Pular para o conteúdo principal

Olho humano com foto verde com a palavra Conjuntivite escrita em cima.
Arte: PBH

Prefeitura de Belo Horizonte orienta sobre conjuntivite

02/04/2018 | 19:30 | atualizado em 13/06/2018 | 16:29

Os centros de saúde da capital registraram, nesta época do ano, um aumento do número de casos de conjuntivite. A maioria dos casos é atendida nas próprias unidades da Atenção Primária e os pacientes que apresentam complicações são encaminhados para os hospitais de urgência oftalmológica que atendem o SUS-BH, sendo a Clínica de Olhos da Santa Casa, o Hospital São Geraldo do Hospital das Clínicas/UFMG e o Instituto Hilton Rocha.
 

Casos individuais de conjuntivite não são de notificação compulsória, mas os profissionais de saúde devem notificar ocorrência de surtos da doença. Esses surtos são definidos como dois ou mais casos com vínculo, ou seja, quando há contágio entre pessoas e ocorrência da doença no mesmo período. 
 

Este ano, as regionais que apresentaram maior número de casos foram Leste, Norte, Nordeste, Oeste e Pampulha. No total, há 2.497 pacientes envolvidos em surtos nos Centros de Saúde de BH, segundo os dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). 

 

Sintomas

A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, que é a membrana que recobre a porção anterior da esclera e a face interna das pálpebras. A doença é transmitida de pessoa a pessoa, principalmente por objetos contaminados como toalhas, travesseiros, lenços, lápis, copos, entre outros.
 

Os principais sintomas da conjuntivite são olhos irritados ou vermelhos, inchaço nas pálpebras e secreção ocular ou lacrimejamento. Diante dos sintomas, a população deve procurar os centros de saúde, que podem dar diagnóstico e orientações quanto ao tratamento e controle. Os casos de maior gravidade estão sendo encaminhados para serviços de referência, com atendimento de urgência. 

Formas de prevenção:  

- Lavar as mãos com frequência ou utilizar o álcool gel a 70%

- Evitar colocar as mãos nos olhos e coçá-los

- Não compartilhar objetos de uso pessoal como maquiagem, toalhas, óculos, travesseiros, fronhas, copos, lenços, lápis

- Evitar banhos de piscina

- Evitar locais com aglomerações de pessoas

- Cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar com toalha/lenço de papel, descartá-los em seguida e lavar as mãos.