Pular para o conteúdo principal

A foto mostra um auditório com algumas pessoas olhando para um palco onde está uma mesa com sete pessoas e uma mulher de pé. Ao lado , na parede, vê-se uma tela de projeção, onde se lê Conae 2018. Há uma faixa atrás da mesa onde se lê VIII Conferência Municipal de Educação de Belo Horizonte e Conae BH.
Foto: Arquivo Smed/PBH

Novo Conselho Municipal de Educação é eleito em Conferência

06/07/2017 | 15:25 | atualizado em 06/07/2017 | 17:03

O início do mês de julho foi marcado por uma ampla discussão sobre educação em Belo Horizonte. Nos dias 29 de junho, 1º e 02 de julho aconteceu VIII Conferência Municipal de Educação e a etapa municipal da Conferência Nacional de Educação (Conae-BH). O evento reuniu cerca de 700 pessoas no Hotel Ouro Minas e motivou discussões sobre a educação no município e no país. Um dos momentos mais importantes foi a eleição dos novos membros do Conselho Municipal de Educação de Belo Horizonte (CME-BH), que aconteceu no domingo (02-07). A plenária final foi marcada para o dia 19 de agosto, em local que ainda será definido.
 

O CME-BH é composto por 24 membros, sendo que 13 titulares e seus respectivos suplentes foram eleitos durante a Conferência. Os onze restantes serão indicados por órgãos governamentais e entidades do setor educacional, conforme determina a lei. Para a atual presidente do Conselho, Gilka Maria de Morais Oliveira, a grande renovação no Conselho foi um dos pontos positivos em uma Conferência marcada pelo diálogo e debate de ideias.
 

“O mais importante desta Conferência foi oportunizar para diversos segmentos da sociedade e do poder público, num só lugar, uma discussão baseada nos eixos temáticos e proporcionar um rico debate e trocas de experiências sobre a educação municipal, além de construírem propostas que serão discutidas nas esferas estadual e nacional. Outro ponto importante foi a eleição dos novos membros do CME-BH, com destaque para a renovação de, aproximadamente, 80% dos seus integrantes”, afirmou.
 

As indicações feitas por órgãos e entidades estão previstas para acontecer na próxima semana e em seguida os novos membros tomarão posse no Conselho. William Boteri, eleito para compor o novo CME-BH no segmento de pais, já atuava no Conselho como presidente do Fundeb e disse que “é muito importante atuar nesse segmento, porque ele poderá unir a experiência de Fundeb e de pai de autista para ajudar em todo esse trabalho na área da educação. Nesse momento, a união faz a força e o que garantirá o sucesso desse novo Conselho é a união de todos os segmentos. Observei nessa Conferência que os pais precisam se articular melhor e terem um entendimento mais amplo da educação e, consequentemente, prepararem-se para o futuro. E eu, no segmento de pais, estarei lá, no CME-BH, para orientá-los. É um desafio, mas juntos vamos conseguir”, ressaltou.
 

Plenária final em agosto

 

Tanto a Conferência Municipal, quanto a Conae-BH, tiveram como base os oito eixos temáticos de discussão trabalhados nas pré-conferências, que ocorreram no dia 10 de junho em todas as nove regionais da cidade. Os delegados de cada eixo se reuniram em salas para debater e votar as propostas apresentadas nas pré-conferências. O material discutido em cada eixo será levado agora para a plenária final, na qual todos os 700 delegados terão a oportunidade de votar nas questões que não tiveram consenso nos grupos. Conforme discutido com todos os presentes, a plenária ficou marcada para o dia 19 de agosto, quando serão decididas as propostas finais da Conferência e eleitos os delegados que vão representar Belo Horizonte na etapa municipal da Conae.
 

Para a secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, a Conferência transcorreu de forma tranquila e, apesar de ter sido necessário marcar a plenária final para agosto, o evento rendeu muitos encaminhamentos importantes para a Educação na capital mineira. “A importância dessas discussões é que elas constituirão relatórios, analisados e consolidados, e comporão o documento base da Conae 2018. Da mesma forma, constituirão possibilidades de demarcação e reafirmação de posicionamentos relativos aos eixos sociais que fortalecem as políticas educacionais do município de Belo Horizonte. Tenho o compromisso de ter esses relatórios como referência para o trabalho de constituição e consolidação dessas políticas”, concluiu.