Pular para o conteúdo principal

Horizonte nublado e esfumaçado, com detalhe do relógio da PBH à direita, durante o dia.
Foto: Rodrigo Clemente/PBH

Tempo seco exige cuidados redobrados com a saúde

21/09/2019 | 00:15 | atualizado em 21/09/2019 | 00:15

Nas últimas semanas, os moradores de Belo Horizonte têm sentido os efeitos da baixa umidade relativa do ar. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o nível ideal de umidade relativa do ar para o organismo humano gira em torno de 40 a 70%. A capital tem registrado níveis abaixo de 30%, em especial no horário crítico, entre 15 e 16 horas, o que pode representar riscos à saúde. Nesta sexta-feira, a Defesa Civil registrou umidade relativa do ar abaixo de 12%.

 

O geriatra e médico de família e comunidade da Secretaria Municipal de Saúde, André Luiz de Menezes, alerta sobre os sinais que a população deve estar atenta e onde procurar ajuda. “Cuidados especiais devem ser dados às crianças e aos idosos por serem mais vulneráveis à desidratação e suas complicações. Entre os sinais mais graves, estão a pele muito seca, com diminuição da elasticidade (não retorna ao normal ao ser beliscada), intensa diminuição do hábito de urinar, que pode vir acompanhada de cansaço intenso, sonolência e confusão mental. Nestes casos, orientamos avaliação no Centro de Saúde mais próximo”, explicou.

 

Nesse período, tornam-se evidentes as consequências imediatas para o corpo: dor de cabeça, garganta seca e irritada, olhos avermelhados (sensação de areia nos olhos), cansaço e até sangramento nasal. Além desses desconfortos, há um grande prejuízo para as vias respiratórias, pois o ar seco, com maior concentração de poluentes, compromete o bom funcionamento do nariz e dos pulmões. Consequentemente, pessoas com doenças respiratórias, como asma e rinite, sofrem mais nesse período, o que reforça a importância de manter o controle médico regular. As infecções virais e bacterianas também são mais frequentes por sua facilidade de propagação.

 

A fim de minimizar esses sintomas e as complicações da baixa umidade, é recomendável seguir as seguintes instruções:

 

- O essencial é tomar água com frequência. Se a urina estiver amarela é sinal de maior necessidade de ingestão de líquidos. O ideal é que a urina esteja transparente. Cuidado especial deve ser dispensado às crianças e aos idosos por serem mais vulneráveis à desidratação e suas complicações;

- Dar preferência a dietas leves. Preferir frutas ricas em líquidos como melancia, melão e laranja;

- Lavar as narinas com soro fisiológico à temperatura ambiente;

- Utilizar colírios lubrificantes para os olhos;

- Umidificar o ambiente com toalhas molhadas, em especial no quarto de dormir;

- Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 10h às 16h;

- Usar produtos para hidratar a pele do rosto e do corpo, pelo menos após o banho;

- Evitar fumar em ambientes fechados.


Últimas Notícias

Crianças brincam de pernas de pau na rua, sobre tapete acolchoado. Blocos de carnaval são atrações do BH é da Gente de domingo, dia 20/10

BH é da Gente, do dia 20/10, tem blocos de carnaval e ação de orientação nutricional como atrações. 

17/10/2019 | 22:20
Vista aérea do Parque Municipal, com prédios ao fundo. Confira os principais eventos gratuitos que acontecem em BH neste fim de semana

Nos dias 19 e 20/10, vai ter prática de Tai Chi Chuan, orientação sobre saúde vascular, aula de yoga, caminhada meditativa e muito mais.

17/10/2019 | 18:41