Pular para o conteúdo principal

Varrição

atualizado em 16/04/2018 | 10:59

É o conjunto das atividades necessárias para reunir, acondicionar e remover os resíduos sólidos lançados nas vias públicas, por causas naturais ou pela ação humana. O trabalho é realizado em ruas, avenidas e outros logradouros públicos, podendo ser executado manual ou mecanicamente. O objetivo é minimizar riscos à saúde pública, manter a cidade limpa e prevenir enchentes.

O município de Belo Horizonte conta com o serviço manual e mecanizado de varrição de logradouros, englobando a limpeza de sarjetas, calçadas e áreas públicas, em 95% das vias urbanas pavimentadas. As equipes da SLU varrem cerca de 34 mil km de sarjetas por mês.

 
Planejamento de varrição

A fase de planejamento dessa atividade se divide na caracterização da área a ser atendida e na definição dos itinerários, com seus parâmetros básicos e características específicas – frequência, produtividade, extensões, pontos de apoio à equipe que executa a atividade, dimensionamento de mão de obra e de material. Posteriormente, são realizadas as etapas de implantação e monitoramento.

A frequência de varrição no município de Belo Horizonte varia conforme as características de ocupação dos logradouros, a intensidade do trânsito, o tipo de arborização e o fluxo de pedestres.

Os resíduos da atividade de varrição são acondicionados para coleta e transporte em caminhão coletor compactador até o aterro sanitário de Macaúbas, no município de Sabará, onde são adequadamente destinados.

 

Cestos Coletores

Para dar suporte às atividades de limpeza de vias, especialmente à varrição, a capital conta hoje com 26 mil cestos distribuídos nas áreas de maior fluxo de pedestres e comércio.

Além dos cestos de polietileno, dos metálicos simples e duplos, dispostos na faixa de mobiliário urbano dos passeios, a SLU instalou cestos metálicos cilíndricos em abrigos de ônibus e também em postes, segundo critérios do Código de Posturas do município.

 

Definição dos locais para a instalação das lixeiras

Atendendo ao Código de Posturas de Belo Horizonte e às leis de acessibilidade urbana, a SLU instala cestos coletores de resíduos leves nas faixas de mobiliário urbano (ao longo do meio-fio). A instalação acontece em praças, próximo às travessias, a pontos de ônibus e outros lugares onde for identificada a necessidade. Considera-se também a frequência de varrição local. 

São utilizados quatro modelos: metálico quadrado simples; metálico quadrado duplo; metálico cilíndrico, de 22 cm ou 25 cm de diâmetro, e de polietileno. Todos foram devidamente aprovados pela Comissão de Mobiliário Urbano da capital, considerando-se o volume de resíduo ao qual se destina, de forma a evitar impactos estéticos negativos e proporcionar conforto em relação aos pedestres e facilidade de remoção dos resíduos.
 

O recolhimento do lixo das lixeiras instaladas nas calçadas ocorre com a frequência de varrição do bairro, que pode acontecer uma, duas ou três vezes por semana. Já na área central, a retirada é feita todos os dias.
 

Como obstáculos e restrições à instalação desses equipamentos em nossa cidade, podemos citar a existência de redes subterrâneas que oferecem perigo na perfuração de passeios, postes com grande quantidade de tubos fixados ao seu redor, calçadas muito estreitas, acessos de garagens, além de rejeição ao equipamento por parte de alguns munícipes. A SLU realiza a manutenção rotineira dos cestos e a eventual instalação de novas unidades, sempre que for necessário.


Solicitações de novos cestos ou pedidos de manutenção devem ser feitos pelo telefone 156.