Pular para o conteúdo principal

Auditório do Teatro Francisco Nunes com todas as cadeiras preenchidas por alunos, enquanto a Banda da Guarda Municipal se apresenta no palco

Aula inaugural da Gincamat 2018 reúne comunidade da Rede Municipal de Educação

21/05/2018 | 19:27 | atualizado em 21/05/2018 | 19:31

No dia 18/05, última sexta-feira, o Teatro Francisco Nunes ficou repleto de estudantes, professores e educadores da Rede Municipal de Educação (RME) de Belo Horizonte que buscam na Gincana de Matemática (Gincamat) uma opção lúdica e envolvente para o ensino e a aprendizagem da disciplina. A aula inaugural da Gincamat, iniciativa coordenada pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), reuniu, no Teatro, mais de 500 pessoas de 100 escolas da RME. O objetivo da gincana é dar visibilidade às ações pedagógicas desenvolvidas pelos professores de Matemática, por meio de jogos e resolução de problemas.
 

Durante a abertura da Gincamat 2018, a secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, destacou a importância de novas práticas pedagógicas nas escolas. “Estamos vivendo um novo momento na educação, em que é preciso pensar em uma nova relação pedagógica com outros formatos de aprendizagem que o século XXI nos exige. Vivemos um momento em que o jeito de aprender e de ensinar exige que os professores e os estudantes estejam dialogando para construir um mundo melhor. Vemos hoje muitas empresas se debruçando no desenvolvimento de jogos e com a Gincamat estamos estimulando nossos estudantes a adentrarem este universo”, afirmou.

 

Expectativa para 2018

 

A estudante Amanda Alves, do 8º ano da Escola Municipal Cônego Sequeira, regional Barreiro, vê na Gincamat um incentivo. “É legal e divertido estudar Matemática desse jeito. Eu gosto da disciplina, mas com os jogos o interesse é maior e vejo muitos colegas interessados também”, disse. Já para a estudante Aline Sabino, do 9º ano, também da Escola Municipal Cônego Sequeira, a gincana é um estímulo saudável à competição. “Estamos nos preparando para conquistar o primeiro lugar este ano”, garantiu.
 

A professora de Matemática da Escola Municipal Sebastião Guilherme de Oliveira, regional Barreiro, Márcia Cecília, conta que participa da Gincamat desde a primeira edição. Segundo ela, “a competição é um grande estímulo para envolver todos os alunos com a disciplina, mesmo aqueles que não gostam muita de Matemática”.

 

O uso dos jogos no ensino da Matemática

A palestra da aula inaugural da Gincamat foi conduzida pela professora Carmen Rosa Giraldo Vergara, do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A doutora em Matemática falou sobre o uso dos jogos no ensino da Matemática. “Eles são importantes, pois contribuem para que o aluno desenvolva a disciplina e aprenda a importância do cumprimento das regras. Mesmo usados de forma lúdica, os jogos ajudam as crianças a entenderem a importância do planejamento e da estratégia e isso tem um cunho muito educativo, pois ajuda a estimular o raciocínio lógico e também na resolução dos problemas da vida real”, relatou.
 

Após a palestra, os estudantes e professores puderam testar o raciocínio lógico em um divertido quiz matemático e em uma disputa para resolver o cubo mágico, onde os vencedores levaram uma camiseta da Gincamat para casa.

 

Gincamat

A gincana envolve estudantes e professores do 2º e 3º ciclo, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Programa Escola Integrada. É dividida em duas fases: a escolar e a municipal.
 

A fase escolar acontecerá ao longo do ano letivo, culminando em uma exposição que será realizada em novembro e vai apresentar os trabalhos desenvolvidos pelas escolas. Já a fase municipal será realizada em agosto e contará com a participação de todas as escolas inscritas.