Pular para o conteúdo principal

Sede da Prefeitura de BH
Foto: Divulgação/PBH

Segurança psicológica é tema de palestra para servidores municipais

10/02/2021 | 11:32 | atualizado em 10/02/2021 | 11:40

A segurança psicológica foi o tema de uma palestra promovida pelo Movimenta PBH - programa de valorização e qualidade de vida do servidor da Prefeitura. O encontro virtual aconteceu em 27 de janeiro e fez parte das ações do município voltadas à Campanha Janeiro Branco - mês dedicado aos cuidados com a saúde mental. 
 

Os temas abordados foram a segurança psicológica para formar equipes de alto desempenho; aspectos fundamentais da segurança psicológica; como medir a segurança psicológica em sua equipe; comportamento e ações práticas coletivas para a criação e sustentação da segurança psicológica no ambiente de trabalho e como promover segurança psicológica para você e seus colegas.  
  
O psicólogo e mestre em Administração, Paulo Henrique Jelihovschi, foi o palestrante. Durante sua fala, ele revelou fatores de ouro para criar e sustentar um ambiente psicologicamente saudável no local de trabalho, sendo o principal deles a segurança psicológica das pessoas. 

 

“Ela propõe uma relação sem julgamentos e preconceitos, valoriza a interação, a construção coletiva e individualidades, promove inclusão, diversidade e permite que ocorram riscos e erros dos envolvidos. Definir o que é segurança psicológica não é simples, mas há termos associados a ela como sensação de inclusão, a liberdade para contribuir e ser autêntico, o sentir-se bem onde se está, a liberdade para contestar, a confiança e o aprendizado em conjunto”, disse Paulo.

 

O psicólogo falou também sobre organizações tóxicas. “São aquelas empresas que colocam metas inalcançáveis e por causa disso as pessoas se sentem extremamente pressionadas. As relações entre os indivíduos e grupos são deterioradas, baseadas em mentiras e ameaças. Falta ética e cordialidade entre as pessoas e há ausência de valores. Isto causa doenças e os integrantes vão ficando improdutivos. Nem sempre o salário é o motivo para um bom resultado. Há projetos que dão certo porque as pessoas se sentiram bem em participar, foram acolhidas, se sentiam confortáveis e motivadas a trabalhar. Estes casos não estão relacionados com o salário das pessoas”, explicou.

 
Nessa lógica, Paulo enumerou alguns caminhos para a promoção de uma segurança psicológica nas equipes, entre eles: definir as políticas e valores organizacionais explícitos que favoreçam a segurança; facilitar o diálogo entre o time com temas que extrapolam o trabalho: incentivar a escuta e o feedback; viabilizar os comportamentos seguros; e criar mecanismos organizacionais de controle e denúncia de abusos.


“A segurança psicológica está muito ligada em entender a moral de um determinado grupo e ver se isto faz sentido ou não. É importante que você pense nos seus valores pessoais e nos valores da organização em que trabalha. Muitas vezes estes valores não batem e você se sente infeliz, e em outras eles são complementares e você se sente bem. A transformação de pessoas e organizações é um processo lento e gradual. Trabalhe dia a dia para avançar. O resultado sempre vale a pena”, concluiu. Após a palestra, o psicólogo conversou pelo chat com os participantes. 


A gravação do encontro, assim como os outros do Movimenta PBH, estão disponíveis na plataforma EAD e pode ser acessada por meio deste link