Pular para o conteúdo principal

Mulher de vestido com as alças caídas, sentada em cadeira no palco, fala.
Foto: Guto Muniz

Teatro Marília recebe 2ª edição de mostra que discute arte, loucura e sociedade

07/05/2019 | 19:03 | atualizado em 07/05/2019 | 19:05

O Teatro Marília será palco, de 10 de maio a 2 de junho, da segunda edição da mostra “Nos Porões da Loucura”. Promovida pela Caligari Produções, a mostra convida o público a refletir sobre as relações entre arte e loucura e sobre a importância da luta antimanicomial e dos avanços nos tratamentos. A programação inclui atividades com entrada gratuita como debates, exibição de filmes e exposição de fotografia.

 

Também serão ofertados uma oficina com inscrições no valor de R$ 32,00 e espetáculos teatrais com ingressos vendidos na bilheteria do teatro por R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia) e antecipado no site do Sinparc por R$ 20,00 (preço único). A programação completa está disponível no site BH faz Cultura.

 

Com curadoria assinada pela jornalista, atriz e produtora Ana Gusmão, o evento tem como proposta promover uma programação artística e cultural diversificada voltada para a discussão sobre a importância da luta antimanicomial e sobre os avanços e retrocessos na área, verificados no país com o passar dos anos. “É certo que a luta antimanicomial já registrou várias vitórias nas últimas décadas no Brasil, mas o tema ainda merece destaque uma vez que o preconceito seguido da ignorância impossibilita boa parte desses pacientes de se inserirem, verdadeiramente, na sociedade”, afirma a curadora.

 

 

Nos Porões da Loucura

A mostra “Nos Porões da Loucura” é derivada da peça teatral homônima que estreou em maio de 2016 e já foi assistida por milhares de pessoas. Ao longo da programação, haverá nova temporada desse espetáculo, que tem narrativa adaptada a partir de uma série de reportagens do jornalista Hiram Firmino, realizadas no ano de 1979 e reunidas posteriormente em livro. Decisivo para a luta antimanicomial e para a reforma psiquiátrica, o livro foi vencedor do Prêmio Esso de Jornalismo em 1980.

 

A adaptação para o teatro possui dramaturgia e direção assinadas por Luiz Paixão e resgata o horror vivido pelos pacientes portadores de sofrimento mental ou por aqueles que simplesmente eram indesejados pela sociedade. Conta ainda com figurinos assinados pelo estilista Ronaldo Fraga, trilha sonora de Marcus Viana, e poderá ser conferida às quintas, sextas e sábados, às 20h30, e aos domingos, às 19h.

 

Para abrir a programação da mostra, no dia 10 de maio, às 19h30, haverá apresentação dos sambas-enredo dos desfiles do Dia Nacional da Luta Antimanicomial pelo Grupo dos Centros de Convivência da Rede de Saúde Mental de BH. Com entrada gratuita, a apresentação musical tem coordenação de Helvécio Viana e Luna Matos. Ainda na noite de abertura, às 20h30, acontece o primeiro espetáculo que integra a Mostra de Monólogos Femininos, “Ensaio para a Senhora Azul”, um solo da atriz Kelly Crifer. Elaborado a partir de uma pesquisa em torno da dramaturgia do corpo, a peça traz urgências diante do indizível da mulher, percurso e narrativas do feminino e a invisibilidade.

 

Também integram a Mostra Monólogos Femininos, que segue até o dia 12, os espetáculos: “Peixes”, de Ana Régis (dia 11, às 20h30), baseado em relatos reais anônimos e não anônimos de mulheres que sofreram violência doméstica, e “Rio da Lua”, de Madalena Rodrigues (dia 12, às 19h), inspirado na poesia sofrida de Stela do Patrocínio, interna da Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro. Os ingressos dos espetáculos são vendidos na bilheteria do teatro e no site do Sinparc.

 

Entre as apresentações, também se destaca, no dia 17, às 19h30, as cenas artísticas do coletivo de alunos do curso de Psicologia da PUC Minas, campus Coração Eucarístico. A ideia é integrar vários lugares de fala, abrindo espaço para que os estudantes exponham para o público seus pensamentos e manifestações através da música, poesia e teatro. Essa atividade tem entrada gratuita.

