Pular para o conteúdo principal

ampo espaço com vestes afro, fotos na parede e outros adereços do mesmo tema.
Foto: Ricardo Laf/PBH

Museu Abílio Barreto sedia exposição sobre trajetória afrodescendente

29/10/2019 | 20:14 | atualizado em 30/10/2019 | 08:42

A Fundação Municipal de Cultura realiza, no Museu Histórico Abílio Barreto, nos dias 29, 30 e 31 de outubro, esta terça, quarta e quinta-feira, a formação para educadores "BH Memórias Negras", com o Teatro Negro e Atitude. A proposta é oferecer a educadores, agentes culturais e agentes de turismo a oportunidade de reflexão sobre a história e trajetória afrodescendente na cidade e formação para a mediação cultural calcada em pilares poéticos, estéticos e filosóficos da cultura afro-brasileira. Para participar é necessária a inscrição prévia, que pode ser feita pelo e-mail educativomhab@pbh.gov.br. Os interessados podem se inscrever para os três dias ou para dias separados. A atividade é gratuita.

 

A programação oferece três dias de atividades distintas e complementares entre si. A iniciativa do setor educativo do Museu Histórico Abílio Barreto, busca marcar a importância em se pautar a história afro-brasileira na cidade em diálogo com educadores de toda a cidade sobre o tema. As atividades serão conduzidas pelos artistas e educadores do Teatro Negro e Atitude, grupo com décadas de história na cena cultural belo-horizontina. Elas são voltadas para educadores de espaços formais e não formais de educação sendo que não há pré-requisito para a participação.

 

Na terça-feira, dia 29, está prevista a palestra “Memórias Negras”, com Marilene Santos, um olhar sensível às singularidades da presença negra na cidade, em diálogo com o acervo atualmente em exibição na exposição “NDÊ! Trajetórias afro-brasileiras em Belo Horizonte”, em cartaz até 2020, com curadoria de Josemeire Alves e Simone Moura.

 

Na quarta-feira, dia 30, é a vez de “Vivência Griots”, com Marcus Carvalho, voltada para educadores e pautada nos princípios éticos e estéticos dos griots africanos, no intuito de estimular a criatividade do educador para o desenvolvimento de atividades educativas por meio da arte de contar histórias.

 

Na quinta-feira, dia 31, a programação inclui duas sessões especiais de mediação à exposição NDÊ! Trajetórias afro-brasileiras em Belo Horizonte, conduzidas pelo grupo. Sessões às 14h30 e às 19h.

 

O "BH Memórias Negras" representa, por parte da instituição de memória, a abertura de espaço de reflexão, encontro e formação específico para agentes da educação, turismo e cultura sobre o legado afro-brasileiro na história da cidade, considerando suas diversas dimensões: cultural, artístico, religioso, científico, de lutas sociais, entre outros.

 

 

Em cartaz

A principal exposição em cartaz no Museu Histórico Abílio Barreto atualmente é “NDÉ! Trajetórias Afro-brasileiras em Belo Horizonte”. A mostra apresenta a multiplicidade e a diversidade de contribuições africanas e afro-brasileiras para a construção da história de Belo Horizonte. O conjunto apresentado constitui-se de imagens e vozes de mulheres e homens de origem africana, captados em situações diversas, de trabalho, lutas políticas, insurgências, religiosidades, vida familiar, em diferentes temporalidades.

 

Os objetos textuais, iconográficos e audiovisuais, de uso familiar ou público, convidam a perceber a presença forte e fundamental da população negra neste território, produzindo-o e sendo dele, no entanto, alijada. A exposição pode ser visitada de terça a domingo, das 10h às 17h, quartas e quintas-feiras, das 10h às 18h30. A entrada é gratuita.

 

 

Programação

29/10 | terça | 19h - Palestra Memórias Negras, com Marilene Santos

Olhar sensível às singularidades da presença negra na cidade, representadas nas peças em exposição no museu.

 

30/10 | quarta | 19h - Vivência Griot, com Marcus Carvalho

Vivência na arte de contar histórias partindo de princípios poéticos e éticos dos Griots africanos.

 

31/10 | quinta | 14h30 e 19h - Mediação especial Olh'os Pretos, com Jéssica Pierina e Ana Elisa Gonçalves

Visita mediada à exposição NDÊ! Trajetórias Afro-brasileiras em Belo Horizonte: uma experiência lúdica e sensorial.