Pular para o conteúdo principal

Belo Horizonte recebe mais 3 mil mudas de espécies nativas de Mata Atlântica
Foto: Divulgação/PBH

Belo Horizonte recebe mais 3 mil mudas de espécies nativas de Mata Atlântica

criado em 28/10/2022 - atualizado em 28/10/2022 | 15:38


A recuperação e revegetação de áreas degradadas em Belo Horizonte, promovidas pelo Projeto Montes Verdes, tem sido intensificada por meio de uma parceria entre a Secretaria de Meio Ambiente e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 

O acordo consiste em produzir, na Floresta Nacional de Passa Quatro, mais de 10 mil mudas de 50 diferentes espécies nativas de Mata Atlântica e Cerrado com baixo custo, boa qualidade e em grande quantidade. Apenas nesta semana, o município recebeu 3 mil mudas, que foram levadas à Fundação Zoobotânica e passarão por um processo de desenvolvimento para posterior plantio.  

Em geral, a recuperação de uma área de Mata Atlântica demanda quantitativos superiores a 80 espécies vegetais, havendo dificuldade de se obter tal variedade no mercado. Neste sentido, a aquisição e plantio das espécies vêm para suplementar este trabalho, promovendo condições favoráveis ao reflorestamento e potencializando a biodiversidade da flora urbana de Belo Horizonte. 

“Esta parceria que firmamos com a Floresta Passa Quatro/ICMBIO foi um grande sucesso para a nossa iniciativa. O que torna este acordo benéfico é a alta capacitação da equipe do ICMBIO, bem como a possibilidade de produzirmos mudas de espécies nativas com baixo custo a partir de sementes coletadas em Belo Horizonte, muitas delas de pouco interesse comercial, dificultando sua compra no mercado”, explica Mário Werneck, secretário Municipal de Meio Ambiente. 

Atualmente, o programa de indução à recuperação de áreas degradadas em Belo Horizonte também desenvolve ações em espaços como as áreas verdes da Serra do Engenho Nogueira, o Parque Trevo, Vila Cemig, Morro das Pedras e Barragem Santa Lúcia, no Parque do Bicão. Todas estas ações são desenvolvidas por meio do plantio de milhares de espécies de flora e manutenção dividida entre equipe técnica do município e comunidade local. 

A atividade, que mostra inovação e cuidado com os espaços públicos da capital, pretende fazer disso um legado. “Seria ótimo se moradores de outros bairros também se engajassem e adotassem e cuidassem junto com a PBH de áreas verdes da cidade. Precisamos manter vivos esses pulmões verdes da capital”, pontua o secretário. 

O Montes Verdes prioriza ações em espaços que tenham sofrido com queimadas, ou passaram por ocupações irregulares, poluição, entre outros, e tem por objetivo identificar, catalogar, caracterizar, propor e executar planos de reflorestamento. O foco inicial do projeto são as áreas públicas municipais, utilizando, para sua execução, desde recursos humanos existentes na própria Prefeitura, até recursos financeiros advindos de medidas compensatórias, compensações ambientais e condicionantes do licenciamento ambiental.