Pular para o conteúdo principal

Foto de uma oficina de artesanato. Há mãos de mulheres bordando e o texto pintado em um tecido: CEAM Benvinda
Foto: Zaíra Magalhães/PBH

Benvinda, da PBH, ajuda a transformar vidas de mulheres em situação de violência

06/03/2020 | 17:47 | atualizado em 10/03/2020 | 12:45

Um cartaz com informações do Centro Especializado de Atendimento à Mulher – Benvinda, fixado no mural de uma delegacia, contribuiu para que Amanda (nome fictício) rompesse com o ciclo de violência doméstica que sofria. Com o contato em mãos, ela procurou o equipamento municipal e, desde então, sua vida tomou outro rumo. A partir do atendimento integral, ela rompeu com o ciclo de violência e hoje trabalha incentivando outras mulheres a se fortalecerem e seguirem livres os seus caminhos.
 
De 2016 para 2020, muita coisa mudou no Benvinda. Sete novas servidoras, entre psicólogas e assistentes sociais, passaram a integrar a equipe do Centro. Ao todo, 16 profissionais trabalham no local onde foram realizados 1.855 atendimentos em 2019, um aumento de 50% em relação ao ano anterior. O trabalho realizado com mulheres em situação de violência contempla atendimento psicológico, social e orientação jurídica.

No Benvinda, Amanda recebeu atendimento psicossocial, orientações e encaminhamentos à rede especializada e acesso a outros serviços e políticas públicas. Ela participou de palestras, rodas de conversa e oficinas coletivas de artesanato. “Custei para superar a violência doméstica que sofria porque achei que deveria ser ‘uma mulher de verdade’ no contexto em que eu estava. Eu fiquei um ano sendo acompanhada e construindo possibilidades. O atendimento que recebi foi importante porque me senti encorajada e sabia que sempre tinha alguém ao meu lado. Minha autoestima aumentou e hoje eu sei que sou uma mulher forte, tenho qualidades e sou importante”.

O principal objetivo do Centro é contribuir para a consolidação do programa de enfrentamento da violência por meio de estratégias de atendimento que objetivam o fortalecimento da mulher e a compreensão e prevenção dessa violência, bem como da articulação em rede de serviços públicos para atendimento a mulheres. Além disso, os atendimentos e as orientações jurídicas buscam criar condições para que as mulheres construam, com o suporte das profissionais, possibilidades de ruptura com a violência que vivenciam.
 
 


Interrupção do ciclo de violência

O Centro Especializado de Atendimento à Mulher - Benvinda está vinculado à Diretoria de Políticas para as Mulheres, órgão da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, e constitui-se como centro de referência para as mulheres em situação de violência. No local, as mulheres que vivenciaram/vivenciam violência doméstica e familiar baseadas em gênero recebem atendimento, independentemente de ser essa violência considerada moderada ou grave.

Natália (nome fictício) é mais uma das mulheres atendidas no Centro e destaca a importância da escuta qualificada e orientação profissional para apoiar no momento de fragilidade. “No Benvinda a gente entende que não somos vítimas, a violência que vivemos não nos define. Mas é uma situação que pode ser superada com apoio, sem julgamentos e acessando nossos direitos para nos auxiliar a reconstruir nossa vida com dignidade”, define.

“A violência de gênero pode se manifestar de várias formas e em diferentes níveis de intensidade, no dia a dia das mulheres. Em geral, ocorre no espaço doméstico e/ou familiar e se manifesta em proibições, controle, recriminações, chantagens, ameaças, até atos mais violentos que são facilmente reconhecidos”, explica Kate Rocha, coordenadora do equipamento.

A gestora ainda destaca a importância de procurar auxílio para intervir e cessar a violência. “É construído um plano de acompanhamento individual no intuito de fortalecer a mulher, para que ela consiga prosseguir com os passos para o rompimento da violência, respeitando o tempo de cada mulher acompanhada”.
 

 
Como acessar

O Centro Especializado de Atendimento a Mulher – Benvinda atende mulheres a partir dos 18 anos, residentes em Belo Horizonte. Para serem atendidas, as mulheres podem preferencialmente realizar o agendamento por telefone, ou comparecer diretamente no local.
 
Os serviços prestados no CEAM Benvinda envolvem atendimento psicossocial, atividades em grupo, encaminhamento à rede especializada, tais como Polícia Civil e Militar, Ministério Público e Defensoria Pública e serviço de abrigamento, entre outros. Não é necessário que a mulher tenha feito representação criminal ou boletim de ocorrência. O trabalho realizado é sigiloso e não gera qualquer tipo de denúncia.

 

Conheça o Centro Especializado de Atendimento à Mulher Benvinda

 


Últimas Notícias

Informativo sobre o Coronavírus em Belo Horizonte Baixa de construção pode ser obtida utilizando drone e por meio digital

A Prefeitura construiu um procedimento para que a baixa de construção possa ser feita por fotos e vídeos obtidos por drone.

29/05/2020 | 17:37
Prestação de contas na Câmara Municipal de Belo Horizonte PBH intensifica ações na Saúde e Políticas Sociais, mesmo com queda nas receitas

Dados demonstram que o Município arrecadou R$ 4,7 bilhões de janeiro a abril, cerca de 34% do total previsto para o ano – R$ 13,7 bilhões.

29/05/2020 | 12:05