Pular para o conteúdo principal

Reciclagem de entulho

atualizado em 05/04/2019 | 16:08

É a transformação dos resíduos da construção civil em agregados reciclados, que podem substituir a brita e a areia em elementos da construção civil que não tenham função estrutural. 


O processo é feito nas Estações de Reciclagem, que recebem os resíduos de construção e demolição, produzidos por grandes geradores, que se utilizam de caminhões ou caçambas como meio de transporte. Atualmente Belo Horizonte conta com duas estações de reciclagem: a da Pampulha, criada em 1996, e a da BR-040, criada em 2006.


Elas estão instaladas em terrenos públicos, com área mínima de 6 mil m², cercadas e dotadas de pontos de aspersão de água, para reduzir o excesso de poeira. Para evitar a pressão sonora, as calhas dos equipamentos britadores são revestidas de borracha e as pás-carregadeiras dispõem de silenciadores. Essas unidades recebem os resíduos transportados por caminhões e empresas de caçambas desde que apresentem, no máximo, 10% de outros materiais (papel, plástico, metal etc.) e ausência de terra, matéria orgânica, gesso e amianto.


Os resíduos da construção civil produzidos por pequenos geradores são recebidos nas Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (URPVs) e, se estiverem devidamente segregados, são transportados para as usinas de reciclagem.

 

images.jpg
Foto: SLU

 

Estações de Reciclagem de Entulho:

Pampulha 


Endereço: Rua Policarpo Magalhães Viotti, 450, Bandeirantes 
Horário de funcionamento:
Segunda a sexta-feira - Das 8h às 11h e das 13h às 16h
Tel.: (31) 3277-7912

Usina BR-040 


BR-040, km 531, Jardim Filadélfia
Horário de funcionamento: 
Segunda a sexta-feira - Das 8h às 12h e das 13h às 17h
Tel: (31) 3277-9299

 

Programa de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil


Belo Horizonte é considerada referência nacional na gestão e gerenciamento público de resíduos da construção civil. Numa ação pioneira no país, a Prefeitura, por meio da SLU, implementou o Programa de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil, no início dos anos 90. O trabalho inclui alternativas para o recolhimento e a disposição adequados do entulho com a opção de reaproveitamento.


Os principais objetivos dessa iniciativa são o manejo diferenciado e a correção dos problemas ambientais decorrentes da deposição indiscriminada de entulho na malha urbana. A meta é a valorização econômica desses resíduos, pelo processo de reciclagem.


A experiência de Belo Horizonte na gestão dos resíduos de construção e demolição foi utilizada como referência para a elaboração da Resolução Conama nº 307, de 5 de julho de 2002, que estabeleceu diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil em todo o território nacional.


O principal mérito do Programa de Correções Ambientais e Reciclagem de Entulho é o de oferecer à sociedade o desafio de repensar seus valores e paradigmas, estimulando práticas menos consumistas que tragam, em seu bojo, a proposta de uma nova sociedade moldada no respeito à natureza e aos seus semelhantes.