Pular para o conteúdo principal

Arte feita pela Prefeitura com informações do Boletim de Monitoramento
Foto: Arte PBH

Aumento na ocupação de leitos faz com que Prefeitura não avance na reabertura

19/06/2020 | 19:04 | atualizado em 26/06/2020 | 12:44

A Prefeitura de Belo Horizonte divulgou nesta sexta-feira, dia 19, o 6º Boletim de Monitoramento, com dados relativos à situação da pandemia da Covid-19 na capital nos últimos sete dias. No comparativo com a semana anterior, o nível de alerta geral se manteve no vermelho, indicando que o Município continuará com atenção máxima no processo de flexibilização. 

 

O termômetro, com os índices epidemiológicos, permaneceu no limite em razão da taxa de ocupação de leitos de UTI continuar no vermelho, demonstrando o crescimento sistemático nas internações de pacientes com a Covid-19, mesmo com a abertura – entre quarta-feira, dia 17, e quinta-feira, dia 18, – de mais 34 leitos de UTI Covid, passando de 246 para 280. O índice mudou de 74% (boletim da última sexta-feira) para os atuais 78,3%. 

 

Avanços também foram identificados na ocupação de leitos de enfermaria destinados para o tratamento de pessoas com a doença, que chegaram a 61,2% (amarelo), de acordo com o relatório. A Prefeitura abriu mais 38 leitos nesta semana, ampliando de 688 para 726 o número total disponível. Também permaneceu no amarelo o índice de transmissão (Rt), mas com leve queda em comparação ao boletim anterior, mudando de 1,19 para 1,13. Essa redução foi um dos fatores determinantes para que a Prefeitura decidisse pela manutenção da atual fase de reabertura (fase 2) e não regredisse. Medida que está alinhada com a atual capacidade de atendimento hospitalar sob responsabilidade do Município. 

 

Atualmente, Belo Horizonte conta com 970 leitos totais de UTI e 4.491 leitos totais de enfermaria. O secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, destacou que o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19, conduzido por ele e formado por profissionais renomados da área médica integrantes da Sociedade Mineira e Brasileira de Infectologia e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), continuará acompanhado os índices epidemiológicos e a taxa de isolamento diariamente. Caso necessário, medidas efetivas serão tomadas para conter a circulação do vírus na cidade, incluindo o fechamento dos estabelecimentos que tiveram o funcionamento permitido e novos leitos para o atendimento de casos da Covid-19.

 

“No dia 8 de junho, aumentamos mais 26 leitos, com 82% de ocupação. E na última quarta-feira, 17, abrimos mais 34 leitos. Temos agora 280 leitos, com 78% de ocupação. A abertura dos leitos é feita de acordo com a necessidade e são abertos já com recursos humanos e equipamentos necessários para seu funcionamento. Em junho podemos chegar até a 341 leitos”, afirmou o secretário Jackson Machado Pinto.

 

  

Comportamento do cidadão

A Prefeitura tem intensificado sua divulgação para reforçar as orientações relativas aos protocolos sanitários a serem seguidos pelos estabelecimentos comerciais em funcionamento e os clientes. Mas para conter os avanços do Coronavírus, é fundamental que as pessoas evitem sair de casa. Em caso de necessidade, é preciso manter o distanciamento, e as pessoas devem sair às compras individualmente e não em grupos, e planejar as rotas mais seguras.

 

 

Índice de Isolamento

Nos quatro primeiros dias (entre 15 e 18 de junho) desta quarta semana após o início da reabertura gradual das atividades econômicas na cidade, o Índice de isolamento se manteve estável em 47%, mesma média registrada na semana anterior. Na comparação da semana anterior ao início da reabertura, a média semanal do índice de isolamento caiu apenas um ponto percentual, de 48% para 47%. 

           

O uso de máscara é obrigatório e a higienização das mãos com sabão ou álcool em gel é fundamental.

 

 

Impacto no transporte coletivo

A demanda por transporte coletivo da capital se manteve estável nos quatro primeiros dias desta semana, com uma média de 505 mil passageiros transportados por dia, apenas 0,1% superior à média registrada nos dias úteis da semana anterior. 

 

A comparação dos resultados mostra um incremento médio de 79 mil passageiros transportados por dia, o que representou um aumento de 19% na demanda por transporte coletivo na cidade, em relação ao período anterior à flexibilização. Mas como resultado do escalonamento de horários de funcionamento das atividades comerciais estabelecido pelo Decreto 17.361/2020, o volume registrado foi mais intenso fora do horário de pico. O acréscimo de passageiros no horário de pico (5h às 8h e de 16h às 19h) foi de 17%, e de 21% fora do horário de pico.

 

 

Veículos na área central e nos grandes corredores

O fluxo de veículos nos principais corredores de transporte da cidade também se manteve estável nos quatro primeiros dias dessa semana, com os mesmos valores médios da semana anterior – 228 mil veículos na área central e 872 mil nos principais corredores. Na comparação dos dados apurados para esta semana com os valores registrados na semana anterior à reabertura, observa-se um aumento de 21% no fluxo de veículos na área central e de 10% nos principais corredores.


Últimas Notícias

Informativo sobre o Coronavírus em Belo Horizonte Prefeitura define diretrizes para contratação de leitos em hospitais privados

O processo de adesão será por meio de chamada pública para seleção simplificada, destinada a hospitais que preencham os critérios definidos.

02/07/2020 | 19:12
Informações da Prefeitura sobre o Covid-19 Prefeitura garante serviços de limpeza durante a pandemia

Varrição, coleta de resíduos comuns e orgânicos, capina, lavação, combate a deposições clandestinas de lixo, são exemplos dessas atividades.

01/07/2020 | 16:49