Pular para o conteúdo principal

Mais de doze crianças sentadas, ao fundo, três mulheres.
Foto: Lilian Lopes

Programa conscientiza estudantes sobre aedes aegypti

01/12/2017 | 14:51 | atualizado em 01/12/2017 | 14:57
O período chuvoso reforça em toda a cidade o alerta de combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. Na Regional Noroeste de Belo Horizonte, por exemplo, com o objetivo de sensibilizar um maior número de pessoas, principalmente crianças e adolescentes de Unidades Municipais de Educação Infantil (UMEIs) e escolas municipais, uma ação intersetorial entre as diretorias de Saúde e Educação está promovendo treinamento para monitores do programa Saúde na Escola. Paralelamente a isso, enfermeiras promovem palestras em UMEIs e creches conveniadas para despertar o interesse e participação dos alunos no combate ao foco de transmissão.  

A vice-diretora da UMEI Pindorama, Durce da Costa, explica como é recebido na unidade este trabalho da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH): “Essas atividades ensinam as crianças a fazer inspeção de focos do mosquito na escola e incentivam o diálogo para que este conhecimento seja praticado em casa também. A parceria com os postos de saúde trouxe muito benefícios para as UMEIs, pois é preciso ensinar desde cedo os cuidados necessários para garantir uma boa qualidade de vida”.

Um treinamento realizado na sede da Regional Noroeste no mês de novembro contou com a participação de dez monitores do programa Saúde na Escola das escolas municipais da região. Entre outras coisas, o encontro aplicado pelas técnicas de enfermagem repassa a estes monitores formas de conversa com os estudantes e incentivam a produção de gincanas, teatros, músicas e diversos outros métodos para despertar atenção e participação dos jovens.

“O treinamento foi dado na Regional Noroeste pela equipe de Saúde e abordou temas como desenvolvimento do mosquito e das doenças que ele transmite. Fizemos murais sobre a febre amarela, zika e dengue. Também distribuímos cartilhas informativas e realizamos uma palestra para falar sobre os cuidados e sintomas destas doenças”, afirmou Luana Paula Rodrigues Fonseca, monitora do programa Saúde na Escola, na Escola Municipal Nossa Senhora do Amparo, bairro Parque Riachuelo.

As enfermeiras do grupo volante realizarão ações nas UMEI e creches conveniadas, através da exibição do vídeo “Maluquinhos Contra a Dengue”.  Após a apresentação do filme é realizada uma conversa com as crianças para absorver o que foi aprendido. “Conversamos especificamente sobre o mosquito, pois esta é a raiz de um problema que se mostra persistente nos últimos anos. A prevenção precisa vir da população, deve ser um comportamento constante para acabar com o vetor da dengue e outras doenças”, ressaltou Luciana Ferreira, enfermeira da PBH que aplica os treinamentos e palestras sobre o combate ao mosquito.
 



Saúde na Escola

O programa Saúde na Escola tem o objetivo de desenvolver, ampliar e integrar ações de assistência, prevenção de agravos e doenças e promoção da saúde dos estudantes da Rede Municipal de Educação. Em Belo Horizonte, todas as escola municipais oferecem programa, por meio de ações intersetoriais coordenadas pelas Secretarias Municipais de Educação e Saúde em acordo com as diretrizes estipuladas pelos Ministérios da Educação e Saúde. 

A partir deste ano, o município vem ampliando o programa para todas as crianças matriculadas nas instituições próprias e parceiras da PBH, bem como para os jovens e adultos matriculados na modalidade Educação de Jovens e Adultos da Rede Municipal de Educação. 

Ações educativas de promoção da alimentação saudável e prevenção à obesidade infantil, de combate ao mosquito Aedes aegypti, de promoção à cultura de paz, de prevenção a acidentes, bem como ações de avaliação da saúde bucal e de avaliação da situação vacinal, dentre outras, são desenvolvidas nas escolas por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde e por agentes de outras políticas públicas em conformidade com o projeto político pedagógico de cada instituição de ensino.
 
 

01/12/2017. Ação contra Aedes Aegypti - Treinamento de Monitores. Fotos: Sidney Procopio/PBH