Pular para o conteúdo principal

Foto ilustrativa do 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular
Foto: Divulgação PBH

Prefeitura anuncia resultado do 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular

02/12/2020 | 14:11 | atualizado em 02/12/2020 | 18:01

Os vencedores do 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular de Belo Horizonte foram anunciados nesta quarta-feira (2) pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Fundação Municipal de Cultura. Premiação tradicional na cidade, a iniciativa busca reconhecer, valorizar e divulgar a atuação dos mestres e mestras da cultura popular, responsáveis pela transmissão e perpetuação de saberes, celebrações e formas de expressão que compõem o patrimônio cultural imaterial da nossa cidade. O destaque desta edição é o aumento no número de contemplados, que é oito vezes maior que o da última edição, passando de três, em 2019, para 25 selecionados em 2020. Ao todo, R$ 375 mil serão pagos em premiações. A lista dos premiados pode ser acessada no portal da Prefeitura.

Secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin destaca que o aumento dos recursos da premiação - que passou de R$ 45 mil, em 2019, para R$ 375 mil, em 2020 - evidencia o compromisso da Prefeitura em fortalecer a política pública de valorização das manifestações populares e preservar o patrimônio imaterial de Belo Horizonte.

“Essa ampliação no número de beneficiados acontece em um momento oportuno, uma vez que muitas celebrações, fazeres e saberes da cultura popular, que tem na sociabilidade e no encontro coletivo o suporte para sua prática, não puderam ser realizadas este ano, em razão do distanciamento social necessário para o combate à pandemia da Covid-19. Ao publicarmos o resultado deste edital e dar prosseguimento ao pagamento dos mestres e mestras contemplados, damos mais um importante apoio à cultura neste momento desafiador e inédito que vivemos neste ano”, afirma.

O 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular de Belo Horizonte recebeu, ao todo, 93 candidaturas. Os 25 selecionados foram escolhidos pela Comissão de Habilitação e Seleção, que considerou aspectos como tempo de atuação do mestre na prática cultural, sua contribuição para a formação de aprendizes e continuidade da prática, importância para a formação de sentimentos de identidade e pertencimento e, por fim, situação de risco da prática cultural a qual o mestre se dedica.

Cada premiado receberá R$ 15 mil e uma placa alusiva ao título de “Mestre da Cultura Popular de Belo Horizonte”. Os recursos são provenientes do Fundo de Proteção do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte. Para se candidatar ao prêmio, o mestre ou mestra precisava ter idade igual ou superior a 50 anos, atuar em Belo Horizonte há pelo menos 10 anos e possuir o reconhecimento de sua comunidade.

 

Prêmio consolidado

O crescimento no número de inscrições aponta para a consolidação do Prêmio na cidade. Na primeira edição, em 2014, concorreram à premiação 30 candidatos; na segunda, em 2015, foram 19 inscritos; e na terceira, em 2019, foram 47 concorrentes. Nesta quarta edição, o número de candidatos praticamente dobrou, chegando a 93 inscrições efetuadas, das quais 77 foram habilitadas para etapa de classificação.

Cresceu também a diversificação das expressões/saberes culturais da tradição popular apresentadas nas inscrições: as candidaturas se distribuem em 10 categorias, abarcando saberes variados, relacionados a áreas como a culinária tradicional, festas, celebrações, capoeira, contação de história, música, dança, escultura e artesanato, entre outros. Um diferencial desta edição é que, entre os classificados, há a presença de circense, indígena e da literatura de cordel, ampliando o espectro das expressões/saberes culturais na fase final do Edital.