Pular para o conteúdo principal

Grupo recebe orientações próximo à encosta no bairro Cafezal
Foto: Jordana Flávia/PBH

Técnicos recebem treinamento para atuação em áreas de risco

18/09/2017 | 19:45 | atualizado em 18/09/2017 | 19:46

    A Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) treinou entre 11 e 13 de setembro cerca de 30 técnicos das gerências regionais de Infraestrutura Urbana para atuação nas áreas de risco durante o período chuvoso, que começa em outubro próximo e se estende normalmente até março. Com um módulo teórico e outro prático, a programação contemplou a apresentação do trabalho da Urbel nas áreas de risco geológico em vilas e favelas, as ações preparatórias para o período chuvoso (2017/2018), os fluxos de plantões e os critérios de atendimento, entre outros tópicos.
 

Outro instrumento importante utilizado pela Urbel e apresentado no treinamento foi o Diagnóstico de Áreas de Risco Geológico das Vilas e Favelas do município, que tem as áreas mapeadas e classificadas de acordo com o grau de risco geológico. Os técnicos também aprenderam a reconhecer os principais indicativos de risco geológico, a preencher a Ficha de Vistoria, que contêm os dados da moradia e da família que solicitou o atendimento, bem como as orientações técnicas e encaminhamentos feitos após a avaliação do risco e as ações pertinentes no momento da ocorrência de eventos de instabilidade.
 

No último dia de treinamento, os geólogos da Urbel levaram os técnicos para visitar uma área de risco da Vila Cafezal, no Aglomerado da Serra, região Centro-Sul. O objetivo foi simular uma vistoria em campo para ver de perto os indicativos de processo de instabilidade, como degraus de abatimento, trincas, estruturas inclinadas, tipo de solos instáveis, camadas de aterro e a relação deles com as moradias construídas.
 

Há dois anos trabalhando na área, o auxiliar de engenharia da Regional Leste Vilmar Alves da Silva vê na oportunidade de visualizar as situações em campo o ponto alto do treinamento. “A visita foi muito útil. É difícil encontrar todos esses elementos que vimos aqui em uma situação na qual não estejamos em uma emergência. Achei muito interessante ver essa camada espessa de aterro, que é difícil estar à mostra. A parte psicológica da abordagem ao morador também me chamou a atenção porque atendemos as famílias em uma hora crítica da vida delas e temos que saber como lidar com isso sem causar pânico, mas dando ciência da gravidade da situação”, explica. 
 

Segundo a diretora de Risco e Assistência Técnica da Urbel, Isabel Volponi, a Urbel promoveu esse treinamento porque no trabalho em áreas de risco geológico todas as parcerias são importantes. “E as Coordenações Regionais têm uma atuação primordial nas áreas da cidade formal, principalmente na época em que o número de vistorias é muito grande e necessita de uma logística de atendimento ágil.”
 

O engenheiro Maurício Brandão, da Regional Pampulha, aprovou o treinamento. “Essa preparação que estamos fazendo em conjunto é muito importante para a Prefeitura se antecipar ao problema. Belo Horizonte tem tradição de investir em prevenção e vem obtendo resultados muito positivos. Temos que continuar trabalhando nessa linha para preservar vidas na época das chuvas.”