Pular para o conteúdo principal

Dívida Ativa

atualizado em 28/09/2018 | 13:30
APRESENTAÇÃO

DEFINIÇÃO

Os créditos tributários e não tributários não arrecadados dentro do exercício a que se referirem ou nos prazos previstos em regulamento, constituem a Dívida Ativa do município.

 

Compete a Dívida Ativa formalizar a inscrição dos débitos municipais; planejar, coordenar e executar a cobrança e o parcelamento dos débitos inscritos; gerenciar a emissão da CDA - Certidão de Dívida Ativa e emitir a CND - Certidão Negativa de Débitos.

 

Os créditos inscritos em Dívida Ativa são objetos de atualização monetária, juros e multas, previstos em normas legais, que são incorporados ao valor original inscrito.

 

A guia de cobrança da Dívida Ativa traz a opção do pagamento à vista com desconto de 15% sobre o total dos débitos inscritos, exceto para multas da BHTRANS, bem como a proposta do parcelamento.

 

A quantidade de parcelas dependerá do valor a parcelar e a natureza do contribuinte (pessoa física ou jurídica).

 

O parcelamento em débito automático para débitos inscritos terá o desconto de 10% no valor das parcelas e isenção da taxa de expediente. O adiantamento de parcelas dará direito ao desconto de 10% e a quitação das parcelas adiantadas se dá na ordem inversa do parcelamento.

 

Sobre as parcelas incide juros de mora de 1% a m mais a correção anual do IPCA-E.

 

FORMA DE PAGAMENTO

Opções para pagamento da Guia de Dívida Ativa

 

Na Guia constam:

 

► Total à vista: Corresponde ao pagamento à vista com desconto de 15% para os débitos inscritos/ajuizado, acrescidos do valor da taxa de expediente da guia (exceto BHTRANS).

 

► Total parcelado: Corresponde a equação: Depósito inicial (entrada do parcelamento, acrescido da taxa de expediente da guia) + Parcelas com Honorários(nº parcelas X Vr. Parcela) + Parcelas sem Honorários(Nº Parcelas X Vr. Parcela). Para o pagamento parcelado, pagar somente o valor do Depósito Inicial(entrada do parcelamento) até o vencimento da guia. A parcela subseqüente ao depósito inicial vencerá 30 (trinta dias após o pagamento daquele, e as demais no mesmo dia dos meses imediatamente posteriores, e serão enviadas pelo correio para o endereço de correspondência da guia do parcelamento. As parcelas terão acréscimo de 1% de juros ao mês, mais a correção anual (variação do IPCA-E).

 

Onde solicitar a Guia da Dívida Ativa

 

As guias para pagamento dos débitos em Dívida Ativa com a Prefeitura de Belo Horizonte podem ser emitidas em nosso atendimento presencial ou acesse o menu SERVIÇOS para emissão on-line consultando GUIAS.

 

CORREÇÃO

Os débitos inscritos em Dívida Ativa são objetos de atualização monetária, juros e multas, previstos em normas legais, que são incorporados ao valor original inscrito.

 

Para os impostos e taxas são acrescidos multa de 25% por ter vindo para dívida ativa; quando ajuizados a multa passa para 30%. Juros de 1% a.m e a correção monetária anual do IPCA-E. Para as multas, juros de 1% a.m e a correção anual do IPCA-E.

 

Para débito parcelado as parcelas são corrigidas a juros de 1% a.m , acrescidas da taxa de expediente da guia quando for o caso, e no final de cada exercício calcula-se sobre o saldo devedor do parcelamento a correção anual do IPCA-E.


LEGISLAÇÃO

CND – Certidão Negativa de Débito

  1. •    Decreto nº 12.174/2005 - "Disciplina o procedimento relativo à expedição de certidões negativa de débitos e de situação fiscal."
    1.  

Correção Monetária

  1. •    Lei Municipal nº 8.147/2000 - "Altera a legislação tributária municipal e dá outras providências”.
    1.     
  2. •    Decreto 16.546/2017 - "Divulga índice correção IPCA-E a partir de 2017".
    1.     

Juros

  1. •    Lei Municipal nº 6.480/1993 - "Dispõe sobre o cálculo de juros de mora nos créditos tributários e fiscais”.
    1.     

