 

O objetivo do trabalho é a apresentação de um estudo que contempla o levantamento de dados e informações, bem como a análise dos eixos Leste (Av. dos Andradas e adjacências) e Norte (Av. Pedro I e adjacências). 

 

A contribuição da população será fundamental para a continuidade do processo democrático de planejamento da cidade. Desta forma, estão sendo criados canais de comunicação e interlocução, visando promover a discussão sobre as áreas em estudo.

 


Participe da pesquisa e conheça mais sobre o programa clicando aqui

 

Saiba mais sobre o DOT

O novo Plano Diretor de Belo Horizonte, aprovado em 2019, reflete uma forma mais avançada de planejar o futuro da capital trazendo uma série de instrumentos inovadores para tornar a cidade mais resiliente e sustentável, especialmente considerando os efeitos da crise climática. Para o reordenamento territorial, o Plano Diretor baseia-se nos princípios de Desenvolvimento Orientado ao Transporte (DOT). 
O DOT é uma abordagem cada vez mais bem-sucedida para reimaginar e revigorar o ambiente construído, com foco na integração equilibrada de desenvolvimento, espaço aberto e mobilidade para criar áreas urbanas que apoiem um modo de vida sustentável, reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa e apoiando assim as metas nacionais de mitigação de impactos.