Pular para o conteúdo principal

O agente público Ricardo Amora bebe água com caneca própria, evitando o uso de copos descartáveis.
Foto: Aline Pereira/PBH

BH em Pauta: PBH faz campanha para consumo consciente

11/07/2017 | 16:03 | atualizado em 14/07/2017 | 10:20
Uma competição entre quem economiza mais em impressões é realizada mensalmente entre servidores da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Informação (SMPL). Com direito, inclusive, a divulgação de um ranking entre os setores. Este é apenas um dos estímulos para fortalecer práticas de consumo consciente, com a adoção de uma série de medidas cotidianas para gerar economia aos cofres públicos. Com o tema “Para economizar, o esforço tem que ser conjunto”, a campanha permanente desenvolvida pelo órgão estimula os funcionários a tomarem medidas simples, no dia a dia, que podem fazer toda a diferença nas contas do fim do mês.


Atitudes como as adotadas pela servidora Sandra Costa, que trabalha na Gerência de Pesquisa e Análise das Relações do Trabalho. Ela conta que dá preferência ao envio de e-mails ao invés de ofícios impressos e que desliga o monitor quando vai para uma reunião ou almoço. Também prioriza o uso das escadas em detrimento do elevador, apaga as luzes ao sair da sala e raramente liga o ar condicionado. “Acho que essas medidas devem ser tomadas para vida toda e ensinadas para outras gerações. Estamos em um mundo de recursos finitos e a atitude de cada um faz toda diferença.”
 

Os hábitos de Sandra e dos outros colegas de trabalho já refletem nos números. No consumo de energia elétrica, por exemplo, os dados dos primeiros meses de 2017 na SMPL indicam queda significativa de quilowatts se comparados ao mesmo período de 2016. A planilha demonstra que, de janeiro a maio, a média de economia de um ano para o outro foi de 32,4%.


Outras boas práticas

Em relação à diminuição do uso de papel, todas as impressoras da secretaria foram configuradas para imprimir frente e verso automaticamente. Os rascunhos também são reaproveitados. “Ao invés de amassar ou rasgar e jogar na lixeira, pedimos aos servidores que usem essas folhas para novas impressões, do lado que está em branco, ou que encaminhem para confecções de blocos, feitos por colaboradores do nosso almoxarifado e devolvidos para uso diário do solicitante”, explica Maria Lourdes Pequeno, presidente do programa Sou Seletivo, outra iniciativa da SMPL para práticas sustentáveis. Tais medidas contribuíram para uma redução de 21,68% no consumo de resmas no primeiro quadrimestre de 2017, em comparação ao mesmo período do ano passado.
 

Cláudio Gonzaga é o responsável pela confecção dos blocos. Segundo ele, são produzidas, mensalmente, cerca de 50 unidades, cortadas em dois tamanhos.” Já fazíamos há alguns anos, mas intensificamos a produção no início de 2017, com o trabalho de divulgação que reforçou a importância da reutilização do papel”, explica Cláudio.
 

A competição de quem economiza mais em impressões mobiliza todos os setores da secretaria. “Com isso, promovemos uma competição saudável, que reforça a proposta do consumo consciente. Só no mês de março, toda a SMPL chegou a economizar 43,65% em relação ao mesmo mês de 2016”, explica a chefe de gabinete da SMPL, Mônica Bernardi.
 

Para frear o uso de copos descartáveis, a SMPL incentivou o servidor a trazer um copo ou a garrafinha de casa, o que se tornou uma cultura no local. O agente público Ricardo Amora, da gerência de almoxarifado e compras, tratou logo de arrumar uma caneca para tomar café e água, abandonando de vez o uso dos descartáveis. “Temos que ter a consciência de que, mesmo tendo materiais à nossa disposição, só devemos utilizar os que realmente são necessários”, comenta ele. A atitude de Cláudio e de outros funcionários já fizeram a diferença. Os relatórios apontam uma diminuição em 50% no volume de utilização desse item, em comparação aos seis primeiros meses de 2017 com o mesmo período de 2016.


Balanço


O secretário da SMPL, André Reis, diz que os relatórios demonstram a importância da adesão dos servidores à iniciativa. “O esforço realmente vem sendo conjunto e impactando positivamente nos números”. Ele destaca que o resultado vai ao encontro de uma das premissas desse governo. “Devemos gastar menos com serviços burocráticos e internos para investir mais na qualidade de vida das pessoas, dos cidadãos. Verificamos, em nosso último levantamento, que a economia com papel A4, copos descartáveis e energia elétrica foi de aproximadamente R$ 75 mil, comparando os cinco primeiros meses de 2017 com o mesmo período de 2016. Só alcançamos tal economia pela determinação e empenho dos servidores. Estão todos de parabéns. Vamos prosseguir”, enfatiza Reis.
 
 

11/07/2017. Consumo Consciente. Fotos: Aline Pereira/PBH