Multa

  1. •    Lei Municipal nº 5.641/1989 - "Dispõe sobre os tributos cobrados pelo Município de Belo Horizonte e contém outras providências”.
    1.    
  2. •    Lei Municipal nº 6.702/1994 - "Dispõe sobre a informação do valor atualizado da dívida ativa do contribuinte na guia anual do IPTU."
    1.     
  3. •    Lei Municipal nº 7.378/1997 - "Estabelece penalidades aplicáveis por infração à legislação tributária municipal e contém outras providências."
    1.     
  4. •    Lei Municipal nº 9.532/2008 - "Altera as leis n°s 5.492/88, 7.378/97, 7.640/99, 7.932/99, 9.320/07 e 9.337/07, e dá outras providências."
    1.     

Parcelamento

  1. •    Lei Municipal 10.082/2011 - "Estabelece regras para o parcelamento de créditos tributários, fiscais e de preços públicos; altera o caput do § 2º do art. 1º da lei 7.640/99; cria o Conselho Administrativo de Recursos Tributários do Município; estabelece o regime para acordo direto com credores de precatórios, e dá outras providências”.
    1.     
  2. •    Decreto 14.346/2011 - "Regulamenta o parcelamento e o reparcelamento de créditos tributários, fiscais e de preços públicos de que trata a lei 10.082, de 12 de janeiro de 2011."
    1.     
  3. •    Decreto 14.846/2012 - Altera o Decreto nº 11.620/04
    1.     
  4. •    Decreto 14.904/2012 – Altera o Decreto nº 14.346/11
    1.     
  5. •    Decreto 16.809/2017 – Regulamenta parcelamento
  6.             
  7. •    Portaria SMFA 015/2018 – de 05/03/2018
  8.             
  9. •    Portaria SMFA 023/2018 – de 10/04/2018
  10.             
  11.  

Restituição

  1. •    Decreto Municipal  nº 14.252/2011 - "Disciplina o procedimento relativo à restituição de créditos tributários, fiscais, preços públicos e outros valores indevidamente recolhidos aos cofres do Município, e dá outras providências".
    1.     
  2. •    Decreto Municipal 15.304/2013 - "Dispõe sobre o não ajuizamento de execução fiscal e o protesto dos créditos do Município de Belo Horizonte e de suas autarquias e fundações”.
    1.     
ORIENTAÇÕES

CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITO

Definição

 

A CND – Certidão Negativa de Débito possibilita ao cidadão ou pessoa jurídica verificar a existência ou não de dívidas com a Prefeitura de Belo Horizonte. Se não houver pendências, o interessado obtém o documento de comprovação de regularidade para com o município. Se houver pendência, emitir a guia pela internet no menu SERVIÇOS consultando GUIAS, e aguardar 03 (três) dias úteis para emissão de nova CND.
 

A Certidão de Débitos poderá ser Positiva (caso existam pendências) ou Positiva Com Efeito Negativo (caso existam ressalvas). A autenticidade da certidão também deverá ser confirmada pelo recebedor no própria site de emissão da CND.
Consulte CND no menu SERVIÇOS.

 

Orientações Gerais

  1. •    Validade da Certidão: A Certidão Negativa é válida por 30 (trinta) dias, a contar da data de sua emissão;
  2. •    Autenticação da Certidão: A autenticidade da CND deverá ser conferida pelo recebedor da mesma no “link” – Autenticação;
  3. •    Gratuidade da CND : A CND é fornecida sem nenhum ônus para o requerente e poderá ser emitida de qualquer computador conectado à internet;
  4. •    Para fins de inventário, solicitar a Certidão Plena Física e Certidões de IPTU, caso existam imóveis no inventário;
  5. •    A Certidão de ISS para fins junto ao INSS pode ser emitida pela web para exercícios após 1992. Acesse o menu SERVIÇOS e consulte CND. Para períodos anteriores o interessado deve procurar nossos postos de atendimento presencial.
  6. •    Outras orientações que se fizerem necessárias poderão ser obtidas através do telefone 156 ou em nossos postos de atendimento presencial.

Modalidades de Certidão / Dados para emissão

  1. •    Certidão de Quitação Plena Pessoa Física: Número do CPF do interessado;
  2. •    Certidão de Quitação Plena Pessoa Jurídica: Número do CNPJ do interessado;
  3. •    Certidão Negativa de ISS: Número do CPF ou CNPJ do interessado;
  4. •    Certidão Negativa de IPTU: Número do índice cadastral e o período solicitado (mês/ano);
  5. •    Certidão Negativa de ITBI: Número do CPF ou CNPJ do adquirente e número do lançamento do ITBI ou ano e número da transação do ITBI;
  6. •    Certidão de ISS para Fins de INSS: Número do CPF do profissional autônomo para emissão dos pagamentos para fins de aposentadoria no INSS dos anos de 1992 e posteriores. Para os anos anteriores, acesse o menu SERVIÇO e consulte CND para informações.

