Pular para o conteúdo principal

Cerca de dez pessoas de idades diversas participam de oficina de brinquedos no chão manipulando gravetos e folhas em uma mesa, em uma área verde, durante o dia.
Foto: Laura Rezende

BH em Pauta: BH Itinerante promove educação ambiental

05/07/2017 | 22:04 | atualizado em 05/07/2017 | 22:09

A professora e geógrafa Luciana Moreira nunca imaginou que voltaria ao “BH Itinerante” depois de 12 anos. Ela integrou o curso em 2005 e diz que a vida dela mudou desde então. “O BH Itinerante mostrou a minha verdadeira vocação, apresentou-me a educação ambiental”, disse Luciana. Na 34ª edição do programa realizado pela Secretaria de Meio Ambiente, ela voltou a participar, desta vez, levando para os formandos uma oficina de ecobrinquedos, área em que se especializou.
 


Na quarta-feira, dia 28 de junho passado, no coração do quadrilátero ferrífero, de frente para um paredão de montanhas cercado por mata atlântica, em Itabirito, os 34 alunos que participaram desta edição do “BH Itinerante” receberam os certificados de agentes ambientais. A celebração, chamada de Intercâmbio Socioambiental, marca o encerramento do curso depois de seis meses de aulas e mais de 100 horas de aprendizado.
 


“Esse é um curso que vem mostrando resultados gratificantes para a sociedade. A educação ambiental é o caminho para fazer com que todas as pessoas se tornem mais engajadas na causa ambiental. Precisamos enaltecer atividades como esta e fomentá-las, para que outros projetos semelhantes cresçam”, disse o secretario de Meio Ambiente, Mário Werneck.
 


Os alunos e convidados do Intercâmbio Socioambiental foram levados até o Sítio Mairiporanga pelo Expresso Ambiental, ônibus da Secretaria Municipal de Meio Ambiente equipado com TV, vídeo, som, motor ecológico e ar condicionado.
 

 Com um sorriso no rosto, agitada e com uma empolgação de quem estivesse fazendo aquilo pela primeira vez, Eliana Apgaua aguardava ansiosa pela chegada dos alunos. Servidora da Secretaria de Meio Ambiente desde 1984 e uma das organizadoras de todas as edições do “BH Itinerante”, ela cede o sítio da família para o encerramento do programa. “Eu estou para me aposentar, mas esse trabalho me revigora. Eu acredito muito nesse projeto para jovens e adultos reproduzirem no ambiente deles toda a educação ambiental que recebem aqui. A gente dá uma ênfase muito grande à questão pedagógica para ser reproduzido no círculo em que eles convivem. Não quero deixar isso morrer”, afirma a servidora.
 


A manhã começou com um café da manhã servido debaixo das árvores. Em seguida, os alunos puderam participar de uma aula de Khundalini Yoga. A prática despertou a reflexão e renovação da energia. Após o relaxamento, uma dinâmica entre os alunos e a entrega dos certificados emocionaram a turma.
 


Michael Korsch é professor de geografia na Escola Municipal Francisco Campos, no bairro Tupi. Segundo ele, sempre que pode participa das atividades disponibilizadas pela Secretaria de Meio Ambiente. “Tudo que eu aprendo aqui eu levo para meus alunos. Trabalho com a turma de 6 a 10 anos e é nesse momento que precisamos formar o caráter ambiental das crianças. Já os levei para fazer travessias que fizemos aqui durante o BH Itinerante e todos adoraram", disse o professor.

 

Mandalas de Ervas

Após o almoço, um momento de descanso. Sentada na grama, com o certificado de agente ambiental nas mãos e admirando o imenso paredão de montanhas à frente, a geógrafa Ludmila de Miranda Rodrigues Silva se emociona. “Esse momento é mágico. Não tem preço. O que a gente aprende nesse curso ultrapassa a barreira dos livros. Fico fascinada com o aprendizado que a vivência traz para gente. A prática é, sem dúvidas, o caminho para a sabedoria”, conclui a agora agente ambiental.
 


O grupo ainda fez uma trilha em meio a Mata Atlântica até o Ribeirão do Silva, onde os alunos puderam ter contato com toda área verde do sítio. A estudante de ciências socioambientais Najara Letícia Viana Rodrigues, de 24 anos, queria ter uma experiência que agregasse conhecimento. Ela e outra parte do grupo ainda participaram da oficina de Mandalas de Ervas e aprenderam sobre os benefícios das plantas para o organismo: “Eu acho que conhecimento nunca é demais. Eu pude conhecer Belo Horizonte, já que muita coisa eu não conhecia.”
 


Durante a tarde, outras oficinas também foram realizadas: minhocário, sabão ecológico, brinquedos no chão. No fim do dia, uma festa junina para animar os formandos com um grupo de forró improvisado pelos próprios alunos, fogueira de São João e comidas típicas.
 


A próxima edição do “BH Itinerante” já está sendo planejada pela Secretaria de Meio Ambiente e deve acontecer no próximo semestre. O curso é gratuito e qualquer pessoa com mais de 18 anos pode participar. As inscrições são feitas pelo telefone da Secretaria de Meio Ambiente: 3246-0600.
 

 

05/07/2017. BH itinerante. Fotos: Laura Rezende/PBH