Pular para o conteúdo principal

Estudantes da Rede Municipal de Belo Horizonte aprendem Matemática com o Xadrez

criado em 16/05/2022 - atualizado em 16/05/2022 | 15:57

Aproveitando os equipamentos de Tecnologia da Informação disponibilizados pela Prefeitura de Belo Horizonte para as escolas municipais, os professores Alexandre Henrique de Medeiros e Cláudia Mara Cardoso desenvolveram o projeto Matemática e mídias, para os alunos do 3° ciclo, da Escola Municipal Prof. João Camilo de Oliveira Torres. O objetivo é estimular o raciocínio lógico, com a prática do xadrez dentro das aulas de Educação Física.

Segundo os professores, responsáveis pelo projeto, a turma é dividida em grupos. “Enquanto uma parte desenvolve atividades em sala, com o uso do tablet, outra turma dedica-se à prática do xadrez. Um jogo que exige estratégia e ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico, ampliando a assimilação de vários conteúdos, como probabilidade, progressões geométricas, geometria plana e outros”, explica Cláudia.

Os jogos utilizados nos tablets são totalmente voltados para a aprendizagem dos estudantes. Os professores selecionam as atividades em uma plataforma digital e elas são levadas para a sala de aula em formato de QR Code. Isso permite que os alunos leiam o código e iniciem os jogos. Com o uso da tecnologia, segundo a professora Cláudia Mara, houve um aumento do interesse dos adolescentes nas aulas de Matemática: “Eles se envolvem mais e se empenham nas atividades, mesmo aqueles que têm mais dificuldade se interessam em resolver as questões dos jogos, além de ocorrer a troca de informações entre eles”, acrescenta.

A Prefeitura de Belo Horizonte investiu, desde o início da pandemia, mais de R$ 100 milhões na aquisição de equipamentos tecnológicos para uso de alunos e professores da rede municipal. De 2020 até agora, a Secretaria Municipal de Educação já entregou quase 50 mil chips com planos de Internet, 48.349 tablets e 28 mil notebooks, garantindo acesso tecnológico à comunidade escolar.  

No início da pandemia, por causa do ensino remoto, a prioridade foram os estudantes com maior dificuldade de acesso e as famílias, que foram mapeadas, assinaram o termo de responsabilidade pelo empréstimo do Tablet e receberam as instruções de uso. Agora, os equipamentos estão disponíveis nas salas de aula, em todas as escolas da rede municipal.  A faixa etária prioritária são alunos do 4º ao 9º ano, que têm mais autonomia para o uso deste tipo de tecnologia.