Tipos de Certidão

  1. •    Certidão Negativa de Débitos:
    1. o    Certifica que não consta para o requerente / interessado nenhuma pendência de débitos para com a PBH.
  2. •    Certidão Positiva com Efeitos de Negativa:
    1. o    Certifica que não consta débito pendente de pagamento para com a PBH, entretanto ressalva que existe(m) débito(s) com: recurso administrativo, reclamação judicial, parcelamento ativo com parcelas em dia ou suspensos por medidas judiciais. A presente Certidão têm efeitos de “Certidão Negativa” para todos os fins.
  3. •    Certidão Positiva:
    1. o    Certifica que consta(m) em nome do requerente débito(s) pendente(s) de pagamento para com o Município de Belo Horizonte, seja na forma de débito(s) vencido(s), inscrito(s), ajuizado(s) ou parcelamentos em atraso.

Regularização de Pendências

  1. •    A regularização de débitos ocorre em até 03 (três) dias úteis a contar da data do pagamento em razão do tempo necessário e suficiente para a transferência bancária aos cofres municipais e a baixa do débito pelo Sistema de Arrecadação da PBH;
  2. •    Após a regularização é necessário solicitar nova certidão;
  3. •    Quando constar na “Certidão Positiva” débitos que estejam sendo questionados administrativamente, o interessado deverá procurar a Central BH Resolve (Av. Santos Dumont, 363 - Centro) para requisitar informações sobre a respectiva “suspensão” de exigibilidade;
  4. •    Quando constar na “Certidão Positiva” débitos que estejam sendo questionados judicialmente, o interessado deverá procurar a Central BH Resolve - Procuradoria Geral do Município - PGM (Av. Santos Dumont, 363 - Centro) para requisitar a respectiva “suspensão” de exigibilidade.
  5.  

PARCELAMENTO ORDINÁRIO

A Prefeitura facilita o pagamento de débitos - de IPTU, ISSQN, multas de trânsito e quaisquer outros - em dívida ativa por meio de regras de parcelamento definidas no Decreto 16.809 de 19/12/2017. Este Decreto possibilita parcelar em até 60 (sessenta) vezes os débitos não ajuizados.

Serão permitidos ainda dois reparcelamentos para débitos não ajuizados, sendo:

  1. •    Primeiro reparcelamento  em até 36 (trinta e seis) parcelas;
  2. •    Segundo reparcelamento em até 24 (vinte e quatro) parcelas.

Será permitido para débitos ajuizados um reparcelamento em até 24 parcelas.

Em caso de penhora ou arresto o parcelamento será em até 24 parcelas, vedado o reparcelamento.

Em caso de restrição judicial (Renajud, indisponibilidade de bens ou leilão marcado) o parcelamento será em até 3 parcelas, vedado o reparcelamento.

Em caso de bloqueio em conta corrente não será permitido o parcelamento.

 

Também é concedido um desconto de 15 % para a quitação integral do débito inscrito em dívida ativa, referentes a créditos tributários, fiscais e preços públicos.

 

O contribuinte que requerer o parcelamento poderá ter os seguintes descontos não cumulativos:

  1. •    10% para pagamento através de débito em conta;
  2. •    10% para pagamento antecipado de parcelas.

 

Os contribuintes também podem usar créditos de precatórios municipais para compensar parte de sua dívida e honorários anteriores a dezembro de 2014.

 

PARCELAMENTO EXTRAORDINÁRIO


A Prefeitura de Belo Horizonte, a partir da edição do Decreto 16.809, de 19/12/2017, criou a categoria de parcelamento extraordinário para os casos do número de parcelas de 61 (sessenta e uma) a 180 (cento e oitenta).
 

Esse parcelamento destina-se apenas a débitos não ajuizados e somente será efetuado após análise da Comissão de Análise de Parcelamentos prevista no decreto acima.
 

