Pular para o conteúdo principal

SLU retira 11 mil toneladas de lixo dos córregos de BH
Foto: PBH/ Divulgação

SLU retira 11 mil toneladas de lixo dos córregos de BH

criado em 19/01/2023 - atualizado em 19/01/2023 | 16:51

A Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) retirou 11.149,05 toneladas de resíduos de 166 trechos de córregos de Belo Horizonte durante o ano de 2022. Além do lixo descartado pela população nas margens e nos cursos d`água, os resíduos também incluíram a vegetação proveniente da capina e roçada realizada nas margens.

 

Na regional Norte foram retiradas 3.002,40 toneladas dos córregos, uma quantidade superior às demais regionais. “Isso se deve a um número maior de córregos na região e características, como uma largura maior entre uma margem e outra”, explica a chefe do Departamento de Serviços de Limpeza Urbana da SLU, Erika Santos Resende. Venda Nova foi a segunda regional com o maior número de resíduos retirados: 1.844,64 toneladas. As demais regionais registraram os seguintes números: Oeste, 1.461,00 toneladas; Noroeste, 1.408,03 toneladas; Leste, 1.200,20 toneladas; Barreiro, 742,19 toneladas; Pampulha, 558,30 toneladas; Centro-Sul, 472,07 toneladas; e Nordeste, 460,43 toneladas.

 

A limpeza dos córregos é realizada durante todo o ano em Belo Horizonte, com uma frequência mínima de três vezes. O serviço inclui capina, roçada e retirada de resíduos lançados indevidamente nas margens e no leito dos córregos. “Esse trabalho visa diminuir o assoreamento dos cursos d’água e os riscos de enchentes durante o período chuvoso, evitando obstruções ao longo da rede de drenagem. Assim, em situação eventual de transbordamento, há uma perspectiva de menor impacto para a sociedade”, diz a chefe do Departamento de Serviços de Limpeza Urbana.

 

Erika Resende ressalta que a contribuição da população é fundamental para a manutenção da limpeza nos córregos. “É preciso uma conscientização maior sobre os prejuízos que são causados quando se joga lixo nos córregos. Toda a comunidade é prejudicada. Córrego não é lixeira”, enfatiza. Ela orienta o correto descarte dos resíduos. “O resíduo doméstico deve ser destinado para o serviço de coleta domiciliar, nos dias e horários corretos. Para os recicláveis, como papel, metal, plástico isopor e vidro, sugerimos a adesão ao serviço de coleta seletiva. Já os resíduos de construção civil, poda e volumosos, podem ser levados para as Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (URPV)”, diz.

 

As URPVs recebem gratuitamente os resíduos que não são recolhidos pela coleta convencional, como entulho de construção e demolição, madeira, pneus, podas de árvores e jardins e móveis velhos, entre outros. Cada cidadão pode destinar até 1m³ por dia. Atualmente Belo Horizonte conta com 34 URPVs espalhadas por todas as regionais. Os endereços das URPVs estão disponíveis para consulta on-line.