Pular para o conteúdo principal

43º Congresso de Zoológicos e Aquários do Brasil

atualizado em 14/06/2019 | 11:11

 

Congresso de Zoológicos e Aquários do Brasil reúne especialistas

em animais de vida silvestre

 

Entre os dias 21 e 25 de maio, cerca de 350 especialistas em animais de vida silvestre estiveram reunidos em Belo Horizonte durante o 43º Congresso da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB), evento organizado pela Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, e que contou com um total de cerca de 100 trabalhos científicos apresentados, 18 palestras, 11 minicursos, além da sessão solene de comemoração dos 60 anos do Jardim Zoológico da FPMZB, completados em 25 de janeiro deste ano.

 

fotos zoo

 

Entre os principais temas que foram discutidos durante o evento estão: manejo e bem-estar de megafauna, práticas e pesquisa em enriquecimento e bem-estar, nutrição de animais silvestres, pesquisa em educação, bem-estar e enriquecimento para aquários, bem-estar para profissionais de zoos, manejo e bem-estar de répteis, ortopedia de aves, endoscopia em animais silvestres, terapias complementares na medicina de animais silvestres, taxidermia e conservação, além de criação de borboletas.
 
A programação do Congresso contou ainda com um momento especial: a entrega do “Prêmio Hilda Tresz” aos melhores trabalhos científicos inscritos no evento, com três contemplados. O prêmio foi criado em homenagem à coordenadora internacional de Bem-Estar e Enriquecimento Comportamental do Zoológico de Phoenix (EUA) e mentora do Instituto Jane Goodall, falecida semanas antes do evento.
 

homenagem Hilda Tresz

 

Com o tema Novos desafios: Integração, Educação e Pesquisas para Conservação, o 43º Congresso de Zoológicos e Aquários buscou promover um fórum amplo para debates e discussões de projetos de cooperação nacional e internacional, fortalecendo os zoos e aquários como espaços de pesquisa e educação de conservação ambiental. Neste sentido, o evento teve como objetivo principal integrar e destacar os zoos e aquários brasileiros como referência em conservação ex-situ (ou seja, fora da natureza), além de incentivar a realização de pesquisas nas áreas de biologia, manejo, nutrição e medicina veterinária de animais silvestres; e educação para conservação e gerenciamento ambiental. Tudo com o propósito de buscar uma gestão eficiente e um trabalho conforme os melhores padrões de ética e de bem-estar animal.
 

atividades Congresso

 

Zoológico de BH: muita história para contar
 
Em clima de festa, a equipe da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica comemorou o 60º aniversário do Jardim Zoológico da capital mineira. Na ocasião, o gerente do Zoo, o biólogo Humberto Mello, apresentou um antigo vídeo sobre a inauguração da instituição na década de 50 e várias fotos com registros das principais atividades realizadas no local e um agradecimento especial a toda a equipe técnica formada por tratadores de animais, biólogos, veterinários e pessoal da área administrativa.
 

Humberto Mello - gerente Zoo BH

 

A apresentação da Orquestra Sol das Gerais trouxe descontração com músicas típicas da cultura brasileira como, por exemplo, Tico-Tico no Fubá e Aquarela no Brasil. O público vibrou bastante com a performance das 25 jovens, em situação de vulnerabilidade social contempladas pelo projeto social voltado para a música. Com seus instrumentos musicais e roupas coloridas, as mulheres animaram a noite dos participantes.

 

Orquestra Sol das Gerais

 

Após a sessão solene no auditório do Teatro Francisco Nunes, os participantes foram convidados a se dirigir ao saguão do teatro. No local, havia uma mesa preparada com um belo bolo e velinhas comemorativas.
 

Comemoração 60 anos do Zoo BH

 

 

Relatos de participantes 


 
"Esse evento representou uma grande oportunidade de mostrar que o desafio de trabalhar bem-estar em zoológicos e aquários pode e vem sendo vencido a cada dia. Agregar e capacitar pessoas para esta área de atuação é fundamental para que possamos atingir um dos objetivos mais importantes que é ter um manejo de excelência, respeitando os animais pelas suas características, necessidades e acima de tudo, oferecer a eles qualidade de vida."
 

Congresso

Cristiane Schilbach Pizzutto - Professora da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP) - Presidente da Comissão de Bem-estar do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo.