O parcelamento extraordinário somente será concedido após aprovação pela Comissão, que exigirá um depósito inicial mínimo de:

 

  - 9 % (nove por cento) do valor do crédito, se parcelado de sessenta e uma até oitenta e quatro parcelas;

  - 12 % (doze por cento) do valor do crédito, se parcelado de oitenta e cinco até cento e oito parcelas;  

  - 15 % (quinze por cento) do valor do crédito, se parcelado de cento e nove até cento e trinta e duas parcelas;

  - 18 % (dezoito por cento) do valor do crédito, se parcelado de cento e trinta e três até cento e cinquenta e seis parcelas; 

  - 21 % (vinte e um por cento) do valor do crédito, se parcelado de cento e cinquenta e sete até cento e oitenta parcelas.

O valor de cada parcela será calculado em função do valor total do crédito parcelado, respeitados a quantidade máxima de parcelas e o valor mínimo de R$ 50,00 (cinquenta reais) e de R$ 200,00 (duzentos reais) por parcela, respectivamente, para pessoas físicas e jurídicas.

Todas as orientações sobre solicitação desse parcelamento podem ser obtidas no serviço DÍVIDA ATIVA - PARCELAMENTO EXTRAORDINÁRIO, acessando o item SERVIÇOS e digitando DÍVIDA ATIVA.

Também é concedido um desconto de 15% para a quitação integral do débito inscrito em dívida ativa, referentes a créditos tributários, fiscais e preços públicos.

O contribuinte que requerer o parcelamento poderá ter os seguintes descontos não cumulativos:

•    10% para pagamento através de débito em conta;
•    10% para pagamento antecipado de parcelas.


 

DÚVIDAS FREQUENTES

1 - Qual a correção dos débitos inscritos em Dívida Ativa?

Os débitos inscritos em Dívida Ativa são acrescidos de: correção anual (IPCA-E), multa de 25% e juros de mora de 1% a/m a contar da data do lançamento. Ajuizado o débito a multa será de 30%.

 

2 - A guia da Dívida Ativa pode ser emitida via Internet, inclusive a guia de parcelas?

Sim. Todas as guias da Dívida Ativa estão disponíveis para emissão via Internet através do menu SERVIÇOS ao consultar GUIAS.

 

3 - A Guia de cobrança da Dívida Ativa pode ser enviada para qualquer parte do país?

Sim. Apenas é necessário que o endereço de correspondência esteja completo e seja um endereço válido.

 

4 - Qual o vencimento da guia de Dívida Ativa?

Normalmente o vencimento da guia de Dívida Ativa é 15 (quinze dias) após a sua emissão. Para as guias com parcelamento em andamento, o vencimento é a data em que o depósito inicial foi pago. Por exemplo, se o depósito inicial foi pago dia 20, todo dia 20 de cada mês vencerá uma parcela. Esta guia é validada para recebimento até o último dia útil do mês, pois, os juros do parcelamento é mensal.

 

5 - Qual a quantidade máxima de parcelas permitidas no parcelamento de débitos em Dívida Ativa e como faço para parcelar ?

A quantidade de parcelas é determinada pelo valor a parcelar e a natureza da pessoa da pessoa (Física ou jurídica). A guia de Dívida Ativa já sai com as opções de pagamento à vista com 15% de desconto ou parcelado no máximo de parcelas permitido em legislação municipal, com o pagamento do depósito inicial do parcelamento para 15 dias após a emissão da guia.

 

6 - Como é a correção do parcelamento em Dívida Ativa? As parcelas são fixas ou corrigidas?

As parcelas não são fixas. São corrigidas a juros de 1% a.m , acrescidas da taxa de expediente da guia quando for o caso, e no final de cada exercício calcula-se sobre o saldo devedor do parcelamento a correção anual do IPCA-E.

 

7 - A antecipação de parcelas dá direito a algum benefício?

Sim. Ocorrendo o pagamento antecipado de parcelas será concedido um desconto de 10% sobre o somatório das parcelas antecipadas. A antecipação de parcelas se dará na ordem inversa do parcelamento.

 

8 - O atraso das parcelas implica no cancelamento do parcelamento acordado em Dívida Ativa?

O atraso na quitação de qualquer parcela por um período superior a 60 (sessenta) dias, bem como a desistência do recolhimento das parcelas mediante débito automático em conta corrente implicará no cancelamento do parcelamento / reparcelamento e prosseguimento da cobrança do saldo devedor, conforme legislação municipal.


 
9 - Qual a consequência do descumprimento do parcelamento / reparcelamento acordado em Dívida Ativa?

Implicará no cancelamento do parcelamento / reparcelamento e o prosseguimento da cobrança do saldo devedor. Prosseguirá também a cobrança judicial para os casos que assim estavam quando do parcelamento.

