Pular para o conteúdo principal

Novo presidente da Fundação Municipal de Cultura, Romulo Avelar, tendo ao fundo o viaduto de Santa Teresa.
Foto: Divulgação

Romulo Avelar será novo presidente da Fundação de Cultura

17/08/2017 | 18:39 | atualizado em 21/08/2017 | 15:49

A Prefeitura de Belo Horizonte anuncia que o administrador, produtor e gestor cultural, Romulo Avelar, será o novo presidente da Fundação Municipal de Cultura. Romulo assumirá a instituição assim que for efetivada a criação da Secretaria Municipal de Cultura, prevista para o dia 1º de setembro. “Fiquei honrado com o convite do Juca Ferreira para estar ao seu lado nesse enorme desafio. Vejo na nova configuração que se desenha para a cultura de Belo Horizonte uma grande oportunidade para a formulação e a consolidação de políticas que potencializem ainda mais a cena cultural da cidade”, afirma Romulo.
 

Experiente na gestão cultural, Romulo Avelar atuou, entre outras instituições, no Teatro Alterosa e como consultor do Grupo Galpão. Também acumula experiência na área pública pela Prefeitura de Contagem e na Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais. Segundo ele, a ideia é trabalhar numa perspectiva coletiva, levando em conta a pluralidade das manifestações culturais. “Penso que essa construção a várias mãos é um caminho necessário para o fortalecimento do setor. Precisamos atuar, com firmeza, pelo estabelecimento de parcerias transversais, buscar maior aproximação com o legislativo e afinar nossa escuta para as demandas da sociedade civil. O caminho do coletivo pode não ser o mais simples, mas é sempre o mais efetivo”, completa.

 

Currículo

 

Administrador, produtor e gestor cultural, Romulo Avelar estudou na Escola de Produção Cultural da Fundição Progresso do Rio de Janeiro. Atuou em empresas como Fiat, MBR e Teatro Alterosa, e na área pública, como Superintendente de Cultura de Contagem, Diretor de Promoção da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes, Assessor Especial da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e Presidente da Comissão Técnica de Análise de Projetos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
 

Foi Consultor de Planejamento do Grupo Galpão e prestou consultoria a diversos grupos e entidades culturais. Nos últimos anos, tem ministrado cursos nas áreas de produção, planejamento e gestão cultural, em várias cidades brasileiras. É membro dos conselhos gestores do Galpão Cine Horto e da Casa do Beco, centros culturais de Belo Horizonte. Articulador do consórcio de gestores culturais Pense Cultura. Autor dos livros “O Avesso da Cena: notas sobre produção e gestão cultural” e "Do Grupo Galpão ao Galpão Cine Horto: uma experiência de gestão", este último produzido em parceria com o ator e diretor Chico Pelúcio.