Pular para o conteúdo principal

Sete crianças e uma monitora participando de brincadeiras com corda
Foto: Ricardo Laf/PBH

Escola Livre de Artes valoriza as brincadeiras de criança

09/11/2018 | 17:34 | atualizado em 09/11/2018 | 17:48
A Escola Livre de Artes - Arena da Cultura (ELA) está inserida na política de formação e descentralização da Fundação Municipal de Cultura, oferecendo cursos e oficinas artísticas para públicos diversos nas nove regiões da cidade. E em consonância com o Plano Municipal de Cultura e o Estatuto da Criança e do Adolescente, tem desenvolvido, desde 2011, atividades formativas voltadas para o universo da infância, como oficinas diversas e os Encontros de Brinquedos e Brincadeiras.

As oficinas infantis são várias, dentro das sete áreas de atuação da ELA: artes visuais, circo, dança, design cultural, música, patrimônio cultural e teatro. A “Dança para Crianças” e a “Dança Infantojuvenil”, para faixas etárias distintas, compreendem propostas individuais e coletivas exploradas de maneira lúdica e criativa; Também há a “Área de Circo” com a oficina “Brincadeiras Circenses”, que prevê a prática de malabarismo, acrobacias e equilibrismo; entre outras. 

Já os Encontros de Brinquedos e Brincadeiras acontecem em parceria com os Centros Culturais e o Centro de Referência da Cultura Popular. Eles visam garantir e afirmar o direito à cultura da infância e à formação de crianças, adolescentes e adultos com um espírito brincante, criativo, solidário, democrático e transformador, possibilitando crescimento saudável e interações enriquecedoras.

A gerente da Escola Livre de Artes - Arena da Cultura, Raquel Castro, ressalta a importância desse trabalho para a valorização da cultura. “A cultura da infância faz parte dos processos criativos e representativos da cultura popular e das tradições culturais brasileiras. Os brinquedos e as brincadeiras não estão restritos ao universo das crianças, ele está presente nas cantigas de rodas, nas histórias contadas e passadas de geração para geração, na literatura, nas rodas de cultura tradicional, nas rodas de samba e nas festas populares”, completa. 
 

Comunidade

Lilian Silva, 33 anos, moradora do Conjunto Felicidade, frequenta o Centro Cultural Jardim Guanabara e aprova as atividades ofertadas pelos Encontros de Brinquedos e Brincadeiras, em que seus filhos estão envolvidos, especialmente o mais velho. “Tenho dois filhos que participam, Leandro Gabriel, de 11 anos, e Sofia, de 1 ano e meio. Leandro ficava muito na rua, mas um dia eu descobri o Centro Cultural, que agora significa muito pra mim porque, após a escola, o Leandro tem essas atividades. Ele faz capoeira, aula de brincar e aula de informática também.” Lilian enfatiza como isso é importante para a formação da criança. “É muito bom porque é um período que ele não fica na rua. O Centro é um lugar onde ele ocupa a mente, brinca, se diverte e é bem tratado”, salienta.

Wanderleia Anastácia de Oliveira, 42 anos, moradora do bairro Floramar e frequentadora do Centro Cultural Jardim Guanabara fala com entusiasmo dos Encontros de Brinquedos e Brincadeiras e desse elo que se cria entre como se brinca hoje e como era no passado. “Meus filhos participam desde o início. E mudou muito a vida do meu filho de 13 anos, que era uma criança nervosa e agora está mais calmo, além de estar aprendendo brincadeiras que ele nem conhecia. Ele brinca de corda, de rouba-bandeira, de brincadeiras que eu brinquei na minha infância... É muito importante resgatar isso! Esse espaço é muito importante e eu acho que todos os bairros deveriam ter um”, completa.

Gislene dos Santos, 37 anos, moradora do bairro Nossa Senhora de Fátima e frequentadora do Centro Cultural Vila Fátima, é mãe de seis filhos, sendo que os quatro mais novos participam das atividades para crianças desenvolvidas no Centro e, desde então, a família como um todo vem se beneficiando com essa dinâmica. “Pra gente mudou muito para melhor. Eles eram mais agressivos e ficavam só dentro de casa, mas com as brincadeiras e a biblioteca isso mudou. É muito bom, pois eles gostam e porque eles saíram bastante da televisão. Antes, eles acordavam com a televisão ligada e agora eles acordam e vão para o Centro Cultural para participar das oficinas e encontros de Brinquedos e Brincadeiras”, relata.

Raquel Castro destaca que os brinquedos e brincadeiras também são expressões culturais reconhecidas como patrimônio brasileiro. “O ato de brincar e confeccionar brinquedos são manifestações do patrimônio lúdico cultural que valorizam práticas tradicionais. Essas práticas se contextualizam nos dias de hoje em diversas comunidades e podem ser comparadas com brinquedos e brincadeiras existentes também em outras épocas e culturas”, ressalta.
 

Descentralização

A ampliação das ações desenvolvidas pela ELA para o público infantil é uma das metas trabalhadas, segundo Raquel. “Em atenção à demanda apresentada pela população no Seminário Formação em Foco, realizado no 1º Semestre de 2018 pela Escola, objetivamos chegar a todos os territórios da cidade”, afirma. Em setembro deste ano, por exemplo, foram abertas 20 novas oficinas para o público infantil e infantojuvenil e há mais 12 novas ofertas de Encontros de Brinquedos e Brincadeiras em novos dias e horários nas nove regionais de Belo Horizonte.

Todas as oficinas da ELA são gratuitas mediante uma inscrição. Já para os Encontros de Brinquedos e Brincadeiras não há necessidade de inscrição, apenas comparecer ao local no dia e horário da atividade. É bastante comum que as crianças participem sozinhas ou acompanhadas de algum responsável. “Os participantes compartilham momentos lúdicos de interação social e famílias são estimuladas a vivenciar brincadeiras populares, valorizando a confecção de brinquedos, o trabalho com o corpo, o desenvolvimento da oralidade, e o reconhecimento das artes e elementos da cultura brasileira presentes nas brincadeiras”, finaliza Raquel.

Escola Livre de Artes - Arena da Cultura
Oficinas no Núcleo de Formação e Criação Artística e Cultural - NUFAC (avenida dos Andradas, 367, sala 301A, Centro), nos Centros Culturais da PBH e nos Núcleos BH Cidadania.
Telefone: (31) 3277-4656 / E-mail: dpiai.fmc@pbh.gov.br
 

09/11/2018. Valorização da cultura da infância na Escola Livre de Artes. Fotos: Ricardo Laf/FMC

Últimas Notícias

Lago e casa cercado de plantas no Parque Jacques Costeau, no bairro Betânia. Confira os principais eventos gratuitos que acontecem em BH neste fim de semana

Confira os principais eventos gratuitos que acontecem em BH neste fim de semana, de 15 a 18/11.

14/11/2018 | 16:01
ônibus estação São Gabriel, na rua, durante o dia. Com aumento anunciado do metrô, tarifa de integração sofre alteração

Tarifas integradas com o metrô sofrem alteração devido a aumento anunciado pelo Governo Federal. 

13/11/2018 | 19:34