Pular para o conteúdo principal

Primeira-dama do município de Belo Horizonte, Ana Laender, abraça idoso cadeirante em Instituição de Longa Permanência para Idosos, durante o dia.
Foto: Adão de Souza/PBH

Dia Mundial da Gentileza é comemorado com intervenção artística

13/11/2018 | 19:52 | atualizado em 03/12/2018 | 13:02

No dia 13 de novembro é comemorado o Dia Mundial da Gentileza, criado em 1997, em uma conferência realizada em Tóquio, no Japão. Em Belo Horizonte, a data foi celebrada com mais uma intervenção artística promovida pelo Movimento Gentileza em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI). Dessa vez, a ação aconteceu no Recanto Feliz São Francisco de Assis, na rua Bonança, 128, bairro Betânia, região Oeste da cidade, que recebeu os artistas Carolina Jaued, Denise D’Ninja e Fernando Perdigão.

 

“É muito gratificante fazer esse trabalho, principalmente hoje, no Dia Mundial da Gentileza, para essas pessoas institucionalizadas. Levamos a arte, cor e a alegria para elas. Proporcionamos um dia de movimento, de pessoas que estão dispostas a se doar. Agradeço muito aos parceiros e aos padrinhos que adotam esses lares”, afirmou a primeira-dama Ana Laender.   

 

Todas as moradoras da instituição tiveram a oportunidade de participar da intervenção, utilizando estêncis e grafites. A coordenadora do Recanto Feliz São Francisco de Assis, Lúcia Helena, falou sobre a emoção das idosas com esse tipo de iniciativa.  “O movimento de hoje, essa gentileza, traz visibilidade para as nossas meninas. Esse muro colorido e essas pinturas fazem com que o idoso, ao olhar essa arte, se sinta amado e lembre do amor que foi dado a ele hoje em forma de pintura”, definiu.

 

Reforma

A instituição, que acolhe atualmente 18 idosas, recebeu também intervenções executadas pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura e da Sudecap. O Movimento Gentileza arrecadou os materiais para a reforma e a secretaria disponibilizou a mão de obra para a realização dos reparos, como pinturas, revestimentos de parede, recuperação de portas e janelas.

 

“É um prazer muito grande participar dessa ação. É um trabalho maravilhoso, um trabalho social, e com ele conseguimos fazer com que cada cantinho desse lugar seja melhor, para as moradoras ficarem mais felizes”, ressaltou o superintendente da Sudecap, Henrique Castilho.

 

Movimento Gentileza

O Movimento Gentileza, idealizado pela primeira-dama do Município e voluntária social, Ana Laender, leva para as ILPIs da capital intervenções realizadas por artistas convidados e voluntários, que revitalizam os espaços em que os idosos vivem. Além de proporcionar mais vida às instituições, as ações estimulam a interação entre os idosos e a arte. “O que nós fazemos é conectar as pessoas para movimentar a gentileza. As ações são contagiantes e transformam o dia das pessoas que fazem e das que recebem”, definiu.

 

Ana Laender começou a atuar voluntariamente, no Movimento Gentileza, para contribuir com o fortalecimento da arte urbana em Belo Horizonte. Inicialmente, a sua atuação consistiu em intermediar os pedidos de autorização apresentados pelos artistas para intervenções artísticas na cidade.

 

“A gentileza começa aí, abrindo espaço para os artistas e facilitando a comunicação com a Prefeitura”, explicou a primeira-dama. O resultado se materializou com a realização de diversas ações em vários pontos da cidade, como viadutos, escolas municipais e outros, como a Praça da Liberdade, em que os tapumes utilizados durante as obras de revitalização receberam grafites de vários artistas, transformando o local em uma galeria a céu aberto.

 

ILPIs

Ampliando a sua atuação, o Movimento passou a levar melhorias para as 28 Instituições de Longa Permanência para Idosos da capital, viabilizando reformas, revitalizações e o contato dos moradores com a arte. Durante quatro meses, a equipe envolvida na ação de voluntariado visitou todas as instituições, levantou as necessidades de cada uma e iniciou uma busca de apoiadores para reformá-las e equipá-las. Vários Lares de Idosos tiveram o mobiliário reformado, alguns receberam móveis novos, equipamentos diversos e intervenções artísticas que estão levando mais alegria para as pessoas residentes nesses locais.

 

Ana Laender reforçou a importância de ações contínuas e da união de pessoas por uma boa causa. “Cada ação realizada conta com parceiros, com órgãos da própria Prefeitura, com artistas e com madrinhas e padrinhos que abraçam e custeiam simbolicamente cada ação”, exemplificou.

 

Em pouco mais de um ano, de acordo com os integrantes do Movimento, o Gentileza já realizou ou apoiou diretamente dezenas de ações que contribuem para uma cidade mais gentil, cidadã e humana. As principais iniciativas, assinalam, são relacionadas ao fortalecimento da arte urbana e à melhoria da qualidade de vida, principalmente para os idosos.