Pular para o conteúdo principal

Aluno de escola municipal, ajoelhado, escolhendo livros em uma prateleira.
Foto: Mara Damasceno/PBH

BH em Pauta: Escola tem projetos de incentivo à leitura

27/07/2017 | 15:44 | atualizado em 02/08/2017 | 08:15
Os nomes dos projetos são bem sugestivos: “Maluquinho por Leitura”, “Criaturas também Criam”, “Cordel Encantado” e “TV Meninada”. Todas essas iniciativas têm como principal objetivo despertar os alunos para a importância da leitura e da escrita como ferramentas imprescindíveis ao crescimento humano e à interação entre as diversas gerações. As ações são desenvolvidas pela Escola Municipal Pérsio Pereira Pinto, por meio da Biblioteca Professora Dora Parma, e já integram o projeto pedagógico da unidade, que assiste alunos do 1º ao 6º ano do ensino fundamental.


“Quando escrevemos, eternizamos nossas opiniões, pensamentos e sentimentos no tempo e na memória. Quando lemos, ampliamos as ideias e o conhecimento, seja sobre o mundo ou sobre nós mesmos”, afirma Wanessa Pulit, auxiliar de biblioteca há três anos na Escola Pérsio Pereira Pinto e uma das coordenadoras dos projetos. Para ela, o grande desafio é fazer as crianças e os adolescentes perceberem que, por meio da escrita e da leitura, eles podem criar a sua própria história.


Andréia Silva também é auxiliar de biblioteca e, com Wanessa Pulit, coordena os projetos de leitura desenvolvidos pela Biblioteca Professora Dora Parma. Ela está na EM Pérsio Pereira Pinto há aproximadamente seis anos e sente-se realizada com o trabalho desenvolvido: “É muito gratificante acompanhar de perto a formação do hábito de leitura nos alunos, a partir das ações lúdicas e interativas promovidas pela Biblioteca. As crianças e os adolescentes têm criado, cada vez mais, vínculo com esse espaço do saber.”


Criatividade e imaginação

O projeto “Maluquinho por Leitura” é o mais antigo de todos. Desenvolvida há cerca de 10 anos, a iniciativa proporciona aos alunos um contato direto com os livros, além de sensibilizá-los para o cuidado com o acervo, que reúne cerca de 16 mil livros. Cada estudante, do 1° ao 3º ano, recebe uma pasta personalizada e, uma vez por semana, escolhe um livro para levar para casa e ler com a família. O compromisso não se esgota com a leitura. Uma vez por mês é realizado um momento especial para que as crianças possam realizar a contação das histórias. O objetivo é instigar a imaginação, criatividade e a oralidade.


Letícia Pereira Adelaide, 11, já participou do “Maluquinho por Leitura” e hoje, no 5º ano, integra outras iniciativas, como o “Criaturas Também Criam”, implantado em 2015 pela escola. Por meio desse projeto, os alunos são convidados a participar de atividades que envolvem a leitura e a escrita na literatura, na música e no teatro. “Eu gosto de participar dos projetos da nossa biblioteca e sinto-me bastante feliz nesse universo da leitura. Aprendo muito com os livros, pois eles nos proporcionam muito conhecimento”, disse Letícia.


A criatividade das auxiliares de biblioteca Wanessa Pulit e Andréia Silva não tem limites quando o assunto é sensibilizar os alunos para a importância do conhecimento e do apoderamento da leitura e da escrita. O projeto “TV Meninada” retrata bem essa característica. Por meio dele, os alunos promovem debates, contam histórias, colhem depoimentos, trocam experiências e exercitam a fala.


Roda de conversa

O conhecimento sobre as diversas profissões também é uma frente de trabalho dos projetos desenvolvidos pela biblioteca. “Os alunos escolhem quais as profissões eles querem obter mais informações e nós trazemos os profissionais para uma roda de conversa com eles”, ressalta Wanessa Pulit. Já participaram dessa atividade na escola profissionais como atores, atletas, jornalistas, escritores e médicos.


Para o aluno Wesley Antônio Cândido Azevedo, 13, as atividades promovidas pela biblioteca da Escola Pérsio Pereira Pinto são muito atrativas. “É muito bom ter um espaço tão legal na escola, como é o da nossa biblioteca. Ela é aconchegante, tem eventos bacanas e uma diversidade de livros de ação e revistinhas, que são os que eu mais gosto de ler”, enfatiza Wesley.


O estudante participou, nos meses de maio e junho, do projeto Cordel Encantado. Durante as ações dessa iniciativa, os alunos puderam ampliar os conhecimentos sobre a literatura de cordel e participar, na própria escola, de uma apresentação artística com o ator Rodrigo Santos, integrante do grupo mineiro Boneco de Pano.
 
 

27/07/2017. Escola da região Nordeste sensibiliza alunos para universo da leitura. Fotos: Mara Damasceno/PBH