Pular para o conteúdo principal

A imagem mostra oito pessoas em um palco, seis adultos. Uma mulher de vestido estampado, uma mulher com çalca comprida preta e blusa branca, uma pessoa atrás dela, da qual só se vê a cabeça, um homem de calça jeans e camisa azul clara e outra mulher de vestido estampado. Uma menina e um menino usando uniforme seguram bonecos. A menina segura um certificado.
Ana Nunes

Secretaria Municipal de Educação lança Leituras em Conexão

18/05/2017 | 17:58 | atualizado em 01/06/2017 | 10:38

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da  Secretaria Municipal de Educação (Smed) lançou, nesta quinta-feira (18-05), uma das principais ações pedagógicas da atual gestão: o Programa Leituras em Conexão. Desenvolvido no intuito de difundir projetos e ações de leitura e escrita nas escolas municipais e instituições parceiras, o Programa busca fortalecer atividades já existentes, além de incentivar a criação de outras práticas ao longo de toda trajetória estudantil, do Ensino Infantil à Educação de Jovens e Adultos (EJA). Cerca de mil pessoas participaram da cerimônia, entre alunos, diretores de escolas, bibliotecários, educadores e autoridades.


A Secretária Municipal de Educação, Ângela Dalben, falou da importância do programa e explicou a escolha do seu nome. “ Temos que considerar os pequenos laços com leitura, seja no ambiente escolar, seja em casa, por meio de uma contação de história, tudo isso é importante... Por isso leituras em conexão, em conexão com todas as possibilidades e com a vida.  Estamos pensando na qualidade social da educação, não só de alunos em sala de aula lendo bem, mas pensando  também na dimensão da educação para cidadania, para  que nossos estudantes tenham  entendimento desse mundo, do enredo desse mundo e  tenham alegria e entusiamo para construir  projetos de vida para si próprios e para o país.”, afirmou. 


Entre as ações previstas no Leituras em Conexão está a definição de um percentual de recursos específico para que cada escola desenvolva projetos de leitura e escrita. Todos os anos, escolas recebem verbas do Programa de Ação Pedagógica (PAP), que incentiva a criação de projetos extraclasse. A partir deste ano, 40% dos recursos do PAP serão destinados para a criação e manutenção de atividades de leitura, como criação de cantinhos da leitura nas escolas, reforço no acervo da biblioteca, incentivo à projetos pedagógicos que trabalhem a leitura. Esse percentual, em 2017, representa um valor de R$1,6 milhão, que serão distribuídos entre as escolas da Rede Municipal. Outra ação ligada ao Programa é o incentivo à participação de todos os alunos da Rede em feiras de leitura por meio da distribuição de vale livros. Em cada grande evento do gênero, como as bienais do livro, os alunos da Rede, da Educação Infantil à Educação de Jovens e Adultos receberão um vale-livro para adquirir títulos de seu interesse.


Esse é, segundo o vice-prefeito Paulo Lamac, um investimento em capital cultural que implica em melhor qualidade educacional e estimula o protagonismo dos estudantes. “ A leitura estimula a imaginação que abre as portas do mundo para que as pessoas possam acreditar na realização dos seus próprios sonhos. A educação é o espaço para isso, espaço para oferecer aos jovens o ferramental para que eles possam ser protagonistas da realização dos seus sonhos. Ler é fundamental, escrever é fundamental. Acredito que é esse programa é um passo importantíssimo para construir, em Belo Horizonte,  uma escola pública cada vez de maior qualidade.”, avaliou. 


Além dessas ações, a Smed também vai investir em ações como a formação de professores, abertura de bibliotecas escolares nos fins de semana e criação de parcerias para oferecer cada vez mais opções de projetos para as escolas. O objetivo da Secretaria é que cada escola se organize de modo a potencializar todas as ações de leitura já existentes, além de propiciar a ampliação da atuação nessa área. A Smed considera que o desenvolvimento do aluno como leitor, seja qual for a fase de ensino, é primordial para o seu desenvolvimento nas demais áreas do conhecimento e da vida.


Certificação da Jornada Literária


O Leituras em Conexão tem como objetivo principal potencializar as ações já existentes, por isso as ações já desenvolvidas serão incorporadas ao Programa de modo a ganhar maior divulgação e amplitude entre as escolas. No evento desta quinta-feira, foi realizado também o  lançamento do projeto Jornada Literária 2017 com a certificação das escolas participantes no ano passado, relato dos professores e exposição dos 84 livros classificados de 1º a 5º lugares em três categorias. Cerca de 500 alunos, de 74 escolas municipais, participaram da cerimônia na ocasião.


Desenvolvida anteriormente com alunos do 2º e 3º ciclos do Ensino Fundamental, nesta edição  a Jornada Literária será estendida para estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O projeto incetiva a produção de textos em diversos gêneros textuais. A partir de leituras e oficinas, os estudantes produzem textos que são selecionados pela escola para fazerem parte de um livro que é encaminhado para a Secretaria Municipal de Educação (Smed). Uma Comissão Julgadora Municipal, instituída pela Secretaria, selecionaa as melhores obras. Em 2017, a Jornada Literária chega em sua sétima edição e tem o tema “Eu leio, inspiro-me e conto: releituras”.
Durante o evento de lançamento também foi realizada a entrega simbólica de kits de livros infantis para creches parceiras da Prefeitura de Belo Horizonte. Os livros foram recolhidos em ônibus da capital ao longo do ano de 2016, por meio de parceria da Smed com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH) . Cerca de 13 mil livros serão entregues para todas as  193 creches parceiras do município ao longo do mês de maio.


Parcerias de leitura


O foco do Leituras em Conexão é ampliar cada vez mais o leque de oportunidades das escolas na área de leitura e escrita, por isso o Programa busca estar em constante construção em termos de formatação de parcerias com órgãos da própria administração pública, seja na esfera municipal ou outras, além de entidades e instituições do terceiro setor.


A Secretaria de Educação terá como parceiros instituições como o Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale |FAE-UFMG), para oferecer cursos de formação para professores da Rede Municipal na área de leitura e escrita, o Instituto Natura, por meio do projeto Trilhas, que forma professores alfabetizadores para escolas municipais, e também Fundação Santa Maria, que desenvolve o Projeto Myra, que visa estimular a atuação conjunta da escola, de voluntários e da família no incentivo à leitura e à produção literária. O intuito da Secretaria é incentivar também a participação cada vez maior em ações de Governo, como a Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa.