Pular para o conteúdo principal

Central de tratamento de resíduos sólidos

atualizado em 05/09/2019 | 17:37

O aterro sanitário de Belo Horizonte, inaugurado em 17 de fevereiro de 1975, às margens da rodovia BR-040, na região Noroeste da capital, deu início à correta disposição final de resíduos sólidos na capital, de maneira a preservar a saúde pública e o meio ambiente. A Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRS) está localizada no km 531, no bairro Jardim Filadélfia.
 

Desde dezembro de 2007, o local não recebe mais o lixo de Belo Horizonte. Os resíduos gerados na cidade são destinados ao aterro de Macaúbas, em Sabará. Hoje, toda a área do aterro desativado faz parte da CTRS, onde funcionam programas de reciclagem, além do maior projeto mitigador de efeito estufa da cidade, com a produção de energia elétrica a partir do lixo.
 

No aterro, estão localizadas a Central de Aproveitamento Energético do Biogás, uma Estação de Reciclagem de Entulho, a Unidade de Compostagem, a Unidade de Recebimento de Pneus, uma Unidade de Recebimento de Pequenos Volumes, a Unidade de Educação Ambiental e uma célula especial para resíduos de serviços de saúde.
 

O lugar ocupa uma área de aproximadamente 1 milhão de m², sendo que o espaço tomado com resíduos aterrados é de 650 mil m². No local, há cerca de 24 milhões m³ de resíduos aterrados. A altura do maciço de resíduos é de 65 metros. Atualmente os resíduos de Belo Horizontes são enviados para o aterro de Macaúbas, em Sabará, localizado na rodovia MG 5, km 8.1, no bairro General Carneiro.

 

Compostagem


compostagem.jpg

 

O Programa de Compostagem da SLU prioriza a coleta diferenciada de resíduos orgânicos nas grandes fontes geradoras, como supermercados e feiras. Esses resíduos são misturados à poda triturada e revirados com trator em pátio aberto, onde ficam por aproximadamente quatro meses. Nesse tempo, o material é transformado em composto orgânico, por meio da decomposição dos microrganismos presentes na própria massa do resíduo. O produto gerado no processo, uma espécie de adubo semelhante ao húmus, é usado nas praças e parques da cidade.

Cerca de 40 estabelecimentos, entre sacolões e restaurantes públicos e privados, participam da iniciativa, comprometendo-se a segregar o resíduo e disponibilizá-lo à SLU. Por ano, são produzidas  2,3 mil toneladas de resíduos de compostagem.

 

Fornecimento de adubo

Instituições públicas podem entrar em contato com a Seção de Compostagem da SLU para retirar gratuitamente o composto orgânico para utilização em canteiros de paisagismo e urbanização em geral.

Os interessados devem enviar mensagem eletrônica para comunica.slu@pbh.gov.br ou ligar para 3277-9810.

 

Biogás


biogas.jpg

 

A Central de Aproveitamento Energético do Biogás, localizada na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR-040, km 531, no bairro Jardim Filadélfia, é o maior projeto mitigador de efeito estufa de Belo Horizonte. Pioneira em Minas Gerais, a estação processa e queima o gás metano produzido a partir da decomposição do lixo do antigo aterro sanitário da SLU. A  energia elétrica gerada é comprada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e distribuída por sua rede.
 

Com a central, deixam de ser lançados na atmosfera cerca de 4 milhões de toneladas de resíduos equivalentes ao CO², no período de 15 anos. O biogás também é utilizado como combustível para três motores capazes de gerar 1.426 MW de energia elétrica cada um, totalizando 4.278 MW de potência, o suficiente para abastecer 20 mil casas de consumo inferior a 100 KWh/mês.

 

Benefícios da Central de Aproveitamento Energético do Biogás:

- Geração de energia elétrica;
- Melhoria das condições ambientais;
- Redução do mau cheiro nos bairros vizinhos;
- Minimização de risco de incêndio;
- Redução das emissões responsáveis pelo efeito estufa;
- Redução dos efluentes atmosféricos;
- Aumento da estabilidade do aterro.

 

 

 

Alternativas para o tratamento do lixo contextualizadas à realidade de Belo Horizonte


Frequentemente a Superintendência de Limpeza Urbana de Belo Horizonte recebe sugestões para a mudança do sistema de coleta de lixo domiciliar atual. Para a SLU, perceber que temas importantes como a geração e a destinação dos resíduos estão na pauta e geram debates, é motivo de satisfação. Discutir estes temas é um passo importante para a conscientização da população e para um ambiente mais saudável.