Pular para o conteúdo principal

Mulher mostra bolsa artesanal feita com tecido e partes de calça jeans na banca onde vende produtos semelhantes.
Foto: Agdalice Araújo/PBH

BH em Pauta: Feira da Cidadania na Centro-Sul

22/08/2017 | 15:11 | atualizado em 24/08/2017 | 08:21
Moradora do bairro Salgado Filho, Rosa Aparecida Evangelista integra o grupo de cerca de 200 artesãos que todas as sextas-feiras expõem os produtos na Feira Espaço da Cidadania, das 8h às 17h, na avenida Bernardo Monteiro, no quarteirão entre a rua Timbiras e a avenida Brasil. No local, são comercializados produtos diversos, desde anéis, brincos e colares a lingeries, bolsas e bonecas.

Rosa trabalhava em uma escola perto de casa, mas com a chegada do filho que necessita de cuidados especiais em tempo integral, ela reinventou o tempo e o trabalho dela. Passou a frequentar a escola do filho e, com sobras de tecido, começou a produzir artesanato, confeccionando bolsas e mochilas em casa. “Se não fosse este espaço para expor meu trabalho e o apoio que tive, acho que eu não teria conseguido”, afirma Rosa, visivelmente emocionada.

As professoras da escola perceberam o potencial das peças e encaminharam Rosa para a Feira Espaço da Cidadania, onde ela já expõe há mais de 15 anos. As peças são resultado da transformação de retalhos e roupas que recebe de lojistas e mesmo de clientes. “O dinheiro que consigo é bom. Mas o mais importante é ver histórias de pessoas com dificuldades até maiores que a minha. Esta feira para mim foi crescimento, convivência e ensinamento”, define Rosa.


Cidadania

Todos os expositores do espaço são pessoas atendidas ou que possuem membros da família atendidos pelas políticas públicas da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio das coordenadorias municipais – que são órgãos do executivo que atuam na articulação e na promoção de ações para a garantia de direitos.

Atualmente, a Secretaria de Políticas Sociais abriga cinco coordenadorias: a da Promoção da Igualdade Racial, dos Direitos da Mulher, dos Direitos dos Idosos, dos Direitos da Pessoa com Deficiência e dos Direitos da População LGBT – sendo que esta última foi criada na gestão do prefeito Alexandre Kalil.


Qualidade fideliza clientela

A geração de renda para o segmento economicamente mais vulnerável ainda é novidade para muitas pessoas que frequentam a Feira Espaço da Cidadania, mas a qualidade e beleza dos produtos, faz a clientela voltar sempre. Vânia Tanure é moradora do bairro Funcionários e conta que sempre que precisa de um bom presente vai buscar na feira. “Aqui são diversas opções e produtos muito bem acabados. Agora que sei que os expositores são deste segmento, virei ainda mais. Porque acho que esta é a função do poder público, incentivar, fomentar e dar condições de as pessoas trabalharem”, afirma a advogada que desconhecia o viés social da feira.

E se o cliente volta sempre, ele vira amigo. Foi o que aconteceu com a comerciante Elena Vidigal Santana e a artesã Graça Santos. Moradora da Rua Ceará, Elena conta que sempre vem às duas feiras, a de artesanato e de flores. “Converso com as pessoas, encontro os vizinhos e faço amizades. As feiras são uma forma de aproximar as pessoas, de você conhecer a cultura e a tradição local e de valorizar o nosso patrimônio artístico.”

Elena foi à feira buscar uma toalha de mesa encomendada e conta que a aproximação é importante e gera confiança mútua. “Eu fiz o pedido pelo whatsapp, expliquei o tamanho e ela me deu o preço. Agora quando chego para pagar ela diz que ficou mais barato, porque conseguiu utilizar menos tecido, fazendo emendas que não aparecem. Que tipo de comerciante faz isso? Apenas aqueles com que você estabeleceu uma relação de confiança e amizade!”


Expectativa de ampliação

A aprovação da reforma administrativa municipal deve ampliar a possibilidade de abertura de novas vagas para a Feira Espaço da Cidadania. Segundo a secretária de Políticas Sociais, Maíra Colares, além de barracas destinadas a produtos vinculados à pasta da Segurança Alimentar e Nutricional, a ideia é que as oportunidades se abram também ao público ligado à Coordenadoria da Juventude. “São dois segmentos que têm tudo para agregar valor à feira, e o público jovem vai ter um espaço para mostrar sua arte e seu trabalho, que são tão pulsantes na cidade.”
 
 

22/08/2017. Feira espaço da Cidadania. Fotos: Agdalice Araújo/PBH