Pular para o conteúdo principal

Sentados à mesa no Salão Nobre da PBH, o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, e o secretário municipal de Fazenda, Fuad Noman.
Foto: Amira Hissa/PBH

Prefeitura reforça atendimento e implanta Centros de Atendimento à Dengue

25/04/2019 | 21:02 | atualizado em 29/04/2019 | 21:21
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, acompanhado dos secretários municipais de Saúde, Jackson Machado, e de Fazenda, Fuad Noman, apresentou, nesta quinta-feira, dia 25 de abril, as ações realizadas pela Prefeitura para o enfrentamento da dengue na capital mineira e anunciou novas medidas para reforçar o atendimento na área da saúde. Neste sábado, dia 27, sete centros de saúde estarão abertos e entrarão em funcionamento três Centros de Atendimento à Dengue (CAD), em caráter emergencial.

 

Desde o último dia 13, centros de saúde estão sendo abertos aos sábados, período em que foram realizados mais de 600 atendimentos. O prefeito Alexandre Kalil assinalou que a Prefeitura faz um trabalho permanente de combate à dengue.

 

“A prevenção da dengue tem sido anual na cidade de Belo Horizonte. Eu não sou governador do Estado, sou o prefeito de Belo Horizonte. Morreram duas pessoas em Belo Horizonte, uma delas é residente de Ibirité e é muito importante divulgar que o Governo do Estado deve para a saúde, só para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, R$ 1 bilhão. O novo governo deve R$ 240 milhões e quem está sendo tratado como o vilão não é quem deu o tiro no coração, é quem está tentando tirar a bala”, afirmou.

 

De acordo com o secretário Fuad Noman, os recursos para a saúde estão garantidos, mesmo com a falta de repasses do Governo do Estado para Belo Horizonte. “Na história de Belo Horizonte nenhum governo aplicou tanto recurso na saúde quanto o governo Kalil tem aplicado. A Prefeitura está fazendo um grande trabalho de contenção de despesas em diversas áreas, mas não estamos poupando nenhum centavo na saúde”, assegurou.

 

Além da abertura de sete centros de saúde, com os Centros de Atendimento à Dengue (CAD) a expectativa é facilitar o acesso pela população. O secretário Jackson Machado recomenda que as pessoas procurem preferencialmente os centros de saúde. “Os centros de saúde atendem pessoas com problemas geralmente mais simples e tem competência para resolver casos de suspeita de dengue, a UPA é um atendimento de urgência e o CAD é um serviço que atende unicamente as pessoas que suspeitam estar com dengue. CAD é uma ação emergencial que estamos montando para que essas pessoas possam fazer o diagnóstico e receber o tratamento”, informou.

 

Como salientou o secretário, serão três Centros de Atendimento à Dengue (CAD) implantados e a previsão é que o primeiro, no Barreiro, seja aberto até este final de semana:

 

CAD1 - Barreiro – Complexo Barreiro / Referência para Barreiro, Oeste e Noroeste. Endereço: Praça Modestino Sales Barbosa, 100, Flávio Marques Lisboa.

 

CAD2 - Venda Nova – 2º andar da UPA Venda Nova / Referência para Venda Nova, Pampulha e Norte.

 

CAD3 - Nordeste – UPA Nordeste / Referência para Nordeste, Centro-Sul e Leste.

 

 

Centros de saúde abertos no sábado, dia 27, das 8h às 17h

 

1. Centro de Saúde São Bernardo – Norte

Rua Vasco da Gama, 334 – São Bernardo

 

2. Centro de Saúde Andradas – Venda Nova

Rua Mariana Amélia de Azevedo, 21 – São João Batista

 

3. Centro de Saúde Tirol – Barreiro

Rua Nélio Cerqueira, 15 – Tirol

 

4. Centro de Saúde Santa Terezinha – Pampulha

Rua Senador Virgílio Távora, 157 – Santa Terezinha

 

5. Centro de Saúde São Paulo – Nordeste

Rua Padre José Alves, 357 – São Paulo

 

6. Centro de Saúde Vila Imperial – Oeste

Rua Guilherme Pinto da Fonseca, 350 – Madre Gertrudes

 

7. Centro de Saúde Carlos Prates – Noroeste

Rua Frederico Bracher Júnior, 103 – Carlos Prates