___

"Achei o Congresso extremamente bem organizado, com temas interessantes. Um evento produtivo e motivador."

relato 2

Nelson Henrique de Almeida Curi - Professor do Curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Lavras (Unilavras).

 


 ___

“Participar do minicurso de bem-estar e enriquecimento de aquários foi um aprendizado significante. As trocas de experiências, conteúdo e informações entre colegas de trabalho da mesma área foi excelente. Após assistir ao minicurso e às palestras do Congresso, pude trazer muitas ideias e conteúdos novos para o dia a dia do zoológico da Sabina. Passei todo meu aprendizado para os colegas de trabalho, para, juntos, melhorarmos nosso empenho com os animais. Foi muito gratificante participar do 43° Congresso da AZAB.

relato 3

Catherina Bartalini Monteiro – Bióloga e funcionária do Instituto Argonauta para a Conservação Costeira e Marinha, atuando no Zoológico da Sabina, por meio de convênio com a Prefeitura Municipal de Santo André.
 

 

 

___

"Eventos como o da AZAB são fundamentais na realidade em que vivemos hoje. O Brasil tem a maior biodiversidade do planeta e o governo atual tem diminuído o incentivo a pesquisas e proteção do meio ambiente. Para acentuar o problema, recentemente foram divulgadas informações de que mais de um milhão de espécies estão ameaçadas no mundo. Cada vez mais, nos deparamos com o desafio de conservar as espécies animais. De forma muito gratificante, temos os zoológicos brasileiros lutando pela conservação e evoluindo cada vez mais para se tornarem instituições mais voltadas para a ciência e o bem-estar dos animais. A realização de eventos como este serve não somente para auxiliar na divulgação científica sobre zoológicos, aquários e animais selvagens, mas também para mostrar que não estamos sozinhos, que somos muitos com um mesmo propósito e ainda que estamos no caminho certo.”

relato 4

Iago Junqueira – Recém-formado em medicina veterinária pela  Universidade Federal de Lavras (UFLA)

 


___

"Após tantos anos sem visitar o Borboletário da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, foi um tanto desafiador e emocionante voltar a um lugar onde fui acolhida e tive a minha carreira de borboletóloga incentivada. Agora para ministrar um minicurso sobre conservação e criação de borboletas durante o 43˚ Congresso da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil. Sempre gostei de falar sobre borboletas e saber que existem pessoas interessadas em ouvir e partilhar suas experiências. Com elas  o trabalho fica ainda mais prazeroso. O curso não poderia ser melhor. Se eu imaginava que seria bom, minhas expectativas foram superadas:  foi ótimo! Muitas questões foram levantadas e discutidas com todos e acredito que o aprendizado se estendeu a todos os envolvidos. Pelo fato de o minicurso ter sido ministrado no Borboletário, conseguimos ver pessoalmente (e imediatamente) todas as fases de vida das borboletas. Além disso, vimos inimigos naturais, a seletividade de alimentação e observamos uma forma de se trabalhar com a conservação ex situ." 

relato 5

Marina do Vale Beirão - Pós-doutoranda do Programa de Ecologia de Biomas Tropicais da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).




___

"Assistir ao Congresso não foi só mais um evento para mim. Foi minha primeira vez no Brasil, minha primeira vez em um Congresso da Azab. Foi um momento de reencontro com amigos que só conhecia por redes sociais. Foi um momento de reflexão coletiva, de intercâmbio de experiências, de construção coletiva do conhecimento. Temos trabalhado para fortalecer nossas ações, em trabalhar nossas fraquezas, repensar nossas ações e buscar oportunidades, refletir sobre como a sociedade nos vê e como devemos promover e garantir nosso trabalho para a conservação da biodiversidade, incluindo os seres humanos. A sociedade e a vida silvestre precisam de nós, mas não podemos esquecer que estamos aqui para que um dia não precisem mais de nós." 

relato 7

Nathalia Maruscak - bióloga de Buenos Aires, educadora e divulgadora ambiental, membro do Comitê de Educação da ALPZA e representante para a América Latina e Caribe da IZE. Ministrou palestra e mini curso durante o 43º CAZAB. 
 


CONFIRA AQUI A COBERTURA FOTOGRÁFICA COMPLETA DO EVENTO. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Ouça este conteúdo