Pular para o conteúdo principal

Escola Imaco
Foto: Divulgação/PBH

PBH vai distribuir 45 mil chips com internet para alunos e professores

criado em 23/04/2021 - atualizado em 23/04/2021 | 17:50

A Secretaria Municipal de Educação publicou nessa quinta-feira, dia 22, um chamamento público para a contratação de 45 mil planos de dados para celulares e outros aparelhos móveis.  São 45 mil chips, com planos de internet, no valor de R$ 8,40 cada um, durante 1 ano, totalizando um gasto de R$ 4,5 milhões. 

 

Os chips atenderão cerca de 40 mil alunos dos anos finais (6º ao 9º ano) – que estão em ensino remoto mediado por tecnologias – e 5 mil professores da rede municipal que ainda não retornaram ao trabalho presencial e estão utilizando aparelhos domésticos.  

 

A secretária Municipal de Educação, Ângela Dalben, afirma que “o retorno da educação infantil será uma experiência gradativa e progressiva, começando pelos alunos de 0 a 5 anos até todos serem atendidos. Depois desta etapa, devem ser chamados ao presencial, aproximadamente 45 mil alunos de 6 a 8 anos, que estão em fase de alfabetização e que, por isso, têm muito mais dificuldades de adaptação ao ensino remoto.  O planejamento é que os alunos do ensino fundamental estejam no ensino híbrido, com rodízios em que ora estarão sob orientação presencial dos professores, ora executando atividades em casa”.  

 

Ainda sobre esta modalidade, a secretária admite que “a pandemia não passou e, certamente, viveremos momentos de mais baixa transmissão com possibilidades de irmos à escola, e em outros momentos é possível que tenhamos que optar pelo remoto. Isso é o que tem acontecido no mundo inteiro”.  

 

Por esta razão, a Prefeitura planeja que estes chips estejam nas casas de alunos e professores até meados de maio. A negociação com as operadoras foi longa e vem se desenrolando desde outubro de 2020, resultando em um chamamento que trará a efetividade do trabalho remoto e economia de escala. O valor conquistado na negociação é de R$8,40, o que, em escala, trará economia de mais de R$ 10 milhões no comparativo com os preços praticados no mercado. 

 

A Prefeitura também investiu em tablets para alunos e computadores para os professores. Foram comprados 2 mil tablets, já em uso pelos alunos desde janeiro, e é aguardada a entrega de 1.196 notebooks. De acordo com informações da Diretoria de Planejamento da Smed, ainda serão adquiridos pelo menos mais 20 mil tablets até o final do semestre. 

 

A corrida por equipamentos que estão escassos no mercado mundial, superaquecido durante a pandemia, sensibilizou até mesmo o Judiciário mineiro, que providenciou, por meio do juiz da Vara de Execução Penal, Wagner Cavalieri, uma doação para os estudantes de quase 500 celulares apreendidos em presídios e que seriam incinerados.