 

 

Exibições de filmes

Sessões gratuitas de cinema trazem curtas-metragens que discutem os temas da mostra. Em “Entrelinhas”, de Letícia Cardoso e Pedro MC, a proposta é pensar sobre o papel das instituições psiquiátricas, os tratamentos e as condições dos pacientes. O documentário “Gentileza”, de Dado Amaral e Vinícius Reis, apresenta o "Profeta Gentileza", que viveu no Rio de Janeiro; “Françoise”, de Rafael Conde, tem Débora Falabella no elenco e conta a história de dois desconhecidos solitários; e “História de Borboletas”, de Marcelo Brandão, acompanha os encontros e desencontros de um jovem casal no momento em que a mulher decide internar o marido em um hospital psiquiátrico.

 

 

Debates

Nos quatro domingos da mostra, debates com profissionais da área da saúde, artistas, usuários dos serviços da saúde mental de Belo Horizonte e familiares acontecerão no palco do Teatro Marília, após os espetáculos. No dia 12, às 20h, a conversa é sobre “O feminino e a loucura da violência”, com as debatedoras Dra. Ana Marta Lobosque e a atriz Madalena Rodrigues. No dia 19, às 20h15, o debate “As atuais políticas públicas na saúde mental” tem como convidados o Dr. Fernando Siqueira, coordenador de saúde mental da Prefeitura de Belo Horizonte, e a Professora Cristiane Barreto. O tema do dia 26 é “A família e a relação com os portadores de sofrimento mental”, a ser debatido por Marta Elizabete, Leida Maria de Oliveira Uematu, Madalena Luiz Tolentino e Fabricia Cristine Freitas. Por fim, no último dia da mostra, dia 2 de junho, às 20h15, o debate “O que querem os portadores de sofrimento mental hoje?”, com Marta Soares, Emílha Maria de Oliveira Marques e Valter Carvalho, promoverá um diálogo aberto com quem vivencia a realidade do sistema público de saúde mental. Todos os debates têm entrada gratuita.

 

 

Oficina e Lançamento de livro

A mostra oferece oficina de teatro nos dias 25 e 26, sábado e domingo, das 14h às 17h. Intitulada “A arte abriga a loucura ou a loucura abriga a arte?”, será ministrada pela atriz Meibe Rodrigues. Voltada para estudantes de psicologia, o objetivo é desenvolver, ao longo dos dois dias, atividades teatrais ligadas ao processo de criação do espetáculo “Nos Porões da Loucura”, permitindo aos estudantes vivenciar técnicas teatrais a partir da criação de personagens com a temática da loucura. Os interessados devem realizar suas inscrições pelo site do Sinparc. O valor é de R$ 32,00 para os dois dias, que totalizam 6 horas/aula.

 

Também no dia 25, a partir das 19h30, ocorrerá o lançamento do livro “Poemas de Zuzu”, de Maria Aparecida Andrade de Oliveira, com uma apresentação de recital de voz e violão com os músicos Sirlene Oliveira e Pedro Henrique. A publicação é uma coletânea de poemas que tratam temas como a vida, religiosidade e as idas e vindas de Zuzu nos hospitais psiquiátricos. Zuzu foi diagnosticada com “louca” na década de 60 e 70, quando, na verdade, sofria apenas de asma. Entre as idas e vindas de hospitais psiquiátricos, ela escrevia poesia, que serão agora publicadas pela família.

 

 

Exposições e Bar Suricato

A mostra também promove exposição fotográfica no foyer do Teatro Marília. Intitulada “Olhar antimanicomial – arte e dignidade”, a exposição reúne retratos e recortes do fotógrafo Fernando Barbosa e Silva, realizados durante manifestações do Dia da Luta Antimanicomial em Belo Horizonte, no dia 18 de maio. Ainda no foyer, os produtos das oficinas dos Centros de Convivência de Saúde Mental da PBH serão exibidos para o público. Artes plásticas, literatura e outras linguagens artísticas serão compartilhadas. Já no mezanino do Teatro, estará presente o Bar Suricato, um dos projetos da Associação Suricato, que promove inclusão social das pessoas em sofrimento mental através da culinária e da produção de artesanato.

 

 

II Mostra Nos Porões da Loucura

De 10 de maio a 02 de junho

Teatro Marília - Avenida Professor Alfredo Balinha, 586 – Santa Efigênia

Debates, exibições de filmes e exposições: ENTRADA GRATUITA

Espetáculos: R$40,00 (inteira), R$20 (meia) na bilheteria do teatro;

e antecipado R$20,00 no site do Sinparc

Oficina: R$32,00 no site do Sinparc 

Informações para o público: (31) 3277-6319