Pular para o conteúdo principal

Presépio sustentável do Parque Municipal Américo Renné Giannetti.
Foto: Suziane Fonseca/PBH

Tradicional presépio é aberto no Parque Municipal de Belo Horizonte

10/12/2018 | 15:27 | atualizado em 10/12/2018 | 15:29
Já são 12 anos de tradição. E olha que tudo começou com um presépio pequeno montado na mesa de trabalho. Após todo esse tempo, a ajudante de serviços operacionais do Parque Américo Renné Giannetti, Joana Aparecida Teixeira, deixou a marca de seu trabalho inscrita na história da cidade. Ela é a idealizadora do presépio sustentável do Parque Municipal (avenida Afonso Pena, 1.377, Centro). Com muita criatividade e disposição, todos os anos a funcionária transforma folhas de palmeiras, de bananeiras, sementes, flores e frutos secos, serragem, palha, cola, purpurina, papel Kraft e outros materiais em peças e artefatos vistosos que compõem o tradicional presépio, uma das belas atrações da cidade nesta época do ano. 

E, mesmo ainda em processo de montagem, o presépio costuma atrair a atenção dos passantes que ficam diante da grade do Parque para admirar o zelo de Joana e de outros funcionários da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica no momento de arrumar “o palco” para a cena natalina. E na última quinta-feira, dia 6, foi o dia de transportar as figuras de Maria, José, Menino Jesus, Pastor, Anjo, Reis Magos (Gaspar, Baltazar e Belchior) e animais de uma sala administração do Parque, onde estavam sendo cuidadosamente preparados, para o local de exposição. Aos poucos, tudo foi tomando seu devido lugar. E a cena principal, do menino sagrado nascido em uma manjedoura, foi ganhando o olhar atento e a bênção do público. “É muito gratificante. É muito gostoso. Nenhum valor em dinheiro compraria essa alegria, essa satisfação de ver as pessoas contemplando o trabalho artesanal. Acho que passa uma energia muito boa para elas”, afirma a funcionária.



Mudanças a cada ano

Mesmo que a estrutura das figuras (feita com arame, cabaça e cabos de vassoura) seja a mesma de anos anteriores, a cada ano os personagens bíblicos ganham nova vida com roupas exuberantes e também com toques artísticos que variam conforme a criatividade de sua idealizadora. Normalmente, a temática do presépio segue o tema oficial da Campanha da Fraternidade. Em 2018 tal tema é “Fraternidade e Superação da Violência” e o lema “Vós sois todos irmãos”.

Adaptando o lema, Joana trouxe para sua criação o mote “Somos todos irmãos em Cristo” relacionando essa mensagem bíblica à necessidade de uma sociedade mais fraterna, igualitária e com menos violência. Para destacar um tema tão atual e complexo, a artista resolveu representar a mãe de Deus com a pele negra. “O fato de Maria ser negra carregando um filho branco (nascido em um lugar simples) se aproxima do sentido do tema da campanha. Somos todos iguais independente de cor, raça ou posição social.”, explica.

Para suas criações, a funcionária sempre procura lançar mão de materiais alternativos que possam ser recolhidos dentro do próprio Parque. Neste sentido, ela valoriza uma das metas da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica que é a sustentabilidade. Além disso, é necessário muito capricho e criatividade na hora de trabalhar com os materiais. 

Esse aprendizado foi adquirido ainda infância. “Desde criança eu trabalhava com ‘presepinhos’ com minha avó e minha mãe. Eles eram feitos de barro ou de papelão e a gente pintava com carvão. Ou seja, a gente ficava brincando de fazer presépio. Passados anos e anos veio essa necessidade de fazer esse presépio aqui e, de repente, virou essa tradição, essa coisa grande assim. É algo que eu gosto de fazer, baixa uma energia meio mágica. Em novembro o pessoal já começa a cobrar. Às vezes eu digo que não sei se vou fazer, mas daí a pouco eu já estou lá brincando com os papéis, embolando, criando as coisas, catando as sementes para poder decorar. E dessa brincadeira bonita, surge uma coisa que todo mundo gosta e que eu amo fazer”, afirma.



O que há de novo no presépio

Ao todo, o presépio do Parque possui oito personagens (José, Maria, menino Jesus, os três Reis Magos, um pastor e um anjo), uma estrela guia, uma ovelha com dois filhotes), uma vaca, um burro e um galo, além de guirlandas e enfeites diversos. Esses elementos ficam abrigados em uma cabana construída com palha, bambu e madeira. 

Neste ano, além da representação de Maria com pele negra e da troca das cores das vestes, o presépio ganhou uma manjedoura feita com um galho da árvore canela-sassafrás. “Com esse galho que a gente cortou, eu tive a ideia de fazer a manjedoura. Esse suporte lembra uma mão acolhedora”, destaca Joana.

O presépio poderá ser visitado nos dias de funcionamento normal do Parque, até 6 de janeiro de 2019. De terça a domingo, das 6h às 18h. A entrada é gratuita.
 
 

10/12/2018. Presépio do Parque Municipal. Fotos: Suziane Fonseca/FPMZB