Pular para o conteúdo principal

Fachada da Prefeitura de Belo Horizonte durante o dia.
Foto: Stênio Lima/PBH

Hackathon encerra I Semana Belo Horizonte Cidade Inteligente

27/04/2018 | 19:56 | atualizado em 27/04/2018 | 19:57

O Hackathon PBH - IoT, Dados Abertos e Soluções Urbanas marcou o encerramento da I Semana Belo Horizonte Cidade Inteligente, na sexta-feira, dia 27 de abril. Com o objetivo de apresentar soluções para diversos problemas da cidade, a maratona de programação promovida pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Prodabel, contou, nesta edição, com a participação de 32 equipes.

 

Dessas, 16 equipes chegaram no horário marcado na sede da Prefeitura e garantiram o direito de demonstrar o trabalho, já que a pontualidade estava prevista no regulamento da competição. O primeiro lugar ficou com a equipe Smart EQ Pro, formada por alunos do curso de Engenharia Química da Newton Paiva. Eles apresentaram uma solução que promove a interação entre escolas da capital e incentiva o compartilhamento de informações, gerando conhecimento para mais alunos.

 

“Nossa solução pode ser utilizada para temas variados e pode unir pessoas, sejam professores ou alunos, que tenham o mesmo interesse em determinado assunto”, afirmou Lucas Orlando Duarte, capitão da equipe. O time ganhou uma viagem para conhecer as instalações do Centro de Inovações da Microsoft, em São Paulo, além de R$ 2 mil em créditos da Uber, mentorias com especialistas renomados e ações e parcerias com a Fumsoft.

 

O segundo lugar ficou com a equipe do FabLab, também da Newton Paiva. Eles apresentaram um sistema de segurança que utiliza as luminárias “inteligentes” que estão em fase de implantação na cidade e permite a comunicação entre vizinhos e a Polícia, para evitar roubos, assaltos, furtos, entre outras ocorrências.

 

Como prêmio, o grupo vai conhecer o Centro de Inovações da Cisco, no Rio de Janeiro, e também terá mentorias e parcerias com a Fumsoft.  Para o estudante e integrante da equipe, Marley Rosa Luciano, a experiência ficará marcada para sempre. "O prêmio nos dará uma enorme experiência na área de tecnologia. Ter a chance de trocar informações e experiências com pessoas que estão no ramo de IoT é inigualável", disse.

 

Já a medalha de bronze foi compartilhada por duas equipes, uma formada por empregados da Prodabel e outra de alunos do Cotemig. Como elas apresentaram soluções semelhantes e despertaram o interesse da BHTrans, a partir de a agora os dois grupos trabalharão em conjunto para criar um aplicativo que permite que pais e responsáveis possam acompanhar o trajeto dos filhos que utilizam o transporte escolar. "Esse projeto é um anseio que tenho há anos e ter reconhecimento é um estímulo importante", afirmou Renato Abras, da Gerência de Engenharia e Processo de Software da Prodabel.  

 

Vale ressaltar que em um Hackathon todas as propostas apresentadas podem se transformar em soluções no futuro. O presidente da Prodabel, Leandro Garcia, fez parte da banca avaliadora e destacou a qualidade dos trabalhos apresentados no Hackathon. “Agradeço a todos os envolvidos, jurados, organização, apoiadores e os parceiros. Fizemos uma competição de altíssimo nível. Foi difícil selecionar os vencedores, o que mostra que tivemos ótimas propostas”, considerou.

 

Hackathon

Hackathon significa maratona de programação. O termo resulta de uma combinação das palavras inglesas “hack” (programar de forma excepcional) e “marathon” (maratona). O encontro reúne pessoas das mais diversas áreas, em especial programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares para uma verdadeira jornada intensa de programação.

 

O objetivo é que as equipes desenvolvam ações ligadas à tecnologia que solucionem problemas existentes. Os vencedores recebem um prêmio como forma de reconhecimento. Porém, o detalhe é que, mesmo sem conquistar o primeiro lugar, todos os participantes deixam um legado para a cidade, que, por sua vez, passa a ser a principal vencedora do processo

 

I Semana Cidade Inteligente

A I Semana Belo Horizonte Cidade Inteligente foi aberta no último dia 20 e contou com uma série de atividades, entre elas os lançamentos do aplicativo BH App e do programa BH Lab, a inauguração do Laboratório Aberto de IoT (Internet of Things, em inglês, ou Internet das Coisas) na sede da Prodabel, palestras, entre outras ações.  

 

“A capital reúne todas as condições para, de fato, ser a cidade mais inteligente do País. Para isto, ações como a Semana Belo Horizonte Cidade Inteligente são muito importantes, porque colocam em um mesmo espaço diversos atores fundamentais neste processo, como especialistas, inclusive de fora do Brasil, a academia, aceleradoras, empreendedores, entre outros. O saldo é bastante positivo”, afirmou Leandro Garcia.