Pular para o conteúdo principal

Atores ensaiam esquete "Mala lúdica"
Foto: Flávia Carvalho

Esquete apresenta programa social

19/10/2017 | 15:27 | atualizado em 19/10/2017 | 16:33

Educadores do Programa Mala de Recursos Lúdicos estiveram no auditório da sede da Coordenadoria de Atendimento Regional Leste, nos dias 16 e 18 de outubro, para ensaiar a esquete teatral “Mala lúdica”. A equipe, que atua nas nove regionais de Belo Horizonte, leva ao conhecimento da sociedade, por meio da arte, programa social voltado para atender pessoas com deficiência.
 

De acordo com a coordenadora do Programa, Elaine Fernandes, atualmente o Mala de Recursos Lúdicos conta com 18 educadores, dois por regional, sendo que cada um deles atende a 18 famílias em domicílio. “O atendimento é voltado para as pessoas com deficiência que vivem em uma família com fragilidade emocional ou que estão em isolamento social. O objetivo maior é a inclusão dessas pessoas”, afirma Elaine.
 

A principal ferramenta de trabalho dos profissionais que executam o Programa é uma mala, que é composta de bonecos, jogos, fantoches e balões. Esses objetos são utilizados como estímulos à integração e expressão das pessoas com deficiência e seus familiares. “Junto com a mala, levamos várias atividades: teatro, jogo, brincadeira, com o foco principal de mostrar à pessoa que está em isolamento social que ela consegue fazer coisas, sair de casa, interagir com a família”, conta um dos educadores que atende a região Leste, Luciano Leão.
 

Segundo Elaine, além dos recursos físicos da mala, os profissionais que a levam às famílias também são considerados “mala”, pois carregam com eles uma bagagem de vida. “A mala tem toda uma simbologia. O que cabe nessa mala? Cabe até o que não se vê; o que você não sabe, e o lúdico dá conta disso”.