Pular para o conteúdo principal

Dez telas pintadas por alunos em frente a E. M. Delfim Moreira; cerca de cinco passantes caminham pela calçada.
Foto: Divulgação PBH

BH em Pauta: Escola municipal expõe pinturas de alunos

29/09/2017 | 15:09 | atualizado em 29/09/2017 | 17:32

Pedestres e motoristas mais atentos que passam em frente à Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Delfim Moreira (rua Espírito Santo, região central de Belo Horizonte) já perceberam que os muros da escola estão com um colorido diferente. Vinte telas pintadas por alunos e professores enfeitam a parte externa e chamam a atenção de quem transita pelo local.
 

A Umei atende cerca de 350 crianças de 3 a 5 anos e as pinturas são resultados de meses de trabalho. A vice-diretora da unidade, Fernanda Duarte Dutra, explica o que motivou a exposição para toda a comunidade: “Quem desce ou sobe a rua Espírito Santo muitas vezes nem repara que aqui é uma escola de Educação Infantil, porque a casa fica mais recuada que outros edifícios e, como ela é patrimônio histórico, não podemos fazer muitas intervenções. Estávamos organizando nossa exposição e, de repente, surgiu a ideia de compartilhá-la com a cidade, que é uma forma de revelar um pouco do nosso dia a dia.”


A partir do programa Leituras em Conexão, proposta da Secretaria Municipal de Educação que busca incentivar o encantamento das crianças pela leitura, a Umei Delfim Moreira desenvolveu o projeto “Nossa Gente, Nossa Arte”. Ao final de meses de pesquisa, em que as crianças tiveram contato com grandes nomes da literatura, da música e das artes plásticas brasileiras, elas foram convidadas a registrar em telas, individuais e coletivas, a emoção, a memória ou o que mais as tocou.
 

Cecília Meireles, Mário Quintana, Ruth Rocha, Toquinho, Caetano Veloso, Chico Buarque de Holanda, Paulinho Pedra Azul e Rubinho do Vale foram alguns dos artistas lembrados. “Buscamos encantar nossas crianças com o trabalho desses grandes artistas. As telas individuais estão expostas no interior da nossa escola. Já as telas coletivas foram expostas nas grades da Umei, pelo lado de fora. A ideia é nos conectarmos com a comunidade e chamar a atenção para a infância, para as crianças da cidade. Essa ousadia tem despertado o olhar de pedestres e motoristas que param para apreciar o trabalho”, relata Fernanda Dutra.


Resultados positivos

Além de chamar a atenção de quem passa pela rua, a experiência com as pinturas das telas também está despertando o encantamento dos alunos, dos professores e dos pais dos estudantes.


A coordenadora da Umei Delfim Moreira, Flávia Cardoso, destaca a importância desse trabalho. “Foi uma grande oportunidade para as crianças se expressarem por meio da pintura e de conhecerem um pouquinho sobre grandes escritores, poetas, compositores e artistas. Acredito que estamos dando a nossa contribuição para que nossos alunos se encantem com o universo da leitura”, refletiu. 


A aluna Laura Motta, de cinco anos, fala da atividade que desenvolveu e da sensação que vem experimentando com os quadros expostos. “A música escolhida pela nossa turma representa os peixes, da música ‘Peixe Vivo’. Pintar no quadro é mais legal que no papel. As pessoas lá fora estão olhando e gostando. Estão todas (as telas) muito bonitas.”


As telas coletivas ficam expostas na Umei Delfim Moreira até o dia 6 de outubro e, depois, ficarão guardadas na escola para futuras exposições. Já as telas individuais serão entregues a cada um dos alunos.


Leituras em Conexão

Lançado em maio deste ano, o programa Leituras em Conexão é uma das principais propostas pedagógicas da atual gestão. Desenvolvido com o objetivo de difundir e ampliar projetos e ações de leitura e escrita nas escolas municipais e instituições parceiras, o programa busca fortalecer atividades já existentes, além de incentivar a criação de outras práticas ao longo de toda trajetória estudantil, do Ensino Infantil à Educação de Jovens e Adultos (EJA).


Para cada etapa da Educação Básica foram definidos eixos de trabalho específicos. Para a Educação Infantil o eixo é o “encantar-se pela leitura”.

 

29/09/17 Fotos exposição Delfim Moreira