Pular para o conteúdo principal

Zoológico de BH recebe novos animais em seu plantel
Foto: Suziane Brugnara/Divulgação

Zoológico de BH recebe novos animais em seu plantel

criado em 15/07/2022 - atualizado em 15/07/2022 | 15:37

Quem visitar o Jardim Zoológico de BH neste fim de semana vai perceber alguns novos moradores no local. Trata-se de oito indivíduos de uma espécie de ave pouco conhecida, mas que é a segunda ave mais alta do mundo, perdendo apenas para o Avestruz: o Emu (Dromaius novaehollandiae). A espécie é “parente” de outra bastante conhecida, a Ema.

 

Os oito Emus vieram transferidos do Zooparque de Itatiba (São Paulo). São seis fêmeas e dois machos, todos com cerca de oito meses de idade.

 

Antes de irem para a área de visitação, os animais ficaram em quarentena numa área reservada do Zoo, próximo ao setor de veterinária, onde foram diariamente acompanhados e examinados para verificar suas condições de saúde e adaptação ao novo espaço.

 

Apesar do grande porte, os Emus possuem asas pequenas e não voam. Eles têm pescoços e pernas longos, e podem correr a uma velocidade de 48 km/h devido à musculatura das pernas ser altamente especializada. São, de modo geral, dóceis e, na natureza, vivem em áreas de florestas de savana e regiões de clima bem quente e de vegetação mais seca na Austrália (por isso também é popularmente conhecida como Ema Australiana).

 

Para receber os novos moradores, a equipe do Zoológico passou algumas semanas preparando o novo lar das aves, localizado na Praça das Aves, ao lado do recinto das Emas. O terreno foi nivelado e um lago e um banco de areia foram construídos. Foram criadas também duas áreas gramadas e cobertas, com bebedouro e comedouro. Um espaço também foi adaptado como área de manobras ou de cambeamento (locais utilizados pelos tratadores para realizar, com segurança, o manejo das aves ou a manutenção e limpeza do recinto). A ambientação interna do recinto, que deve tentar simular parte de seu habitat natural, foi feita com dois maciços de plantas arbóreas e um pergolado.  Já o paisagismo externo (jardineira do entorno) foi refeito, composto por áreas fechadas com bambus, a fim de criar uma barreira visual para os animais, oferecendo conforto e garantindo seu bem-estar.

 

Os Emus

 

Essa espécie é onívora, ou seja, mantém alimentação mista (de origem animal e vegetal). Os Emus forrageiam durante o dia e se alimentam de diversas espécies de plantas nativas e introduzidas. A dieta depende da disponibilidade sazonal, com plantas como as dos gêneros Acacia e Casuarina, além de gramíneas e sementes. Eles também comem insetos e outros artrópodes. Pedras pequenas são engolidas para auxiliar na trituração e digestão do material vegetal. Emus bebem água com pouca frequência, mas ingerem grandes quantidades quando surge a oportunidade.

 

A ave tem plumagem marrom-acinzentada de aparência desgrenhada; as hastes e as pontas das penas são pretas. A radiação solar é absorvida pelas pontas e a plumagem interna isola a pele. Isso evita que o corpo superaqueça, permitindo que sejam ativas durante o calor do dia.

Os emus atingem a maturidade sexual aos 2 anos de vida. Formam pares reprodutores durante os meses de verão (de dezembro e janeiro) e podem permanecer juntos por cerca de cinco meses. O acasalamento geralmente ocorre entre abril e junho (fazem seus ninhos durante a época mais fria do ano). O casal acasala diariamente ou de dois em dois dias e, a cada segundo ou terceiro dia, a fêmea bota de cinco a quinze ovos (que possuem tom verde escuro e casca grossa).  O filhote nasce aproximadamente 54 dias após a postura.