Pular para o conteúdo principal

Árvores rodeiam calçamento e bancos e mesa de cimento; paisagem do Parque Rosinha Cadar, durante o dia.
Foto: Divulgação PBH

Parque Rosinha Cadar é garantia de tranquilidade para moradores e trabalhadores

10/01/2019 | 17:51 | atualizado em 10/01/2019 | 18:23
O Parque Municipal Rosinha Cadar, que ocupa metade de um quarteirão no bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, é hoje, junto com a Praça Carlos Chagas (conhecida como Praça da Assembleia), um dos mais frequentados espaços para lazer e descanso ao ar livre para quem vive ou trabalha na região. 

Com área de aproximadamente 6.900m², o parque oferece mesas e bancos para acolher os visitantes. O projeto arquitetônico e paisagístico valoriza a vegetação e convida os visitantes a repousar sob a sombra das copas das árvores, onde também vivem e se reproduzem algumas dezenas de aves, entre bem-te-vis, sanhaços e beija-flores, que não raramente surgem durante o horário do almoço e encantam os frequentadores do local. 

Entre as espécies da flora, estão presentes paineiras, mangueiras, palmeiras, oitis, pau-rei, eucaliptos brancos, acácias, ipês e jambo, que formam um imponente bosque em meio à agitação comercial do bairro Santo Agostinho e à intensa ocupação imobiliária. 

O parque foi implantado em 1994, por meio da resolução municipal nº 6.523/94, atendendo aos pedidos da população local para transformação da área em um espaço de lazer público. 

Nos dias mais quentes do ano, o parque é uma boa opção para um refresco. “O bosque do parque é muito convidativo. Em novembro, quando as temperaturas estavam altíssimas, eu vinha diariamente fazer meu intervalo de trabalho aqui, pois o clima é muito agradável. Aqui, faz pelo menos 2 graus a menos do que nas ruas do entorno”, conta Tamara Gonçalves, que mora e trabalha na região. 

Nos fins de semana é também muito comum a frequência de cães, uma vez que a entrada dos pets no local é permitida. Porém, como reforça a gerente do Parque, Tatiani Cordeiro, o tutor do animal é responsável pelo recolhimento das fezes, que devem ser depositadas nas lixeiras disponíveis. 

A gerente chama a atenção para a obrigatoriedade do uso de guia/coleira em todos os animais (mesmo os dóceis e de raças pequenas) e para a recomendação de vermifugação, vacinação e também a de aplicação de carrapaticida em todos os pets que frequentam o local. “Contamos com a conscientização de todos para o uso dos medicamentos preventivos e das coleiras, principalmente, porque os pets possuem instintos”. Ela explica que ainda que mansos, os pets podem causar acidentes. “Eles podem correr repentinamente em direção a algum estímulo – seja um outro animal, seja comida ou mesmo uma pessoa que fez um movimento mais brusco – e, nesse momento, fazer um idoso ou criança tropeçar e se acidentar”, afirma Tatiani. 



Serviço

Horário de funcionamento: De terça-feira a domingo, das 8 às 18h.
Localização: Rua Rodrigues Caldas, 315 / Rua Matias Cardoso, 126, Bairro Santo Agostinho
 
 

10/01/2019. BH em Cantos - Parque Rosinha Cadar. Foto: Divulgação/FPMZB


Últimas Notícias

Setembro verde: mês da pessoa com deficiência. Rumo a uma cidade inclusiva e sustentável. Torcedores com deficiência entram em campo na luta pela inclusão

Torcedores com deficiência entrarão em campo com atletas do Cruzeiro e do Flamengo neste sábado, dia 21/9, no Mineirão.

20/09/2019 | 23:18
Casal passeia com criança em cadeira de rodinhas e outroas pessoas caminham na Savassi, no domingo, durante o dia. BH é da Gente oferece ioga, encontro de carros e orientação nutricional

Show de talentos, ioga, encontro de carros e orientação nutricional são atrações do BH é da Gente no domingo, dia 22/9.

19/09/2019 | 20:26