Pular para o conteúdo principal

Mulher palestra de pé, à esquerda, homem está sentado à direita, quatro mesas com pessoas à frente e vários telões sobre Belo Horizonte, em sala.
Foto: Divulgação PBH

PBH revela experiências inovadoras na regularização urbana, em encontro no Japão

06/12/2019 | 15:53 | atualizado em 06/12/2019 | 17:47

A convite do Banco Mundial, a Secretaria Municipal de Política Urbana foi convidada a representar o Brasil no encontro Technical Deep Dives para discutir questões como infraestrutura, serviços e meios de subsistência em assentamentos urbanos de baixa renda de Belo Horizonte, no Centro de Aprendizagem para o Desenvolvimento de Tóquio, no Japão.

 

O evento, que termina nesta sexta-feira, dia 6, promove a troca de conhecimento e aprendizado entre profissionais e funcionários de governos locais sobre questões relacionadas a favelas e outras comunidades informais e meios de subsistência para essa população.

 

Coube a Belo Horizonte apresentar o plano de ação da Secretaria de Política Urbana para a região da ocupação Izidora, compreendendo a necessidade de intervenções mais céleres devido à dinâmica e urgência de regularização do território.

 

Além disso, a Prefeitura apresentou a Política de Habitação Popular, por meio da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel), que promove a regularização através de planejamento integrado e de previsão de urbanização completa. 


 

O evento

O Technical Deep Dives é organizado pelo Grupo de Soluções Globais de Habitação de Baixa Renda e Pobreza Urbana do Banco Mundial em parceria com o Centro de Aprendizagem para o Desenvolvimento do Banco Mundial. Mais de 60 pessoas, incluindo delegados do governo de vários países, participam do evento.

 

O evento busca aprofundar o conhecimento e fornecer ferramentas práticas para o desenho e implementação de intervenções que melhorem as condições de vida e oportunidades para aqueles que vivem em comunidades informais, bem como gerenciar a atividade econômica informal em ambientes urbanos.

 

Além disso, contribui para o progresso do desenvolvimento, inclusive para a consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, especificamente o Objetivo 11, que é tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. O objetivo do Banco Mundial é ainda reduzir a pobreza e aumentar o compartilhamento de informações.