Pular para o conteúdo principal

Coleções

atualizado em 23/01/2020 | 16:14
  • Por recomendação da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, o acesso aos Parques da Serra do Curral, Aggeo Pio Sobrinho e das Mangabeiras, além dos espaços da Zoobotânica (Jardim Zoológico, Aquário do Rio São Francisco e Jardim Botânico), requer a apresentação de comprovante de imunização contra a febre amarela, com vacina aplicada NO MÍNIMO 10 dias antes da visita (tempo necessário para a vacina surtir efeito). Também deve ser apresentado documento de identidade com foto, para todos os visitantes (no caso de crianças, pode ser apresentada a certidão de nascimento, acompanhada do documento original de identidade com foto dos pais). Bebês menores de 9 meses, por não poderem ser vacinados, NÃO DEVEM ACESSAR os espaços. Conforme orientações do Ministério da Saúde, uma única dose da vacina ao longo da vida já é suficiente para imunização (não é necessário tomar nova dose para visitar os espaços).
  • A entrada de animais domésticos não é permitida nos espaços da Zoobotânica (Zoológico, Aquário e Jardim Botânico). Nos locais, também não é permitido realizar churrasco. 
  • É permitido o acesso de bicicletas nas unidades da Zoobotânica. 
  • Consulte preços de ingressos e horários de funcionamento aqui.  
  • A Zoobotânica (Zoológico, Aquário e Jardim Botânico) não possui página oficial em redes sociais e não realiza venda antecipada de ingressos (venda exclusivamente na bilheteria do local, no ato da visita). Informações pelo telefone 3277-8489.
  • Nenhum dos equipamentos da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (inclusive parques) possui páginas oficiais em redes sociais, nem site exclusivo. Portanto, as informações sobre esses espaços devem ser obtidas diretamente no site da Prefeitura de Belo Horizonte e da própria Fundação.

 

Referência nas áreas de botânica aplicada e de fitossanitarismo, o Jardim Botânico da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte é um espaço dedicado à conservação e exposição de coleções de plantas. Suas prioridades são ações e estudos voltados para a conservação da flora regional, com destaque para as espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção.

Além disso, o JB colabora na criação de políticas públicas e no desenvolvimento de programas educativos e de pesquisas, e é responsável por produzir mudas destinadas à arborização pública e à recuperação de áreas degradadas no município.

As coleções botânicas do JB são sempre ampliadas e melhoradas por meio de parcerias com instituições públicas e privadas. Com a experiência adquirida, o Jardim Botânico de BH tem uma atuação efetiva dentro da Rede Brasileira de Jardins Botânicos e, como uma de suas ações, vem estimulando a criação de outros jardins botânicos.

Confira abaixo as coleções do JB: 
 

Arboreto 

Coleções de plantas vivas

Herbário 

Ervanário

Coleção etnobotânica

Conservação e manejo do faveiro-de-wilson