 

10 - Atrasei uma ou mais parcelas do meu parcelamento. Como faço para regularizar e recolher as parcelas em atraso?

Emita a guia do mês e verifique o valor da parcela atual. Multiplique o valor pela quantidade de parcelas em atraso e some com o valor da parcela atual.

Ex: Atrasei a parcela 6 e 7. A parcela atual é a de nº 8.

O valor da parcela atual, de nº 8 é de R$ 121,48.

Então devo multiplicar R$ 121,48 x 2 (parcelas 6 e 7). O resultado é R$ 242,96.

Some este resultado a parcela atual (nº 8). O valor final é de R$ 364,44. Preencha esse valor na guia e faça o recolhimento.

 

11 - Após a atualização do endereço de correspondência, a próxima guia de cobrança já vai para o novo endereço?

Sim, mas somente as guias que forem emitidas após a atualização do endereço.


12 - Parcelei um débito em Dívida Ativa. Posso cadastrar um endereço específico para o envio das guias de parcelas pelo correio?

Sim, é possível cadastrar um endereço de correspondência específico para o envio das guias de parcelas pelo correio.

 

13 - Normalmente a PBH envia as guias de parcelas pelo correio?

Sim. Após a efetivação do parcelamento, as guias das parcelas são enviadas mensalmente para o endereço de correspondência determinado no parcelamento.

 

14 - Após o pagamento de multa da BHTRANS qual o tempo para liberação da multa no DETRAN?

O tempo para liberação da multa no DETRAN é mais ou menos 15 dias.

 

15 - Onde e como solicitar o acerto de crédito, uma vez que outras gerências também fazem este tipo de solicitação para pagamento com guias emitidas por elas?

Se o pagamento foi efetuado com guia da Dívida Ativa ou se o lançamento objeto do pagamento já se encontra na Dívida Ativa procurar a Central BH RESOLVE.

 

16 - Se for necessária a confirmação da arrecadação pela instituição bancária, qual a previsão para o acerto do crédito?

Neste caso não temos uma previsão, pois dependemos da confirmação da arrecadação pela instituição bancária.

 

17 - O extrato de débitos de um contribuinte tem valor de Certidão?

Não. O extrato é apenas um espelho dos lançamentos do contribuinte não tendo valor de Certidão.

 

18 - Qual o prazo de validade da Certidão Negativa de Débitos?

O prazo de validade da CND – Certidão Negativa de Débitos é de 30 (trinta) dias.

 

19 - Após o pagamento das pendências, quando posso emitir nova CND?

Três dias úteis após o pagamento das pendências poderá ser emitida nova CND.

 

20 - O que é protesto?

Protesto de título é o ato público, formal e solene, realizado pelo tabelião, com a finalidade de provar a inadimplência e o descumprimento de obrigação constante de título de crédito ou de outros documentos de dívida.

 

21 - Recebi uma notificação de protesto de dívida da Prefeitura de Belo Horizonte por meio do cartório. O que devo fazer?

Deverá comparecer ao cartório que enviou a notificação para efetuar o pagamento da dívida no prazo de três dias. Efetuado o pagamento o Cartório enviará o arquivo para a PBH com a informação do título liquidado.

 

22 - Se o pagamento do débito não foi efetuado no prazo de três dias, como proceder?

Emitir a guia via Internet no menu SERVIÇOS consultando GUIAS para o pagamento à vista ou parcelado. O pagamento realizado após o protesto será processado pela PBH que enviará ao Cartório a carta de anuência . O contribuinte deverá procurar o Cartório para pagamento das custas e solicitação do cancelamento do protesto.

 

23 - Com o pagamento parcelado de débitos protestados consigo a CND positiva com efeito negativo?

Sim. Os débitos protestados implicarão em certidão positiva de débitos. Parcelados, com o parcelamento em dia, a CND será positiva com efeito negativo.

 

24 - Foi emitida CDA para protesto mas já fiz quitação deste débito. Como proceder?

Nesse caso apresentar em nosso atendimento presencial original e cópia da guia de quitação a ser encaminhada à Gerência de Dívida Ativa para a desistência do protesto junto ao Cartório.

 

25 – Emiti uma CND que saiu positiva em razão de débito protestado, porém já efetuei o pagamento deste débito. Como proceder?

Apresentar original e cópia da guia comprovante da quitação em nosso atendimento presencial solicitando o acerto de crédito informando a modalidade da CND.