Pular para o conteúdo principal

Crianças sentadas em uma mesa para receber alimentação em escola infantil
Foto: Divulgação PBH

Prefeitura oferece atendimento completo aos alunos das escolas municipais

07/06/2019 | 20:22 | atualizado em 11/06/2019 | 09:47

A política educacional da Prefeitura de Belo Horizonte, além de um atendimento pedagógico de qualidade, inclui também diversas ações para oferecer um atendimento completo aos estudantes. Um exemplo é o trabalho que a Secretaria Municipal de Educação desenvolve de forma conjunta com a Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, responsável pela alimentação dos alunos da Rede Municipal de Educação. São, em média, 400 mil refeições/dia para os mais de 200 mil alunos. Em 2018, no total, foram servidas 82.566.569 refeições, quase dez milhões a mais em comparação com 2016, em que foram servidas 72.674.388.


O cardápio, preparado por nutricionistas, é pensado para atender a todos de forma balanceada e saudável, incluindo as 713 crianças com restrições alimentares, como alergia ao leite de vaca, doença celíaca e diabetes, matriculadas nas escolas municipais e instituições parceiras. Érika Ferreira, mãe de Bento Miguel, de um ano, relata que foi na rede municipal que encontrou profissionais preparados para o acolhimento de seu filho, que apresenta alergia à proteína do leite de vaca e está matriculado na Escola Municipal de Educação Infantil Sarandi, na regional Pampulha. “A Prefeitura, por meio da coordenação da escola, desenvolve um trabalho lindo e organizado. Nós visitamos tantas escolas particulares e não conseguimos esse objetivo. Hoje temos um filho 'incluído', que está amando a escola”, considerou Érika.


A satisfação com o atendimento da Emei Sarandi é compartilhada por Sirley Araújo Carvalho, mãe de Gabriela, quatro anos, diagnosticada com diabetes. Para Sirley, a participação da escola é vital para o bem-estar da filha. “Quando ela não come, a escola me liga e eu vou até lá para medir a glicemia e, se necessário, aplicar a insulina. Sei que posso contar sempre com a equipe e fico muito feliz, agradecida com a preocupação, carinho e dedicação com a minha filha. Achei incrível a preocupação em separar o suco sem açúcar para a Gabi no dia da Festa da Família”, relatou.

 

Acolhimento diferenciado

 

Diabetes Mellitus, dislipidemias, doença celíaca, fenilcetonúria, intolerância à lactose, alergia à proteína do leite de vaca, obesidade e sobrepeso. Para que seja garantida a adequação dos cardápios para alunos regularmente matriculados na rede pública municipal e na rede parceira, os pais e/ou responsáveis devem comprovar a necessidade, por meio de parecer ou prescrição médico nutricional ou fonoaudiológico, com renovação anual, ou sempre que houver alteração na sua condição de saúde.


A prescrição é encaminhada à direção da escola, que entrega uma cópia para a supervisora de alimentação da Subsecretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Ciente do diagnóstico, a supervisora orienta a execução da prescrição dietética, indicando as adaptações nos cardápios e a aquisição de gêneros alimentícios específicos.


As orientações contidas na prescrição devem ser cumpridas rigorosamente. No entanto, é fundamental que a alimentação seja a mais próxima possível daquela oferecida aos demais alunos, buscando garantir a igualdade de acesso e a socialização do aluno ao se alimentar com os colegas.

 

Alimentação escolar em BH

 

Na capital mineira, a Política Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional segue as orientações do Programa Nacional de Alimentação Escolar, garantindo o direito à alimentação escolar, com acesso de forma igualitária, respeitando as diferenças biológicas entre idades e condições de saúde dos alunos que necessitem de atenção específica e daqueles que se encontrem em vulnerabilidade social.


O programa, em Belo Horizonte, tem a sua gestão realizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, por meio da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, de forma compartilhada com a Secretaria Municipal de Educação. Os cardápios da alimentação escolar são elaborados por nutricionistas, com utilização de gêneros alimentícios básicos, observando as referências nutricionais, os hábitos alimentares e a cultura alimentar, pautando-se na sustentabilidade, sazonalidade, diversificação e em uma alimentação saudável e adequada.

 

Crianças se alimentam sentadas em mesa na escola

 

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

Três crianças descem em escorregador inflável durante o dia. BH é da Gente tem blitz junina, oficinas de esporte e recreativas no dia 23/6

Programa tem blitz junina nas unidades Savassi (Centro-Sul) e Araribá (Noroeste) e brincadeiras infantis na unidade Silva Lobo (Oeste).

19/06/2019 | 20:49
Vegetação verde em caminho que tem uma passarela acima. Paisagem do Parque Nossa Senhora da Piedade. Confira os principais eventos gratuitos que acontecem em BH neste fim de semana

Confira os principais eventos gratuitos que acontecem em BH neste fim de semana, entre os dias 20 e 23/6.

19/06/2019 | 16:03