Pular para o conteúdo principal

Fachada do setor antigo do Museu Histórico Abílio Barreto.
Foto: FMC/PBH

BH em Cantos: Museu Histórico Abílio Barreto

17/08/2017 | 15:23 | atualizado em 21/08/2017 | 13:36
Quem anda pelos salões do Museu Histórico Abílio Barreto, localizado no bairro Cidade Jardim, em Belo Horizonte, tem a sensação de fazer uma viagem no tempo. Gerida pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Fundação Municipal de Cultura, a instituição possui atualmente o maior acervo museológico de Minas Gerais, com mais de 70 mil itens que revelam os vários sentidos e trajetórias da capital mineira e de seus cidadãos. São documentos textuais, iconográficos, bidimensionais e tridimensionais referentes às origens, formação e desenvolvimento da cidade.

Um dos itens mais impressionantes deste rico acervo pode ser visto de longe. Exposto 24 horas por dia, este item está naquele mesmo local há 134 anos. Conhecida como Casarão, a sede da antiga Fazenda do Leitão foi construída por Cândido Lúcio da Silveira, em 1883, seguindo modelo típico das edificações rurais mineiras e brasileiras do período colonial.

Localizada nos arredores do antigo Arraial do Curral del Rei, a sede foi desapropriada pela Comissão Construtora da Nova Capital em 1894, no início do processo de construção de Belo Horizonte. É um dos raros imóveis do século XIX ainda de pé.

Para servir como sede do museu, a casa foi restaurada e adaptada em 1943. Tombada em 1951, pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), atual IPHAN, o imóvel passou por outras restaurações ao longo dos anos. Atualmente é utilizado como espaço expositivo e de ações educativas do MHAB.

O Museu Histórico Abílio Barreto é a instituição que guarda parte significativa da história da capital. O MHAB adquire, conserva, restaura, estuda, mostra e difunde sua coleção histórica. Sua política de ação educativa é ampla e dinâmica, promovendo o conhecimento e a valorização do patrimônio cultural. Por meio de exposições temporárias e intervenções urbanas, estimula reflexões sobre a cidade contemporânea e contribui para a interpretação de espaços caros à memória coletiva.

Além do Casarão do século XIX, o MHAB possuí um moderno edifício-sede, inaugurado em dezembro de 1998, primeiro local originalmente concebido e edificado para abrigar um museu na capital. Na área externa, estão os abrigos para o bonde elétrico e a locomotiva a vapor, o coche, o palco ao ar livre e os jardins concebidos como local de educação e lazer.


História contada em exposições

O MHAB vem a cada dia se consolidando mais como o Museu da Cidade, seja por meio de suas exposições ou pelos eventos que apoia e promove. Exemplo disso são as duas exposições inauguradas em julho no edifício sede. No Foyer térreo, o Centro de Memória da Medicina da UFMG apresenta seu acervo e percorre o caminho da história da Medicina em BH através da atuação de três prefeitos médicos (Cícero Ferreira, Juscelino Kubitschek e Célio de Castro).

Já a Sala de exposições do Edifício Sede recebe até setembro, “Belo Horizonte - cartografia de uma cidade Planejada”, mostra com curadoria de Maria do Carmo Gomes e coordenação geral de Júnia Furtado (UFMG), que apresenta o acervo da Comissão Construtora da Nova Capital pertencentes ao próprio museu, ao Arquivo Público Mineiro e ao Arquivo Público da Cidade.

Para Natércia Pons, gestora do MHAB, é emocionante reconstruir a história do Arraial e de Belo Horizonte através de acervos selecionados. “Conhecer a cidade e seus agentes históricos, seus costumes, dinâmicas e hábitos, amplia e fortalece a proposta do MHAB de ser um Museu atuante, onde a história de Belo Horizonte possa ser entendida respeitando-se a diversidade e estimulando o intercâmbio dessas experiências.”


Lazer para as famílias

Além de guardar e contar a história de Belo Horizonte por meio de suas exposições, o Museu Histórico Abílio Barreto tornou-se nos últimos anos um espaço de lazer e diversão para todos os públicos. Atividades diversas, que incluem apresentações musicais, circenses, teatrais, contação de histórias e brincadeiras, buscam atingir e formar um público amplo e diversificado, afirmando o Museu como referência cultural na cidade. O museu sedia ainda, em sua área externa, diversos eventos gastronômicos da cidade.

Outro destaque do MHAB são os projetos de educação patrimonial, que reúnem ações educativas relacionadas à proteção de bens culturais e à valorização de acervos sobre a história local e a memória social de Belo Horizonte. Com agendamento, a equipe do museu orienta o público nas visitas às exposições e no desenvolvimento de atividades que estimulam o público a explorar e interpretar as mostras a partir de dinâmicas adequadas a cada grupo etário.

O Museu Histórico Abílio Barreto fica à avenida Prudente de Morais, 202, bairro Cidade Jardim. As exposições podem ser visitadas de terça a domingo, das 10h às 17h, quartas e quintas-feiras, até 18h30. Visitas mediadas, técnicas e temáticas, além de visitas acessíveis, podem ser agendadas pelo telefone 3277-8835. A programação completa do museu pode ser consultada no site BH faz Cultura
 
 

17/08/2017. BH em Cantos. MHAB. Fotos: Ricardo Laf/FMC