Pular para o conteúdo principal

Oito crianças e adultos, sentados, assistem palestra de monitor sobre obesidade infantil.
Foto: Mara Damasceno/PBH

Centro de saúde investe em combate à obesidade infantil

26/02/2018 | 16:02 | atualizado em 05/03/2018 | 09:27
Prevenir doenças crônicas, combater o sedentarismo e a obesidade infantil, provocar mudanças no estilo de vida das crianças e dos adolescentes. Esses são os principais objetivos do projeto Promoção da Alimentação Saudável e Qualidade de Vida, desenvolvido pelo Centro de Saúde Maria Goretti, região Nordeste de Belo Horizonte. 


O projeto consolidou-se como uma importante ferramenta na luta contra a obesidade infantil. A iniciativa surgiu a partir de um diagnóstico que apontou um elevado número de crianças e adolescentes com excesso de peso assistidos pelo Centro de Saúde Maria Goretti. Segundo a pediatra responsável pelo trabalho, Dalva Lúcia da Costa, o índice de crianças obesas com risco de desenvolver doenças crônicas era muito alto e isso em função de sedentarismo  e de hábitos alimentares inadequados. A partir desse levantamento, foram iniciadas diversas ações envolvendo as crianças e as famílias.


A cada seis meses, um grupo integrado pelos pais e pelas crianças que precisam de assistência é formado. Nesse período, são realizados encontros mensais para sensibilização das crianças e envolvimento das famílias. Os temas abordados referem-se à qualidade da alimentação, importância da prática de atividade física e mudanças no estilo de vida. As atividades são executadas de maneira lúdica, por meio de teatro, brincadeiras, passeio e até oficina que ensina como preparar um lanche saudável.

 
O trabalho contempla ainda o acompanhamento dos parâmetros clínicos e laboratoriais dos assistidos e o levantamento dos resultados obtidos. O envolvimento dos pais em todo o processo é fundamental. “As crianças e os adolescentes não têm consciência dos riscos de uma alimentação inadequada e de uma vida sedentária. Cabe, portanto, aos pais a responsabilidade de educar os filhos priorizando sempre uma alimentação saudável e a prática de atividade física”, ressalta a pediatra Dalva Costa. Para ela, o trabalho preventivo, realizado desde os primeiros anos de vida, é primordial para evitar doenças futuras.


  
Interação, sensibilização e promoção da saúde

O projeto Promoção da Alimentação Saudável e Qualidade de Vida conta com o apoio e envolvimento de toda a equipe do Centro de Saúde Maria Goretti – coordenação, Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), enfermeiras, auxiliares de enfermagem, nutricionista, médicos e educador físico. A interação entre eles garante o sucesso das ações desenvolvidas. Até uma peça teatral os ACSs criaram a fim de alertar e sensibilizar as crianças, os adolescentes e os pais para a importância de se manter hábitos saudáveis.


De forma lúdica, a apresentação “Mudanças de Hábito” retrata a história de duas famílias: uma que se preocupa com a alimentação saudável de todos os membros da família e a prática de atividades físicas, enquanto a outra não tem essa preocupação e oferece muitas guloseimas aos filhos, que têm uma alimentação inadequada e uma vida sedentária. Euta da Silva Resende, Agente Comunitária de Saúde há 18 anos no Centro de Saúde Maria Goretti, é uma das personagens da apresentação e assídua integrante do projeto. “É muito gratificante promover saúde e conseguir sensibilizar as famílias para as mudanças de comportamento em relação à alimentação”.


Cristiane Alves de Souza, 39 anos, mãe de Ana Clara Rodrigues, 9, participa do projeto pela primeira vez e já aprovou o trabalho no primeiro encontro. “Participar desse grupo vai ser muito proveitoso, pois tenho que rever os hábitos alimentares da Ana Clara e de toda a família. Ela tem apenas 9 anos e está com excesso de gordura corporal e isso pode afetar negativamente a saúde dela”, disse Cristiane.  

 

26/02/2018. Projeto Alimentação Saudável. Fotos: Mara Damasceno/PBH