Pular para o conteúdo principal

Mais de 18 artesãs assistem a curso de empreendedorismo em uma sala.
Foto: Zaíra Magalhães/PBH

Artesãs de feira de economia solidária recebem curso de empreendedorismo

15/04/2019 | 20:03 | atualizado em 15/04/2019 | 20:03

Um curso de formação em empreendedorismo está sendo oferecido para 20 artesãs da feira de economia solidária do programa Espaço da Cidadania, da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania. O curso Mulheres Empreendedoras, desenvolvido por meio de parceria da Prefeitura de Belo Horizonte e da instituição financeira Sicoob Credicom, tem duração de três meses e o objetivo de capacitar as participantes, de forma a contribuir com a melhoria das habilidades de gestão das artesãs.

 

No curso, as mulheres recebem treinamentos em economia solidária, trabalho em equipe, custo e precificação, comunicação e marketing, entre outros temas, para que possam aprimorar o atendimento, o relacionamento e as vendas nas barracas que fazem parte da Feira de Artesanato da Avenida Bernardo Monteiro, na região hospitalar.

 

A artesã Conceição Assis, de 67 anos, que comercializa bolsas de patchwork de fabricação própria, destaca que o curso vai ser importante para melhorar as vendas e garantir a continuidade de seu trabalho, que complementa a renda de sua família e permite que ela se mantenha ativa. Conceição destaca que a feira também é um espaço de socialização. “Em dias de feira eu nunca chego e vou direto montar a barraca. Antes vou conversar com minhas colegas, vou ver as flores. Esse é um motivo semanal pra eu sair de casa e me refazer”, afirma.

 

 

Inclusão produtiva

Além da geração de renda, o programa Espaço da Cidadania, no qual está inserida a Feira de Artesanato da Avenida Bernardo Monteiro, inclui também um trabalho contínuo de formação em Direitos Humanos e ações afirmativas e emancipatórias para públicos que encontram dificuldade de inclusão no mercado de trabalho, como a população idosa, pessoas com deficiência, mulheres, pessoas negras, indígenas e outros grupos étnico-raciais vulneráveis, jovens e a população LGBT.

 

“O programa busca dar condições aos participantes de acesso e permanência de seus negócios no mercado e capacidade de gestão sustentável, potencializando as condições para a viabilidade econômica, autonomia e emancipação, visando a construção da cidadania ativa de cada pessoa atendida”, destaca o subsecretário de Direito e Cidadania, Thiago Costa.

 

A Feira de Artesanato é realizada às sextas-feiras, das 8h às 17h, na avenida Bernardo Monteiro, no quarteirão fechado entre avenida Brasil e rua dos Otoni.